O silêncio como restaurador da autoconsciência

 Tão ou mais importante que as palavras, o silêncio é um grande programador dos barulhos

No decorrer do nosso dia, tomamos uma série de decisões que podem ou não nos agradar posteriormente. Seja pela escolha de palavras ou mesmo pela atitude em si, muitas decisões podem se tornar motivo de arrependimento quando não pensadas adequadamente. Na escolha do curso de graduação, em uma mudança de relacionamento ou até mesmo em decisões simples como em ir a determinado lugar ou não, é necessário, para que se evite arrependimentos e frustrações, o autoconhecimento.

Segundo o terapeuta João Gonsalves, “o autoconhecimento é a chave para a leveza e tranquilidade. Com ele, você consegue dosar medidas e implementar o equilíbrio na sua vida”. Embora seja essencial para uma vivência feliz, o autoconhecimento não é estimulado no século XXI. Por falarmos mais do que temos a capacidade de pensar e agirmos com mais rapidez do que o ideal, tomamos muitas decisões às pressas, o que compromete a nossa qualidade de vida.

Para o terapeuta, “um dos melhores modos para desenvolver o autoconhecimento, é utilizando do silêncio. Quando deixamos de observar somente o exterior e o nosso foco se volta para nós mesmos, encontramos muita coisa para observar. Memórias, sentimentos e emoções que estavam lá que tampouco sabíamos se manifestam de modo a podermos usar isso ao nosso favor”.

O silêncio é uma arma muito poderosa. “Acredito que não há, em hipótese alguma, o silêncio absoluto. Embora quietos e sem escutar nada aparente, o silêncio é um lugar onde muitas vozes são ouvidas”. O silêncio é um propagador natural da autoconsciência. Geralmente, quando estamos quietos e sem ouvir nada específico, observamos o nosso modo de agir e tudo o que nos rodeia.

Sem barulhos externos, podemos ter um momento de análise de ações, no qual avaliamos tudo o que deve ou não ser feito. Presente até mesmo nas músicas e romantizado, já que permite uma maior reflexão, o silêncio é capaz de transformar pessoas. “No silêncio há um momento de pacificação, no qual paramos e entendemos mais de nós mesmos. Na autosofia, por meio das terapias guiadas, o silêncio faz com que possamos chegar em nível onde encontramos um oceano de novidades interiores”, explica João, criador da técnica de autoconhecimento.

Permitir escutar-se é uma dádiva. Ouvir os sentimentos e emoções é um dos benefícios do silêncio. Ele nos dá mais tempo de autoanálise, de um modo que transcendemos àquilo que já sabemos, para algo novo que está dentro de nós.

O silêncio é muito profundo e serve como base para que possamos programar o nosso barulho. “Tão poderoso ou mais do que as palavras, o silêncio é como um planejador dos sons. Com ele se pode ouvir com o corpo todo, tudo aquilo que se tem para escutar”, finaliza o terapeuta.

Serviço: João Gonsalves

Terapeuta e Assessor de Autoconhecimento

Fone: (11) 98203-1215

E-mail: joaodedeusjd@uol.com.br

Site: www.joaogonsalves.com.br

Endereço: Estrada Manoel Lages do Chão, 1335 - Cotia - São Paulo