Lago Corumbá IV ganha novas atrações e se torna destino dos moradores do eixo Goiânia-Brasília

Entorno do lago conta com opções para quem procura descanso e tranquilidade e também para aqueles que preferem esportes radicais e agitação. Pandemia levou ao crescimento da procura pelo ecoturismo em quase 60%



Tauá Resort Alexânia (Foto: Divulgação)

Quase seis em cada 10 turistas (59%) pretendem viajar para um destino de natureza que esteja próximo, aponta pesquisa do buscador Booking. Outro comportamento detectado pela pesquisa é que três em cada quatro (73%) têm a intenção de realizar viagens mais curtas em 2021. Um dos motivos é que os destinos próximos podem ser acessados em viagens de carro, em que o turista não tem contato com outras pessoas, diminuindo assim o risco de contaminação pela Covid-19. O dado confirma levantamento do Ministério do Turismo, sobre as tendências para 2021, que aponta para o aumento do interesse por ecoturismo.

Em Goiás, a tendência repercute no Lago Corumbá IV, que chega a seu debut, nesse ano. Formado para a exploração do potencial hidrelétrico do Rio Corumbá, há 15 anos, ele está transformando a rotina das sete cidades goianas que fazem parte de seu perímetro. Além de ser um novo cartão-postal da região, ele está se consolidando como uma nova vocação econômica para esses municípios. Grandes empreendimentos começam a surgir no entorno do lago, e os visitantes já podem contar com uma oferta considerável de opções para diversão e lazer.

Diante de suas dimensões grandiosas, com área de 173 quilômetros quadrados e capacidade de 3,7 trilhões de litros de água, o lago possibilita diversas atividades voltadas para o contato com a natureza. A barragem de terra tem comprimento total de 1.290 metros e altura máxima de 76 metros. O vertedouro tem três comportas metálicas com capacidade para jorrar mais de 2 milhões de litros de água por segundo. Diante de tanta grandiosidade, muitos moradores da região costumam dizer que o lago é, na verdade, um mar.

“O rio Araguaia já era conhecido como o ‘mar dos goianos’, e agora está sendo complementado por esse e outros lagos espalhados por todo o estado”, avalia João Ricardo Raiser, que também é mestre em Gestão de Recursos Hídricos. Ele ressalta a importância de se garantir que as intervenções feitas para a criação desses lagos respeitem não apenas a legislação, na questão do uso da água, mas também que integrem outras atividades.

“O lago de Corumbá IV é um exemplo. É um lago para geração de energia, planejado também para dar segurança ao abastecimento hídrico do Distrito Federal, e que desenvolveu uma vocação muito grande para o turismo. Isso nos mostra a importância dos usos múltiplos da água e de pensarmos estes processos de forma integrada, principalmente quando pensamos na água como recurso limitado e essencial a todas as atividades”, avalia o especialista.

A localização estratégica permite atender visitantes de Brasília, Goiânia, Anápolis e outras cidades próximas, é um diferencial capaz de transformar o Corumbá IV em uma das principais atrações turísticas do estado de Goiás. Confira a seguir algumas das atrações mais tradicionais do entorno do lago e também novos empreendimentos nas imediações, que reforçam a oferta turística da região:

Hotel Fazenda Cabugi
Localizado às margens da rodovia GO-139, na altura de Alexânia, o grande apelo do Cabugi é o contato com a natureza. O espaço possui 49 chalés, com capacidade total para 150 pessoas. Além da paisagem repleta de verde, os visitantes podem desfrutar de piscinas, quadras esportivas, salão de jogos e fazenda modelo. Para as empresas que procuram um cenário diferente para eventos corporativos, o Cabugi também oferece auditórios para 140 e 60 pessoas, e oito salas de reuniões.

Hotel Fazenda Cabugi (Fotos: Divulgação)


Fazenda Hotel Raizama
Localizado na BR-060, a 101 km de Brasília e 132 km de Goiânia, o Raizama também oferece opções voltadas para o contato com a natureza. Situado às margens do Corumbá IV, o lugar preserva a mata nativa da região e proporciona passeios de barco no lago. Com 40 chalés, restaurante, bar, piscinas e sauna, o Raizama pode atender turistas em busca de caminhadas tranquilas em trilhas ecológicas ou aqueles que preferem esportes radicais, como tirolesa, parede de escalada, rapel e caiaque.
 
Fazenda Hotel Raizama (Fotos: Divulgação)
 
Estância Ecológica do Ligeirinho
Localizado às margens do lago Corumbá IV, a 20 km de Alexânia, a Estância Ecológica do Ligeirinho conta com 60 chalés e área de camping. O público é composto principalmente por famílias e amigos em busca de refúgio e tranquilidade. Com decoração rústica, que contrasta com chamativas estátuas de animais selvagens, a estância também proporciona atividades como pesca, passeios de barco e museu.
 

Estância Ecológica do Ligeirinho (Fotos: Divulgação)
 
Tauá Resort Alexânia
Localizado na BR-060, a 50 minutos de Brasília e 1 hora e 20 minutos de Goiânia, o Tauá Resort & Convention é uma das novas atrações da região, exibindo uma arquitetura moderna e design conceitual. O espaço proporciona opções para turistas e também estrutura para eventos. A lista de atrações é extensa, incluindo piscinas aquecidas, sport bar, lounge, spa e espaço kids.
 

Tauá Resort Alexânia (Fotos: Divulgação)


Bali Park
O Bali Park também faz parte da nova geração de atrações turísticas na região do Corumbá IV. Priorizando o contato com a natureza, o complexo conta com piscinas aquecidas, piscina de ondas, rio lento, toboáguas e praia, entre outros espaços. Outro grande atrativo é a possibilidade de dar um mergulho nas águas do lago. O Bali Park está sendo implementado em três fases. A primeira teve início em agosto de 2019, a segunda etapa está prevista para o fim de 2021, e a etapa final para 2023.
 

Bali Park (Fotos: Divulgação)

Escarpas Eco Parque
Situado às margens do lago, o Escarpas combina condomínio de segunda moradia e lazer. Além dos lotes, oferecerá uma marina com mall e serviços, um clube com restaurante panorâmico, heliponto exclusivo e espaços em meio a natureza que irão permitir atividades de ecoaventura. A previsão é de que as obras do complexo sejam concluídas até o final de 2023.


Escarpas Eco Parque (Fotos: Divulgação)