Outubro Rosa: Ibaneis entrega a Clínica da Mulher que vai atender 4 mil mulheres por mês

 


O DF ganha o seu primeiro Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu), ou Clínica da Mulher com capacidade para 3,7 mil atendimentos por mês. O centro especializado vai cuidar de diferentes perfis, como aquelas que tratam ou têm suspeita de câncer ginecológico ou sofrem situação de violência

A Clínica da Mulher vai ofertar 3.700 atendimentos por mês, sendo 2.800 consultas médicas e 900 consultas com equipe multidisciplinar | Foto: Renato Alves.

O serviço de assistência integral à saúde da mulher acaba de ganhar um grande reforço no Distrito Federal. Foi inaugurado nesta segunda-feira (23) o primeiro Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu). Localizada na 514 Sul, a clínica da mulher vai ofertar 3.700 atendimentos por mês, sendo 2.800 consultas médicas e 900 consultas com equipe multidisciplinar.

Estas quase quatro mil consultas por mês são direcionadas à mulheres com suspeita de câncer ginecológico, que já tenham sido tratadas para outros tipos de neoplasias malignas, bem como mulheres em situação de violência que apresentem comorbidades clínicas como: obesidade, diabetes, lesões cutâneas decorrentes de tratamento de câncer, hiper/hipotireoidismo, entre outras. O encaminhamento será feito pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que entenderem como adequado o suporte do Cesmu a essas pacientes.

Para que este atendimento seja de excelência, o Cesmu conta com uma equipe multiprofissional formada pelas especialidades de Ginecologia, Enfermagem, Endocrinologia, Dermatologia, Psicologia, Serviço Social, Nutrição, Mastologia com treinamento em biópsia mamária, Homeopatia e Acupuntura. Ou seja, um espaço completo de atenção às mulheres.

“Faltava um centro de atendimento à mulher que desse essa qualidade no atendimento e os encaminhamentos corretos para que a gente possa ter a cura não só do câncer, mas de outras doenças que afligem as mulheres do DF”, destacou o governador Ibaneis Rocha durante a inauguração do espaço.

Em seu discurso, o chefe do Executivo local fez questão de agradecer o empenho de todos os servidores da Saúde durante a pandemia e lembrou que a atual gestão tem feito um grande esforço para ampliar o atendimento na área de oncologia. Citou a inauguração do Cesmu, a abertura de um moderno Centro de Radioterapia do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e o Hospital Oncológico de Brasília, que terá investimento de R$ 119 milhões, e está em fase de licitação.

A Clínica da Mulher é mais uma ação integrada de governo e envolveu as secretarias de Mulher, Saúde, Economia e Governo e a Companhia de Urbanização da Nova Capital (Novacap), responsável pelo fornecimento da mão de obra.

Para a secretária da Mulher, Ericka Filippelli, o GDF tem feito bastante ao “entregar obras e um espaço importante como esse, relacionado à saúde da mulher, mas que não diz respeito a pandemia, e sim de atendimento integrado”. Ainda de acordo com a secretária, “a mulher neste governo é importante”.

Também presente à cerimônia, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, lembrou que o centro era um sonho da atual gestão. “Sempre vislumbramos fazer este espaço de atendimento à mulher. Um centro especializado que possibilidade um atendimento diferenciado”, comenta.

Defensor da área da saúde, o deputado distrital Jorge Vianna disse que a inauguração da clínica da mulher mostra que o “governo está realmente fazendo algo efetivo para as mulheres e o combate ao câncer. Sou um dos mais críticos na Câmara Legislativa, mas quando é para elogiar eu elogio”.

O Cesmu passou por reforma e adequações como a construção de banheiros anexados a consultórios para consulta em ginecologia; instalação de bancadas e armários e instalação de isolamento acústico, entre outros. Serão 15 consultórios, uma sala para a realização de exames para o apoio diagnóstico, uma sala de vacinas e uma para a triagem dos pacientes. O investimento foi de R$ 50 mil.

Covid 19

Em razão da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), o Cesmu ainda abriga alguns ambulatórios especializados que foram deslocados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), hospital de referência para a doença. Portanto, a nova unidade de saúde será inaugurada e entrará em funcionamento ainda com parte da capacidade instalada.






















Fotos: Renato Alves.