6/30/2021 07:01:00 PM
O deputado Delmasso (Republicanos), vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, elaborou projeto de lei e o plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, para que as quadras do Distrito Federal possam  passar por suas pequenas manutenções e revitalizações. A execução das melhorias será feita em parceria com as associações de moradores, prefeituras comunitárias, conselhos comunitários e cooperativas habitacionais.  A iniciativa de Delmasso quer estimular a participação comunitária por meio das prefeituras das quadras e associações de moradores

Fotos: Renan Oliveira.

Reunir esforços do poder público e das organizações da sociedade civil para revitalizar ou conservar as inúmeras áreas públicas existentes nas quadras residenciais no Distrito Federal é o objetivo do projeto de lei nº 1.915/2021, de autoria do deputado Delmasso (Republicanos), aprovado pela Câmara Legislativa nesta terça-feira (29). O PL institui a Política Pública de Participação das Organizações da Sociedade Civil (OSC) no apoio à manutenção de equipamentos e à conservação de áreas verdes.

"Queremos estimular a participação comunitária por meio das prefeituras das quadras e associações de moradores. A ideia é que os próprios moradores tenham autonomia para cuidar das áreas de lazer e de convívio, que são também locais de intercâmbio social e cultural dos cidadãos", afirmou o parlamentar ao agradecer aos colegas a aprovação da matéria.

Com a nova lei, o poder público poderá estabelecer parcerias com as prefeituras comunitárias para revitalização de áreas internas das quadras do Distrito Federal. São contemplados serviços como jardinagem, roçagem, manutenção de pontos de encontro, quadras poliesportivas, parques e demais instalações de uso comunitário. "O crescimento populacional exige do Poder Público uma melhoria na qualidade dos serviços públicos e na manutenção nas cidades", diz Delmasso.

Dessa forma, o Governo estabelecerá vínculos com as comunidades, facilitando no levantamento de necessidades e agilizando o processo de manutenção, que por vezes, é lento e ineficaz. A transferência de recursos também facilitará a manutenção e instalação dos espaços, que são relevantes no convívio comunitário. "A respectiva política pretende unir esforços de atuação do poder público e das organizações da sociedade civil para revitalizar ou conservar as inúmeras áreas públicas existentes nas quadras residenciais no Distrito Federal", justifica Delmasso.

O deputado tem também, outro projeto de lei na Câmara Legislativa que trata da certificação aos Prefeitos de Quadras. A proposta visa incentivar a conservação das quadras e abordar temas de interesse público entre os moradores da região. Trata-se de um projeto fundamental para a proposta do "Nossa Quadra", visto que os Prefeitos atuarão diretamente na manutenção e preservação dos ambientes que residem.

Substitua o pão branco. A sugestão é optar pelo pão integral com grãos e pelo pão sem glúten, opções mais saudáveis
Crédito: Jasmine Alimentos

A mudança de estação traz a possibilidade de inovar no cardápio sem prejudicar a saúde

Com a chegada do inverno, os descuidos com a alimentação começam a dar sinais. A explicação para as mudanças que ocorrem no nosso organismo nessa época do ano, segundo médicos, é que, com as temperaturas mais baixas, o corpo gasta mais energia para se manter aquecido, necessitando de uma quantidade maior de calorias. Mas, será que é possível manter uma alimentação saudável em dias tão gelados? A engenheira de alimentos Erika de Almeida garante que sim, e o melhor, sem abrir mão de comidas gostosas e, ao mesmo tempo, cuidando da saúde.

“Com o clima frio, é importante redobrar a atenção com o que comemos. Da mesma forma, cuidar para não cometer exageros nas refeições, pois no inverno ficamos vulneráveis a algumas doenças sazonais. E lembrando que manter uma alimentação saudável é fundamental para a preservação da saúde”, aconselha a analista de pesquisa e desenvolvimento da Jasmine Alimentos. Com a pandemia de Covid-19, se torna ainda mais vital tomar todos os cuidados para conservar a imunidade. 

Confira abaixo sete dicas de alimentos que ajudam na diversificação do cardápio e na manutenção da saúde (e do peso) durante o inverno.

Frutas como doce

Esfriou e já dá aquela vontade de comer chocolates e doces variados? A engenheira de alimentos alerta que é preciso intensificar os cuidados com o consumo desses alimentos nos dias mais frios - que sempre “pedem” um docinho. Uma alternativa é trocar o doce por uma fruta da estação, como morango, maçã, pêra, uva, laranja e outras, que pode ser consumida em qualquer momento do dia e saciar o desejo de comer doces. “É claro que é importante se conhecer e ter esses momentos de “flexibilidade”, mas vale salientar que é necessário ter equilíbrio e buscar sempre se alimentar da forma mais saudável possível”, destaca.

Varie nas sopas com ingredientes nutritivos

A estação mais fria do ano  combina com sopas, caldos e cremes. Mas, embora possam ser muito saudáveis, dependendo dos ingredientes, podem surtir o efeito contrário e propiciar ganho de peso. Erika de Almeida orienta que, na hora do preparo, sejam evitados ingredientes ricos em carboidratos em uma mesma receita como, por exemplo, arroz, batata, mandioca e macarrão. Sendo assim, uma alternativa é acrescentar legumes e verduras nas sopas. Além de altamente nutritivos e saudáveis para a manutenção da imunidade, eles agregam mais sabor ao prato. Algumas opções são: brócolis, couve-flor, couve, acelga, cenoura e agrião.

Aposte na granola

Conhecidas por integrarem o café da manhã, as granolas são ótimas pedidas para o lanche da tarde e a refeição antes de dormir, de acordo com Erika. Com grãos que auxiliam o bom funcionamento do intestino, além de serem super saborosas.

Substitua o pão branco 

Para acompanhar as sopas típicas do inverno, as torradas e o pão branco são os queridinhos de muitos. No entanto, a sugestão é a substituição pelo pão integral com grãos e pelo pão sem glúten, opções mais saudáveis. 

Troque por integrais

O consumo de produtos integrais propicia o aumento da sensação de saciedade por conta das fibras que, por sua vez, previnem os exageros. Além disso, auxiliam o organismo na redução dos níveis de colesterol e de açúcar no sangue, e não contém açúcares nem gorduras, portanto, não provocam  aumento de peso. 

De olho no açúcar

Basta cair a temperatura e logo o consumo de bebidas quentes, como café e chás, ganha destaque. Mas é preciso, segundo Erika, cuidar na hora de adoçar a bebida. “Hoje em dia, existem outros substitutos ao açúcar branco. O ideal é tomar o líquido sem nenhum aditivo químico, no entanto, para quem gosta da bebida mais doce, algumas opções são o Stevine Líquido, um adoçante natural e com zero caloria, Açúcar Mascavo e Calda de Agave”, sugere. 

Alimentos com vitaminas 

No inverno, a vitamina C é fundamental, reforça Erika, pois atua nas células de defesa do organismo, fortalecendo os anticorpos e prevenindo gripes e resfriados. É encontrada em alimentos como: laranja, limão, goji berry, acerola, morango, brócolis, couve e cenoura. Já a vitamina E age diretamente como antioxidante e fortalece o sistema imunológico. Castanha do Pará, amêndoas e nozes, óleos vegetais, folhas verde-escuras, como rúcula, couve, agrião e espinafre são alimentos que contêm a vitamina. 



Sobre a Jasmine Alimentos

A Jasmine Alimentos é uma empresa referência em alimentação saudável. Com produtos categorizados em orgânicos, zero açúcar, integrais e sem glúten, a marca visa atingir o público que busca alimentos saudáveis de verdade e qualidade de vida. A operação da Jasmine começou de forma artesanal há 30 anos, no Paraná. A Jasmine está consolidada em todo Brasil e ampliando sua atuação para a América Latina. Desde 2014, a marca pertence ao grupo francês Nutrition et Santé, detentor de outras marcas líderes no segmento saudável na Europa.

Mais informações: www.jasminealimentos.com 




O juiz substituto da 3ª Vara Cível de Taguatinga confirmou liminar que determina a dono de cão que utilize coleira em seu animal, enquanto transitar pelas áreas comuns do condomínio onde mora. O réu deverá pagar multa de R$ 1 mil, em caso de descumprimento da decisão

Foto: João Marcos.

O Condomínio do Reserva Taguatinga, autor da ação, relata que o morador já foi notificado diversas vezes por transitar com o animal da raça rottweiler sem o uso de coleira e guia, como determinado pela convenção do prédio e pela legislação vigente.

O réu, por sua vez, afirma que a cachorra não é agressiva e que está sendo perseguido pelos vizinhos. Afirma que foi constrangido pelos funcionários do condomínio a passear com o filhote, que à época tinha 45 dias de vida, somente do lado de fora das instalações condominiais, sob a alegação de que não era permitido a permanência de animais nas áreas comuns. Aduz que está sendo tolhido do seu direito de ir e vir.

"Os vastos elementos de provas coligidos aos autos, dentre os quais várias imagens fotográficas e vídeos comprovam que o demandado realmente circula pelo condomínio e utiliza as áreas comuns da edificação com o seu animal de guarda, um cão Rottweiler, sem os devidos cuidados, postura que causa uma série de inconvenientes e coloca em risco a segurança e o sossego dos moradores e demais pessoas que circulam no condomínio, postura totalmente inadequada para o convívio comunitário", pontuou o magistrado.

O julgador destacou, ainda, que há nos autos boletim policial, segundo o qual o animal teria tentado atacar outro cachorro de menor porte, enquanto passeava novamente sem coleira com o tutor dentro do condomínio. Há também registro de outra ocasião em que o cão pulou na piscina em direção a uma criança. "Em todas as referidas situações, o animal de guarda, de porte significativo, está sem a focinheira, gerando evidente receio e risco às pessoas próximas", afirmou o juiz.

Sendo assim, o julgador concluiu que apesar da alegação do réu de que a rottweiler é mansa e do argumento de que não oferece risco concreto aos demais moradores, não é possível desconsiderar os atributos inerentes à raça e ao porte do animal, assim como a presumida possiblidade de comportamento hostil em determinada situação específica. A decisão destaca que, conforme preceitua a Lei Distrital nº 2.095/1998, os proprietários são responsáveis pelos cuidados básicos com os seus animais e pelos decorrentes danos causados a terceiros.

"O referido Diploma, ao dispor sobre proibições (art. 11), veda a permanência de animais soltos nas vias e logradouros públicos ou em locais de livre acesso ao público (inciso I). Noutro norte, permite a permanência de cães em locais acessíveis ao público apenas com coleira e guia, por pessoas com tamanho e força necessários a mantê-los sob controle (§ 1°)", esclareceu, por fim, o magistrado.

Dessa maneira, restou determinado que o réu deverá recorrer ao uso de coleira, guia curta e focinheira no cão, sempre que transitar pelas áreas comuns do condomínio, sob pena de multa de R$ 1 mil em caso de descumprimento.

Cabe recurso.

PJe: 0706761-18.2020.8.07.0007

 

As combinações corretas na hora de cozinhar permitem aos nutrientes dos alimentos a interação, o que melhora a absorção de todos pelo corpo
Créditos: Jasmine Alimentos


Não é de hoje que se fala em sustentabilidade na utilização dos recursos naturais do planeta. Tanto é verdade que, a cada ano, mais setores da economia têm investido em iniciativas que validem esse conceito em seus negócios e instituições. Com a área de alimentos não é diferente. A Gastronomia Sustentável está diretamente ligada à mudança nos impactos causados pelo consumo alimentar. Mas, na prática, o que significa Gastronomia Sustentável? 

De acordo com a engenheira de alimentos Erika de Almeida, o termo se refere ao maior consumo de alimentos nutritivos e funcionais, ao mesmo tempo em que estimula iniciativas que evitem desperdício de alimentos. “A gastronomia sustentável é um conjunto amplo de práticas que promovem melhorias não só na qualidade de vida das pessoas, mas, também, trazem benefícios ao meio ambiente. O setor de alimentos envolve, portanto, consumidores, produtores e varejistas, e se estende aos restaurantes e indústria alimentícia”, pontua. Ou seja, esse movimento mundial compreende toda uma cadeia produtiva: uso de energia, destinação correta de resíduos, diminuição de resíduos, coleta seletiva. São ações que afetam diretamente o clima do planeta.

A Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO) - agência especializada da ONU que lidera os esforços internacionais para erradicar a fome no mundo - estima-se que um terço de todos os alimentos cultivados seja perdido ou desperdiçado, uma quantia avaliada em quase US$ 3 trilhões. Por isso, o tema tem sido pauta constante da instituição, já que a gastronomia sustentável teria a força de promover desenvolvimento agrícola e a produção consciente de alimentos, além de fortalecer a conservação da biodiversidade e a segurança alimentar das comunidades. “No dia a dia, as pessoas podem promover essas ações ao apoiar a produção orgânica, escolher fornecedores locais e criar receitas que aproveitem os alimentos integralmente”, complementa a analista de pesquisa e desenvolvimento da Jasmine Alimentos.

Alimentação Funcional

A pandemia causada pela Covid-19 trouxe orientações e novos protocolos sanitários, como o distanciamento social. Com isso, home office e homeschooling tornaram-se palavras corriqueiras. O fato é que, com a mudança na rotina, as pessoas estão mais tempo dentro de suas casas e passaram a prestar mais atenção à alimentação, resgatando alguns hábitos saudáveis. Uma pesquisa realizada em julho de 2020, conduzida pela Galunion com a Qualibest, apontou que 93% dos brasileiros estão cozinhando e preparando sua própria

comida. Para a nutricionista da E4 e consultora da Jasmine, Fernanda Seiffer, “é aí que entra o conceito de gastronomia funcional, nada mais que técnicas culinárias usadas para preservar os nutrientes dos alimentos funcionais, aqueles que fornecem substâncias ativas para promover benefícios à saúde.”

De acordo com a nutricionista, a gastronomia funcional e culinária saudável passam  pela qualidade dos alimentos e métodos de produção, já que a consciência ambiental está associada às escolhas alimentares diárias. “Então, podemos destacar preocupações como a bioacessibilidade”, quantidade de um composto ativo ou nutriente liberado no trato gastrointestinal, tornando-se disponível para absorção e, ainda, a “biodisponibilidade alimentar”, porção de nutrientes desses alimentos que realmente são absorvidos e aproveitados pelo organismo”, finaliza Fernanda Seiffer, atentando que os nutrientes dos alimentos interagem entre si, de forma a melhorar ou piorar o processo absortivo. Por isso, a importância das combinações corretas na hora de cozinhar.

 

Sobre a Jasmine Alimentos

A Jasmine Alimentos é uma empresa referência em alimentação saudável. Com produtos categorizados em orgânicos, zero açúcar, integrais e sem glúten, a marca visa atingir o público que busca alimentos saudáveis de verdade e qualidade de vida. A operação da Jasmine começou de forma artesanal há 30 anos, no Paraná. A Jasmine está consolidada em todo Brasil e ampliando sua atuação para a América Latina. Desde 2014, a marca pertence ao grupo francês Nutrition et Santé, detentor de outras marcas líderes no segmento saudável na Europa.

Mais informações: www.jasminealimentos.com 


O regulamento do programa deve ser publicado ainda esta semana. Negociações à vista devem ocorrer pela internet e parcelamento em atendimento presencial previamente agendado


  Fotos: Jackson Rodrigues  
O prefeito Rogério Cruz anunciou que começa no início de julho o Programa de Recuperação Fiscal (Refis) 2021. A oportunidade de negociação de débitos com a Prefeitura de Goiânia vai até o mês de agosto e ofertará condições inéditas na história do município. Pela primeira vez Goiânia, por exemplo, vai parcelar sem juros e em até 60 vezes débitos relativos aos impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU/ITU), Sobre Serviços (ISS) e Sobre Transmissão de Imóveis (ISTI), além de taxas, créditos não tributários, como contratos, aluguéis, indenizações e restituições; multas formais e administrativas, tipo as aplicadas pelo Procon e pela Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma).

Há exceção, no entanto, para as multas de trânsito, cuja regulamentação é Federal, e em relação às que foram aplicadas por descumprimento das regras adotadas para contenção da pandemia do Coronavírus (Covid-19). Também são novidades a dispensa de pagamento de 10% de entrada nos casos de reparcelamento de dívidas e a remissão de 50% do débito principal em relação às taxas de Licença para feirantes, ambulantes, para exercício de comércio ou atividade eventual, para ocupação de vias públicas, funcionamento de estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviço. Esse mesmo benefício alcança, ainda, a Taxa de Renovação Anual de Cadastro de Permissionário, paga pelos que atuam no transporte escolar.

"Creio que a partir de segunda-feira já estaremos abrindo as portas para que as pessoas possam procurar a rede Atende Fácil ou o site da Prefeitura para participar do Refis. Não tenho dúvidas de que teremos uma grande adesão porque este é um Refis diferente dos demais, ele é mais vantajoso do que todos os outros. Estamos dando as melhores oportunidades para que as pessoas e as empresas possam reajustar a vida econômica", avalia o prefeito Rogério Cruz. Inclusive, essa rodada de negociação com os devedores faz parte do pacote de medidas adotadas pelo chefe do Executivo goianiense para mitigação do impacto socioeconômico da pandemia do Coronavírus. Com taxa de inadimplência tributária de em média 30%, ao todo a carteira da Dívida Ativa da Prefeitura de Goiânia tem 423.827 títulos, entre impostos, taxas, multas e outros créditos que, juntos, somam R$ 8,3 bilhões. Os grandes débitos, quando superiores a R$ 100 mil, representam cerca de 85% desse total.

Descontos
Durante o Refis, os contribuintes vão poder negociar débitos à vista com até 99% de desconto em multas e juros provocados pela situação de inadimplência ou parcelar a dívida em até 60 vezes sem juros, desde que o valor mínimo mensal seja superior a R$ 100. Nos casos de pagamento à vista, a liquidação dos débitos será feita pela internet, por meio do site da Prefeitura de Goiânia. A plataforma vai gerar o Documento Único de Arrecadação Municipal (Duam) já com os 99% de desconto. Já em relação aos parcelamentos, as negociações, com descontos que oscilam entre 90% e 70%, de acordo com o número de parcelas, serão apenas presenciais, mediante agendamento prévio para atendimento na rede Atende Fácil.

O último Programa de Recuperação Fiscal promovido pela Prefeitura de Goiânia ocorreu há mais de dois anos, entre os dias 1º e 12 de abril de 2019. Em 2020, o poder público municipal apenas aderiu à Semana Nacional da Conciliação, uma ação organizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que ocorre simultaneamente em todo o país. Nela, no entanto, há menor flexibilidade quanto às condições de negociação da dívida e maior restrição em relação aos débitos que podem ser negociados.

Saiba Mais: Os descontos oferecidos durante o Refis 2021

Multa e juros decorrentes do atraso

99% de desconto para pagamento à vista

90% de desconto para parcelamentos em até 20 vezes

80% de desconto para parcelamentos entre 21 e 40 vezes

70% de desconto para parcelamentos entre 41 e 60 vezes

Remissão de 50% no débito principal

Taxa de Licença para: exercício de comércio ou atividade eventual, feirante, ambulante, ocupação de áreas em vias públicas, funcionamento de estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviço

Taxa de Renovação Anual de Cadastro de Permissionários (transporte escolar)

Multas administrativas

Multas formais



O Plano de Saúde do GDF Saúde pode ajudar a desafogar o SUS e a proporcionar mais qualidade para os servidores do GDF e seus dependentes, que não têm condições de pagar por um plano de saúde convencional. Os beneficiários do GDF Saúde têm à disposição rede credenciada com sete hospitais gerais, 12 hospitais especializados, quatro laboratórios e quase duas mil clínicas



O Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal - INAS foi criado com a finalidade de proporcionar o novo plano de saúde dos servidores, o GDF SAÚDE e implementar suas premissas fundamentais focadas na assistência, na melhoria da qualidade de vida e na orientação para atividades saudáveis de seus beneficiários.  

São dois hospitais de referência que passam a fazer parte do GDF Saúde. Segundo informações do Sírio-Libanês, os beneficiários do GDF Saúde podem dispor de atendimento ambulatorial (consulta e tratamento) em oncologia, hematologia, OncoHematologia pediatra, radioterapia e diagnóstico por imagem. Já no DF Star, estão à disposição dos beneficiários atendimentos na área de Oncologia, realizados pelo Instituto Brasiliense de Oncologia Clínica. Atualmente, o GDF Saúde já dispõe de uma rede credenciada composta por sete hospitais gerais, 12 hospitais especializados, quatro laboratórios e quase duas mil clínicas.

Ney Ferraz explica que, em junho do ano passado, em meio à pandemia do coronavírus, recebeu do governador Ibaneis Rocha a missão de tornar realidade o plano de saúde dos servidores públicos do Distrito Federal e, com isso, ajudar a salvar vidas. "As ordens foram claras e objetivas: atender a uma antiga reivindicação dos servidores, ampliar a oferta de serviços de saúde e desafogar o Sistema Único de Saúde (SUS). Hoje, passados seis meses após o lançamento do plano e graças a uma bem-sucedida parceria com o BRB, o GDF Saúde é uma realidade", afirmou.

Mais de 38 mil servidores já aderiram ao plano e está em curso a adesão da Polícia Civil. "Nesse período, já superamos a marca de mais de 5 mil consultas ambulatoriais, de mais de 3 mil consultas de emergência, de mais de 46 mil exames e de mais de 300 internações", revela.

A Associação dos Delegados do DF e o Sindicato dos Policiais Civis aderem ao plano dos servidores do Distrito Federal. O Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal – Inas, a Associação dos Delegados do DF e o Sindicato dos Policiais Civis, assinaram nesta terça-feira (29), convênio para adesão ao plano GDF Saúde. Com o convênio assinado nesta terça-feira (29) vai ajudar a desafogar o SUS.

Com a celebração do convênio, 40 mil vidas, entre elas, policiais civis, delegados e suas famílias passarão a ter direito ao benefício que dependia da resolução de um impasse no Fundo Constitucional (FCDF), que é gerido pela União.

No mês de abril, os deputados distritais aprovaram a inclusão dos policiais civis no plano que foi prontamente sancionado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). A parceria entre o INAS e as forças policiais civis tornou-se possível após o consenso em relação aos descontos das mensalidades e das coparticipações por parte dos policiais.

O instituto disponibilizará a plataforma para as adesões o mais rápido possível para que os policiais e suas famílias possam usufruir do plano.

Para o presidente do Inas, Ney Ferraz, essa conquista irá desafogar o Sistema Único de Saúde (SUS) e encaminhará a corporação para os hospitais privados, levando tranquilidade aos policiais e suas famílias. "Estamos dando mais um passo para, nesse momento tão difícil de pandemia, poder ajudar a não só dar saúde, mas sim salvar vidas, no caso em especial da polícia civil".

6/30/2021 02:24:00 PM


Durante a sessão extraordinária remota da Câmara Legislativa do Distrito Federal, foi aprovado o projeto de lei nº 660/2019, de autoria do deputado Martins Machado (Republicanos), que institui diretrizes para a Política Distrital de Incentivo à Geração de Energia nas unidades do sistema penitenciário, sendo a participação dos presos totalmente opcional. A proposição segue para sanção do governador Ibaneis Rocha

Foto: Flávia Aguiar.

Segundo o projeto, o objetivo da política é a "geração de energia elétrica pelos detentos, por meio do uso de bicicletas estacionárias, para armazenamento em baterias que permitam o seu aproveitamento para fins de iluminação das unidades do sistema penitenciário e para colaborar na redução de pena". O texto também prevê o estímulo à conversão das pedaladas dos presos em energia elétrica, a ser comprada pela Companhia Energética de Brasília - CEB e o valor será usado para reduzir a conta de luz que é paga mensalmente por cada unidade prisional.

O parlamentar ressalta que alguns municípios de Minas Gerais possuem iniciativas semelhantes, a exemplo de Santa Rita do Sapucaí. Em Sete Lagoas, a economia é de aproximadamente 5% na conta de luz do presídio. "Será uma opção para reduzir a pena, além de praticar uma atividade física e contribuir para gerar a iluminação das unidades do sistema penitenciário, minimizando dessa forma o gasto que o Estado tem nos presídios", pontuou Martins Machado. Segundo o projeto, a cada 16 horas pedaladas voluntariamente, o preso terá um dia de redução na pena.



 A data limite para as inscrições dos cursos gratuitos de qualificação profissional do Senac-DF vai até esta terça-feira (29). O 15º edital do Programa Senac de Gratuidades disponibilizou 5.555 vagas, em 76 cursos de qualificação profissional  

Foto: Daniel Alcântara.

Desse total, ainda restam pouco mais de 2,5 mil vagas. A inscrição deve ser feita no site: df.senac.br/inscrição-psg/. Para garantir a vaga, o estudante precisa cumprir os requisitos, entre eles: possuir renda familiar per capita de até dois salários-mínimos e não ter evadido ou desistido de outros cursos do PSG, com prazo igual ou inferior a um ano da data de evasão ou desistência.

Os cursos contam com opções online e presencial. Por conta da pandemia, o Senac investiu em tecnologia para os alunos poderem usufruir dos cursos online com conforto e qualidade. Nos cursos presenciais, que demandam um aprendizado prático, como é o caso dos cursos de beleza e gastronomia, por exemplo, o Senac segue todos os protocolos formulados pelas esferas públicas de saúde.

A classificação dos inscritos obedecerá aos seguintes critérios: atendimento aos requisitos de acesso, ordem de inscrição e quantidade de vagas ofertadas no curso escolhido. O resultado da classificação será divulgado no dia 16 de julho no site do Senac-DF. O período de matrícula vai de 17 a 23 de julho. Mais informações: 3313 8877.

6/30/2021 01:00:00 AM


Imunização contra Covid-19 em pessoas com endereço do DF ocorre em todo Estado. Situação é mais comum na região do Entorno. "Não é possível barrar vacinação de brasilienses do ponto de vista legal e, acima de tudo, moral", diz governador Ronaldo Caiado



Goiás aplica 82.103 doses de vacina contra Covid-19 em moradores do Distrito Federal: princípio da universalidade do SUS garante imunização fora da cidade de origem (Foto: SES-GO)

O Governo de Goiás aplicou 82.103 vacinas contra a Covid-19 em pessoas com endereço do Distrito Federal (DF). Destas, 64.666 referentes à primeira aplicação, 17.360 ao reforço e 77 receberam imunizante de uma única dose. Para esse levantamento, foram consideradas as informações inscritas no Cartão Nacional de Saúde. Recentemente, o governador Ronaldo Caiado comentou que "não é possível barrar a vacinação de brasilienses do ponto de vista legal e, acima de tudo, moral".

O registro de moradores ocorre em todo o Estado, entretanto, pela proximidade com Brasília, as Regiões de Saúde do Entorno Norte e Sul são as com mais casos de imunização de brasilienses. De acordo com os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), em especial o da universalidade, as pessoas podem se vacinar fora das cidades de origem. "Jamais admitiria que esse princípio fosse quebrado", ressaltou Caiado.

Nesta semana, o Estado iniciou uma nova etapa da campanha que visa acelerar a aplicação das vacinas nos municípios goianos. O governador Ronaldo Caiado confirmou, nas redes sociais, uma mudança na estratégia de imunização. "90% das vacinas que chegarem serão aplicadas nos municípios por faixa etária. 10% destinam-se a grupos específicos", informou.

O secretário de Estado da Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, reforçou que será possível avançar ainda mais na imunização. "As vacinas podem ser utilizadas para grupos específicos de acordo com a realidade do município. Pelo menos 90% das doses, o que pode chegar a 100%, avançarão por ordem decrescente de idade", pontuou.

Balanço

O Governo de Goiás, em parceria com as prefeituras municipais, já imunizou 244.802 pessoas no Entorno do Distrito Federal com a primeira dose das vacinas contra a Covid-19. Em relação ao reforço, 71.297 receberam a aplicação. Ao todo, foram distribuídos 434.034 imunizantes aos 15 municípios que contornam a capital federal e as cidades-satélites.

A Região de Saúde do Entorno Sul, que abrange os municípios de Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Cristalina, Luziânia, Novo Gama, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás, teve 226.836 vacinas aplicadas contra a Covid-19, das quais 173.760 para primeira dose e 52.970 para reforço.

No Entorno Norte, constituído pelos municípios de Água Fria de Goiás, Alto Paraíso, Cabeceiras, Flores de Goiás, Formosa, Planaltina, São João D'Aliança e Vila Boa, foram aplicados 94.461 imunizantes, sendo 75.756 para a primeira aplicação e 18.705 para segunda.



O horário de atendimento do protocolo é das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira

Foto: Marcelo Paulo.

Com o objetivo de proporcionar maior agilidade no atendimento aos usuários, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal retomou o serviço de protocolo, sem agendamento, em quatro unidades: Sede, Taguatinga, Vadel e Gama. O horário de atendimento do protocolo é das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira. Além disso, o atendimento em sistema drive-thru continua funcionando, na unidade do Shopping Popular.

O cidadão também pode utilizar os serviços de protocolo sem sair de casa, pois continua sendo prestado o atendimento por e-mail, mediante o envio de requerimento específico devidamente assinado e digitalizado, juntamente com toda a documentação exigida para o endereço eletrônico nudoc@detran.df.gov.br.



A Prefeitura de Goiânia vacinou nesta terça-feira (29/6) 2.124 profissionais no Drive da Imprensa. A ação realizada no Shopping Passeio das Águas envolveu equipes da saúde com 39 vacinadores, das 8h às 16h



O atendimento aos profissionais contemplou repórteres, fotógrafos, produtores de redação, motoristas dos veículos de imprensa, assessores de imprensa e estagiários destas áreas que atuam na linha de frente. O número de pessoas atendidas ultrapassou a expectativa inicial de 2 mil profissionais.

Fotos: Luciana Gomides.

"Precisamos reconhecer o árduo trabalho destes trabalhadores para levar informação de credibilidade à população, sem parar nenhum dia ao longo da pandemia, nos auxiliando também no combate às fake news", apontou Durval

Pedroso, secretário municipal de saúde. "Parabenizamos, também, nossas equipes que desenvolveram um trabalho organizado que, apesar do  número de pessoas, fluiu normalmente ao longo do dia", prosseguiu.

A ação específica para os profissionais foi encerrada hoje, mas aqueles que, porventura, não puderam se vacinar, poderão agendar seu atendimento pelo aplicativo Prefeitura 24 horas mediante a chegada de novas doses. Basta fazer o cadastro pela ferramenta, assinalando a profissão correspondente.



A Câmara Legislativa iniciou a semana com a discussão do projeto de lei nº 1.461/20 de autoria do vice-presidente da Casa, deputado Delmasso (Republicanos) que reconhece a Feira dos Importados como de relevante interesse cultural, social e econômico. A proposta foi tema de audiência pública remota, na manhã desta segunda-feira (28), com a presença de representantes dos feirantes

Foto: Renato Lopes.

Ao apresentar o texto, Delmasso explicou que o reconhecimento da relevância da feira, por meio de lei, vai permitir a elaboração de normativos específicos "para a proteção do local e de sua atividade econômica". O parlamentar informou que o projeto já passou pelas comissões de Assuntos Sociais (CAS) e de Educação, Saúde e Cultura (CESC) e que deve ser votado, em plenário, no segundo semestre.

A proposta agradou os participantes da audiência. Damião Soares, presidente da Cooperativa dos Feirantes da Feira dos Importados, destacou que o centro comercial existe há 22 anos e que possui 2,1 mil lojas, envolvendo 10 mil empregos diretos e indiretos. "Precisamos do apoio do governo para melhorar o entorno e a acessibilidade, além de realocar o ponto de táxi", apontou.

O empresário Márcio Araújo, conhecido como Márcio dos Feirantes, argumentou que a Feira dos Importados já é um ponto turístico do Distrito Federal e defendeu a instalação de um posto de atendimento ao turista no espaço. Ele sugeriu, ainda, a mudança da área de carga e descarga da feira e a disponibilização de ônibus-circular da rodoviária do Plano Piloto para o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), onde está a feira.

A administradora regional do SIA, Luana Machado, reforçou a importância da Feira dos Importados, destacando que uma média de 17 mil pessoas circulam, diariamente, pelo local: "As pessoas vão atrás de produtos de tecnologia, óculos, brinquedos; é um dos maiores centros comerciais do mundo, perdendo apenas para a Rua 25 de Março, em São Paulo, e para o centro comercial da China". Machado disse acreditar que o reconhecimento da relevância da feira, por lei, "vai permitir um cuidado, um olhar mais de perto para os mais de dois mil empresários da área".

Com informações do Núcleo de Jornalismo da CLDF

6/29/2021 11:23:00 PM


Técnicos aprovados no concurso de 2018 procuraram o gabinete de Delmasso para viabilizar nomeações



O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Delmasso (Republicanos) enviou o ofício 340/2021 a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha, pedindo pela nomeação dos aprovados no concurso de 2018 para o cargo de Técnico na especialidade de Agente Social da pasta. A comissão de aprovados procurou o gabinete de Delmasso pedindo ajuda com as nomeações.

Delmasso considera que as contrações dos agentes aprovados é de fundamental importância para a sociedade do DF em tempos de pandemia, "é exatamente nesse momento que a Secretaria precisa ser fortalecida com a nomeação de novos servidores efetivos, visto que no período pandemia e pós pandemia a assistência social deve estar preparada para atender esse público que sofreu e que vai buscar auxílio do Estado", afirmou.

O deputado também pontuou que cerca de 60 mil pessoas aguardavam, até março do presente ano, o agendamento da Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDES), devido à falta de servidores para atender a população, o que reforça ainda mais a necessidade de nomeação.

Para viabilizar a nomeação, é necessário que houvesse vacâncias na secretaria. Isto porque não é permitido o aumento de despesas com pessoal durante o período de pandemia do novo coronavírus.

Nesse sentido, foi realizado um levantamento pelo gabinete e verificou-se, junto ao sindicato responsável, que houve 350 vacâncias do cargo de Técnico de Assistência Social. Além disso, o gabinete também verificou-se que há disponibilidade orçamentária em 2022 para a nomeação dos servidores.

6/29/2021 05:35:00 PM


A Câmara Legislativa do Distrito Federal irá promover nesta quarta (30/6) uma audiência pública remota para discutir as principais necessidades da carreira de Assistência à Educação. A autoria é do deputado João Cardoso (Avante), que acaba de protocolar na Casa dois projetos de lei destinados à categoria. Reunião será transmitida, ao vivo, pelo canal da CLDF no Youtube.

Professor da Secretaria de Educação, o parlamentar defende, no projeto de lei 1.912/2021, a alteração do nível de escolaridade exigido para o ingresso no cargo de Agente de Gestão Educacional; assim como no projeto de lei 1.913/2021, voltado para o cargo de Técnico de Gestão Educacional, que passaria a ser denominado Analista Técnico de Gestão Educacional. 

De acordo com João Cardoso, o objetivo da iniciativa é destacar a importância do reconhecimento e progressão funcional da carreira de Assistência à Educação para a manutenção dos serviços públicos em favor da comunidade escolar.

"Ressaltamos que é sempre relevante a valorização do serviço público, principalmente considerando a área da educação, que é a base de todas as demais. O debate contribuirá na construção de um diálogo frutuoso entre os atores participantes, favorecendo assim uma melhor prestação de serviços para a população", afirma.

Serviço:
Audiência pública sobre a carreira de Assistência à Educação
Data: 30 de junho de 2021 (quarta)
Hora: 19h
Mais informações: 61 3348-8060 / gabinetejoaocardoso@gmail.com

Aos 60 anos, Torben Grael quer incentivar prática de esportes náuticos em Goiás (Foto: Divulgação) 

Bicampeão olímpico na modalidade da vela vem a Goiânia nesta quarta-feira, 30 de junho, para formalizar parceria para implantar marina no Lago Corumbá IV

Coordenador técnico da seleção brasileira de vela desde 2013, o bicampeão olímpico Torben Grael se prepara para comandar a equipe na disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho, no Japão. Dono das medalhas de ouro em Atenas, em 2004, e Atlanta, em 1996, ele possui ainda uma prata (Los Angeles, em 1984) e dois bronzes (Seul, em 1988, e Sydney, em 2000). Antes de embarcar para a capital japonesa, no dia 3 de julho, o velejador de 60 anos faz uma parada em Goiânia nesta semana para dar continuidade ao projeto de disseminar a cultura da vela no interior do Brasil.

Torben escolheu o Lago Corumbá IV, no município de Abadiânia, para a construção da próxima marina da Intermarinas, empresa que ele comanda ao lado dos sócios Klaus “Cacau” Peters e Alejandro Comas, também velejadores. A infraestrutura de navegação fará parte do Escarpas Eco Parque, condomínio de lazer e aventura que está em implantação às margens do lago, e vai oferecer uma gama completa de serviços para embarcações. Segundo o bicampeão olímpico, o Brasil tem potencial de sobra para continuar se destacando nas principais competições, e o desenvolvimento dos esportes náuticos no interior do país pode contribuir para consolidar esse cenário.

“Nós temos presenciado uma expansão muito grande da vela como opção de lazer, e isso consequentemente desperta o interesse nas pessoas pela modalidade. Já temos diversos clubes especializados muito consolidados no Brasil, e agora precisamos expandir a presença da vela para outros centros. As marinas privadas podem contribuir muito com isso, principalmente ao permitir o contato das novas gerações com o esporte. O Brasil ainda tem um caminho enorme pela frente na disputa dos esportes náuticos, com potencial para conquistar cada vez mais títulos e medalhas”, define o bicampeão olímpico.

Na quarta-feira, 30 de junho, às 19 horas, ele assina termo de intenção de parceria com os empreendedores do Escarpas Eco Parque para a implantação da marina em encontro agendado no Saccaria, no Setor Jardim Goiás. Na quinta, 1º de julho, ele faz visita in loco ao Lago de Corumbá IV para dar início aos estudos de viabilidade técnica para a execução do projeto.

Torben Grael com os filhos, os também velejadores Martine Grael e Marco Grael (Foto: Jonne Roriz)

A vela é uma das três modalidades que mais renderam medalhas ao Brasil na competição internacional, com destaque para atletas como Martine Grael, filha de Torben, e Robert Scheidt. Para Torben, a proximidade do Lago Corumbá IV com Brasília tem tudo para atrair o público da capital federal, um dos principais centros da vela no Brasil, e consolidar uma nova geração de adeptos da prática. A infraestrutura a ser construída oferecerá guarda-barcos, preparação de embarcações e manutenção, além de contar com mall e outros serviços ligados à navegação.

“Estou muito entusiasmado com essa sinergia entre a Intermarinas e o Escarpas. Em qualquer espelho d’água que comporte o mínimo de navegação, é aconselhável ter uma marina com instalações que ofereçam a estrutura necessária. Teremos uma infraestrutura completa de serviços, e com certeza despertarão o interesse do pessoal de Brasília e Goiânia e cidades vizinhas. Ela poderá contemplar tanto quem busca diversão e lazer quanto quem tem aspirações para uma carreira nos esportes náuticos”, avalia Torben.

O bicampeão olímpico também ressalta a importância da interiorização na prática da vela e de outros esportes náuticos. Apesar de a prática ainda estar muito associada às cidades litorâneas, em especial o Rio de Janeiro, Torben destaca que muitos centros importantes já se destacam em localidades como a Represa de Guarapiranga, em São Paulo, o Lago Paranoá, em Brasília, e o Circuito do Lago Três Marias, na região central de Minas Gerais. Pelas dimensões grandiosas, com 173 quilômetros quadrados de área alagada, o Lago Corumbá IV também tem muito potencial para se juntar a este cenário.

“A vela é um esporte completamente ligado à natureza, o que se encaixa perfeitamente ao Lago Corumbá IV e à proposta do Escarpas. É muito importante fomentar essa cultura náutica no interior do Brasil. Nosso país tem muitos reservatórios, barragens e lagos artificiais que são totalmente favoráveis à navegação. Muitos deles, inclusive, são maiores do que as baías naturais que temos. Então, nada mais natural do que esportes como a vela e a canoagem se desenvolverem nestes lugares”, frisa o velejador.

O desenvolvimento dos esportes náuticos e a oferta de serviços ligados à navegação também causam impacto positivo nas economias locais, como destaca Torben. “Há uma enorme gama de serviços agregados que são movimentados por uma marina: abastecimento, manutenção de motores, pintura, parte elétrica, limpeza das embarcações. Temos ainda a organização de competições e eventos, a demanda por pilotos particulares, entre diversos outros. Então, há uma oportunidade muito grande para se desenvolver a economia local em torno desse segmento”.

Torben Grael se prepara para comandar a seleção brasileira de vela em Tóquio (Foto: Reprodução / Instagram)



Primeiro bairro planejado de Águas Lindas de Goiás, Jardim do Éden poderá receber até 1.280 famílias (Foto: Divulgação)

Com a primeira etapa já entregue a 340 proprietários, o Jardim do Éden começa a ganhar as primeiras casas e a ver a vida acontecer. Este é o primeiro bairro planejado de Águas Lindas de Goiás, projetado para ocupar um vazio urbano e receber 1280 famílias, quando as quatro etapas do empreendimento forem concluídas.

Esse será o primeiro residencial com infraestrutura completa: água encanada, rede elétrica, asfalto, praça, rede esgoto, galeria pluvial e asfalto. Rodrigo Lima, sócio do grupo empreendedor, explica que o Jardim do Éden foi desenvolvido para trazer planejamento urbano e qualidade de vida à população.

“Temos tradição em realizar o desenvolvimento urbano em inúmeras cidades goianas e de outros estados e sempre primamos pelo cumprimento de nossas obrigações com os órgãos licenciadores e compromissos com o público”, diz ele.

A urbanização implica em muitos passos, que começa com obras de terraplanagem, passa por obras subterrâneas de tubulação para fornecimento de água, escoamento das chuvas, e obras de energia.

Primeira etapa já entregue a 340 proprietários, e o Jardim do Éden começa a ver a vida acontecer (Foto: Divulgação)

Bairro já está iluminado

Atualmente, quem passa de noite pelo Jardim do Éden pode conferir as ruas iluminadas. Mas, para que isso se tornasse realidade, os incorporadores fizeram o projeto de iluminação pública e aprovaram junto à Enel, que acompanhou cada passo da obra, desde a compra de materiais até a execução da obra. “No final, eles fazem a vistoria e entregam a autorização de ligação”, explica o engenheiro fiscal da obra, Lucas Soares Mruk.

Mesmo após essa autorização, a loteadora realizou a revisão em todo o sistema de iluminação a partir da constatação de que o bairro estava escuro mesmo tendo a Enel aprovado e vistoriado a obra de iluminação pública. Foram realizadas a troca de lâmpadas e relês. “São contratempos que acontecem, mas estivemos atentos para identificar o problema e realizar uma solução com rapidez”, destaca Lucas.

Pandemia gera atraso na aprovação de projeto de poço para abastecimento no bairro


Outra solução que o grupo empreendedor está proporcionando é o fornecimento de água para os moradores e proprietários do Jardim do Éden enquanto a Saneago não aprova o projeto para perfuração do poço que irá atender ao bairro.

O atraso na aprovação se deu em razão da pandemia, que acabou gerando afastamentos e o ritmo dos serviços em razão dos decretos de restrição de atividades.

“A demanda do órgão cresceu e nós entramos numa fila”, explica Rodrigo Lima. Enquanto aguarda a autorização para executar a obra do poço artesiano que alimentará as casas, o grupo empreendedor está comprando água para os moradores. O reservatório de água potável, que tem capacidade para atender a mais de 1200 famílias, está cheio e é suficiente para as 30 casas que já estão prontas. Caminhões pipas estão fornecendo água não-potável para consumo não humano.

Lucas explica que, para ter acesso à água por parte do empreendedor, é preciso providenciar a ligação ao reservatório, que é uma obrigação contratual de cada proprietário. Para obras em fase inicial, que normalmente ainda não solicitaram a ligação, o grupo empreendedor está abastecendo por meio de caminhões pipa os reservatórios particulares para não atrapalhar as construções.

Foto aérea do Jardim do Éden: primeira de quatro etapas já está concluída (Foto: Divulgação)





Incentivar e investir na formação musical de crianças e adolescentes das escolas públicas da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Esse é o principal objetivo do Projeto Música nas Escolas, que chega a 15ª edição com muitos motivos para comemorar. Com a primeira turma iniciada em 2005, a iniciativa só teve uma breve pausa, no início da pandemia, para a adaptação ao formato on-line, executado no decorrer de 2020, continuando firme no trabalho neste ano de 2021, com a marca de mais de 1000 alunos atendidos, o que mudou a história de vida  de  muitos  deles. 


Dentre os muitos profissionais da música que passaram pela iniciativa, há  várias  histórias  que merecem  ser  contadas,  como  a  da  Joice Coutinho (25), que é formada em Música pela UFMG, iniciou a sua jornada na área musical aos 10 anos de idade por meio do Projeto Música nas Escolas. "Meu pai era funcionário da Vallourec e, após ver um anúncio no jornal interno da empresa, minha mãe se interessou em matricular meu irmão e eu. Passamos pelo processo de seleção e, no dia em que nos apresentaram os instrumentos, foi amor à primeira vista. Levaram uma orquestra, e quando vi a apresentação da viola, fiquei apaixonada. Por ser diferente, me instigou e eu fiquei encantada com o som. Naquele instante, eu decidi o que queria para a minha vida", conta a jovem.


Muito grata por tudo o que o Música nas Escolas proporcionou a ela, Joice Coutinho credita à iniciativa grande parte do seu crescimento pessoal. "O projeto foi importante em várias áreas. A mais notável foi a escolha da profissão que escolhi para a minha vida, mas vai muito além disso, pois ajudou a me formar como pessoa. Se não fosse a iniciativa, eu não teria conhecido a viola e não teria ingressado no meio musical", explica a profissional da música, que hoje integra a Orquestra Ouro Preto, se apresenta em eventos diversos, ministra aulas e, inclusive, namora com um músico que conheceu durante a sua graduação e, por coincidência, hoje é professor do Música nas Escolas.


A jovem Joice Coutinho, que integrou a primeira edição do Música nas Escolas, é apenas um dos muitos casos de sucesso que passam pela iniciativa. De acordo com José Roberto Lages, um dos coordenadores do projeto, os mais de 15 anos de atuação podem ser resumidos em uma palavra: satisfação. "Promovemos gratuitamente a formação musical, a socialização, o crescimento pessoal e formação profissional de inúmeras crianças e adolescentes, que acabam se tornando profissionais na música e referências para os novos alunos. Ao vermos os vários exemplos inspiradores, ficamos muito orgulhosos e motivados para trabalhar na continuidade do projeto", diz.


O outro coordenador do Projeto Música nas Escolas, José Roberto Alvarenga, destaca uma consequência positiva do trabalho de toda a equipe: a minimização do risco social. "Com as crianças e adolescentes engajados e empenhados em aprender música e a tocar instrumentos, é perceptível a evolução dos participantes em diversos aspectos, como a disciplina, melhora no rendimento escolar, a valorização da educação, da escola e do trabalho em equipe. E vários integrantes do projeto acabam decidindo seguir a trajetória na área da música e se tornam profissionais atuantes em orquestras, casamentos e outras apresentações diversas e que hoje são inspiração para as novas turmas", explica o profissional.


A geração de emprego e renda são as maiores contribuições do Projeto Música nas Escolas para a sociedade. "O nosso trabalho vai além do ensinar a tocar algum instrumento. Com uma base teórica bem construída e uma equipe formada por profissionais que são atuantes na área cultural, mostramos aos nossos alunos que a área musical oferece múltiplas oportunidades que podem ser aproveitadas por eles, como o segmento de casamentos, formaturas e orquestras", salienta José Roberto Lages, que ainda menciona o fato de diversos participantes poderem ter uma formação orquestral, o que é uma espécie de estágio numa orquestra, o que proporciona experiência e favorece o currículo. 


Sobre o Projeto Música nas Escolas

Inspirado no maestro Heitor Villa Lobos, um dos primeiros a introduzir a música nas escolas, o Projeto teve início em 2005, numa iniciativa da Imago Mundi Cultural. O Música nas Escolas incentiva e investe na formação musical de crianças e adolescentes, de escolas públicas, moradores da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Por meio de concertos didáticos e cursos de formação musical, eles têm acesso à história de grandes compositores da música erudita e popular, têm aulas de teoria musical, história da música e apreciação musical.


O Projeto Música nas Escolas foi idealizado e é produzido pela Imago Mundi Cultural, que tem a frente José Roberto Alvarenga e José Roberto Lages. A Orquestra Jovem Vallourec, a Orquestra Jovem da Escola Estadual Padre João Botelho e a Camerata fazem parte do projeto, que já realizou mais de 350 apresentações para cerca de 100 mil espectadores em eventos culturais, escolas, creches, hospitais, metrôs e praças da capital e do interior de Minas Gerais.


Ao ingressarem no projeto, os alunos participam de aulas diárias e gratuitas de instrumentos musicais à sua escolha, como: violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta transversal e doce, trompete, fagote, oboé e percussão. As aulas são ministradas por 15 professores contratados da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que os aproximam do universo da música erudita e popular.


Depois de anos estudando e respirando música, muitos jovens continuam no projeto aperfeiçoando-se e atuando como multiplicadores do conhecimento adquirido. A qualidade do planejamento pedagógico e da formação musical também favorece a atuação de vários integrantes das orquestras em grupos profissionais, fora do âmbito do projeto, propiciando a geração de emprego e renda para os jovens músicos, assim como o ingresso de vários deles em conceituadas universidades.


A 15ª edição do Projeto Música nas Escolas é patrocinada pela Vallourec através das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.


Mateus Senna Favero*


Em “O mito de Sísifo”, Albert Camus alega que a questão crucial da filosofia é: vale a pena para o ser humano, ao constatar a realidade que se lhe oferece, viver? Ou seria melhor matar-se? O existencialista francês é enfático ao afirmar que o suicídio não é o caminho para fugir do sofrimento. Isso porque buscar a morte é imaginar que algo pode ser melhor que a vida; é ter esperança de que a dor acabará. Ora, a esperança já não nos cabe, mas sim o absurdo. 

Há pouco mais de um ano, surgia como antagonista da narrativa humana o novo coronavírus. Dentre todos os problemas pelos quais nós, brasileiros, temos passado nos últimos tempos, jamais se poderia crer que a Covid-19 chegaria para tomar cena e, como numa novela das nove em que a audiência está em queda, mudasse completamente o enredo para clamar por uma atenção que estava voltada a uma figura malfazeja, deselegante e nada carismática. Como se tal épico às avessas pudesse piorar, esse personagem, com medo da deposição, decidiu aliar-se à trama do novo vilão. Desde então, nossas vidas, de cinza, chegaram ao extremo breu. Sozinhos no escuro, qual bichos-do-mato. 

No início, o histórico cristão, o romantismo, o excesso de literatura distópica de má qualidade nos fez pensar que a chama da comunhão, o amor entre os semelhantes e a coragem nos salvariam do mal que nos rondava. Mas não tardamos a perceber que os tentáculos daquilo que enfrentamos eram compostos por muitos mais do que supúnhamos, uma evolução antropomórfica de Cthulhu, o horror que nem Lovecraft poderia criar.

Mas não se trata apenas de descrença, já que a fé, a esta altura, é pura ignorância. Simplesmente a vida como ela é. E agora? Não adianta querer morrer em um mar de lágrimas. Não adianta querer fugir no cavalo amarelo. O que nos sugere então Camus sobre vivermos embebidos no licor venenoso da trágica condição humana? Resistir. Foi o que fez Sísifo, ao ser condenado a carregar aquela pedra pela eternidade, afinal, “não há destino que não se supere com o desprezo”.

Imaginemos a insatisfação dos ególatras deuses do Olimpo ao verem sua criatura negando-se a sofrer com o castigo que lhe impuseram. Falcão, ex-líder do grupo O Rappa, grita a essência do homem absurdo camuniano, sua vontade era de “explodir”, ele “ia explodir, mas eles não vão ver os meus (os nossos) pedaços por aí”. Enquanto resistirmos, eles, esses abutres que hoje nos rodeiam, passarão. 

Viver no absurdo é constatar a realidade e enfrentá-la. Da maneira que quiser, mas enfrentá-la. No meu caso, opto pelo que sugeriu o agora saudoso Paulo Gustavo, rindo. Assim como Sísifo despertou a ira dos deuses que não o puderam vencer nem mesmo com a pena eterna, nos meus (nos nossos) algozes desejo identificar o semblante rancoroso dos que, ao descobrirem que o mundo, apesar de suas enfadonhas tentativas, um dia (não sei quando) voltará a ser uma mistura de cores, culturas, valores, risos e vidas que eles tanto julgam degenerados. A essas pedras, no caminho e sobre nossas costas, deixo o meu mais mordaz e singelo riso de deboche, porque sei que, apesar delas, amanhã é outro dia. 

*Mateus Senna Favero é professor e corretor de Redação do Ensino Médio do Colégio Positivo.

 

**Artigos de opinião assinados não reproduzem, necessariamente, a opinião do Colégio Positivo.

Gabriel Schulman*


Em agosto, começam a valer as punições inauguradas pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Para dar encaminhamento ao tema, no final de maio, a Autoridade Nacional de Proteção (ANPD) publicou uma minuta de resolução sobre a fiscalização e a aplicação de sanção.

Entre os destaques, é interessante observar a preocupação com "processos transparentes e justos, com regras claras sobre direitos e obrigações", além da busca de evidências, o que revela a atenção ao contraditório e a lisura dos processos administrativos. Do ponto de vista operacional, é pertinente a iniciativa de fixar os prazos dos processos em dias úteis, priorizar o processo eletrônico, inclusive com uso de videoconferência. 

Definir regras claras é uma novidade bem-vinda, afinal, a marcha de implementação da LGPD no país foi lenta. Lembre-se que a publicação da lei ocorreu ainda em 2018, ou seja, suas sanções na prática começam a valer somente três anos depois. O texto proposto pela Autoridade Nacional de Proteção (ANPD) revela a preocupação da entidade com uma atuação fiscalizatória que promova um ambiente regulatório transparente, o que é fundamental diante das múltiplas dúvidas que pairam em torno da interpretação da legislação, inclusive pela inexistência de jurisprudência em torno da LGPD, como é natural diante de uma lei cuja entrada em vigor ocorreu há menos de um ano. 

A previsão da possibilidade de denúncia anônima certamente será objeto de controvérsias. Do ponto de vista prático, a resolução prevê, entre os deveres dos administrados, fornecimento de cópias de documentos, o acesso a instalações, equipamentos, aplicativos, sistemas, ferramentas e recursos tecnológicos. Além da fiscalização por meio de denúncias e reclamações, a proposta de resolução anuncia um viés preventivo. Entre as ferramentas, merece destaque o mapa bianual de temas prioritários, que enfoca uma análise proativa de prioridades da entidade. Essa ótica preventiva se faz presente igualmente no instrumento de arrependimento pelo qual o autuado que comprovadamente suspender a conduta investigada e, reparar eventuais danos poderá ter o processo administrativo arquivado pela Coordenação-Geral de Fiscalização. Outra possibilidade ao autuado consiste em apresentação de proposta de celebração de TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). 

A proposta de resolução mostra-se uma iniciativa importante. O Brasil precisa de regras claras e definidas com antecedência sobre proteção de dados pessoais. Antes tarde do que nunca.

 

*Gabriel Schulman é doutor em Direito, advogado em Trajano Neto e Paciornik e coordenador da Pós-Graduação em Direito e Tecnologia da Universidade Positivo.

 

O aparecimento de uma alteração de hálito pode acometer cerca de 30% da população brasileira, ou seja, 50 milhões de pessoas. Isso ocorre porque, embora a escovação seja diária e frequente, muitas pessoas sofrem com uma alteração conhecida como halitose, que é uma condição relacionada ao odor expelido pelos pulmões, boca e narinas.

Essa alteração muitas vezes pode aparecer em algum período da vida, seja por um descuido na higienização ou mesmo a falta dela, o fato é que este acontecimento pode influenciar nos momentos de socialização.

Segundo a Presidente da Associação Brasileira em Halitose, Dra. Cláudia Gobor, “a halitose é um problema que muitas vezes não é percebido pelo paciente. Isso ocorre porque a fadiga olfatória se instala, fazendo com que a pessoa sofra um processo adaptativo àquele odor, se acostumando com o mesmo”.

Desse modo, alertar uma pessoa que tem halitose ou alteração no seu hálito é muito importante, e principalmente se é uma pessoa próxima a você. Mesmo assim, pessoas não tão próximas podem ser também alertadas através do site da ABHA - Associação Brasileira de Halitose – www.abha.org,br , clicando em SOS Mau Hálito. A Dra. explica que “nesse programa, a pessoa avisa de forma anônima o nome e o e-mail do indivíduo que deve receber o alerta e o sistema envia uma notificação falando sobre o mau hálito, suas causas e consequências”. Então agora, é possível alertar aquele amigo ou até uma pessoa próxima sobre a sua alteração de hálito, sem o constrangimento que acerca o assunto.

De acordo com a cirurgiã dentista, “existem mais de 50 causas e, em aproximadamente 90% delas, a origem é bucal. Pode ser também fisiológica (hálito da manhã, jejum prolongado e dietas inadequadas), causas locais (má higiene bucal, placas bacterianas retidas na língua e/ou amígdalas, baixa produção de saliva ou doenças da gengiva), ou mesmo causas sistêmicas (diabetes, problemas renais ou hepáticos, prisão de ventre e outros)”.

Dessa forma, mais comum do que se imagina, o mau hálito não é restrito somente naquelas pessoas que tem uma deficiência na sua higienização diária. Para finalizar, Cláudia explica que “para combater o mau hálito, além de uma boa escovação e higiene bucal, é importante ter uma alimentação equilibrada, praticar atividade física e consumir no mínimo 2 litros de líquidos por dia”.

Cláudia Christianne Gobor

Cirurgiã Dentista especialista pelo MEC no tratamento da Halitose

Presidente da Associação Brasileira de Halitose

https://www.bomhalitocuritiba.com.br/

Rua da Paz, n° 195, Sala 102, Mab Centro Médico, Centro/ Alto da XV, Curitiba- PR

(41) 3022-3131

Whatsapp: (41) 99977-7087

Instagram: @Claudiacgobor

Facebook: @ClaudiaCGobor

Youtube: Claudia Gobor


Fiscalizar o exercício da profissão de corretor de imóveis, com o objetivo de assegurar a segurança e a tranquilidade nas negociações imobiliárias. Esse é o papel primordial do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI), criado através da Lei Nº. 4116, de 27/08/62, composto na maioria por homens, sendo 75% dos inscritos, mas que tem a presença feminina cada vez mais forte. E justamente pelo fato de o número de corretoras estar cada vez maior, a Chapa 2 que concorre à gestão da entidade tem entre as propostas a criação da Diretoria da Mulher, que terá à frente a empreendedora Glauce Santos, diretora da RE/MAX Rio de Janeiro - Zona Norte, regional da maior franquia imobiliária do mundo.


Glauce Santos destaca que as corretoras estão conquistando cada vez mais espaço e, por isso, é necessário que o CRECI tenha a sensibilidade para tratar dos problemas enfrentados pela mulher no dia a dia da profissão. "A criação da Diretoria da Mulher chega como uma forma de sensibilizar o setor. Mesmo estando em pleno Século XXI, com tanto acesso às informações, o mercado de trabalho ainda tem algumas limitações para as mulheres e no setor de corretagem de imóveis a realidade é a mesma. A meu ver, a criação desta diretoria chega para cuidar das prerrogativas e casos específicos que nós enfrentamos, como, assédio, discriminação, constrangimento e outras formas de falta de respeito, até mesmo por colegas da profissão", comenta.


Segundo a empreendedora, por mais que a Diretoria da Mulher seja criada para o público feminino, será um setor democrático, já que haverá homens, também, para ajudar no combate aos preconceitos. "Será um avanço destacável para a sociedade e o mercado de imóveis do Rio de Janeiro. Essa é a primeira vez que CRECI-RJ terá um setor específico para cuidar das questões vinculadas às mulheres, já que elas representam cerca de 35% dos profissionais que atuam no estado fluminense. É preciso destacar mais o nosso espaço na corretagem e encorajar o empreendedorismo feminino no segmento imobiliário. Pelo fato de ainda sermos minoria, ainda não temos muita abertura no setor, mas queremos mudar este panorama. Além disso, a nossa chapa apresenta também a educação continuada para qualificar ainda mais as profissionais", conclui.


Glauce Santos integra a Chapa 2 e as propostas completas podem ser acessadas pelo endereço www.corretorparacorretor.com.br. Para mais informações sobre a eleição do CRECI-RJ: https://creci-rj.gov.br/como-votar-eleicao-trienio-2022-2024/.


Sobre Glauce Santos

Glauce Santos comanda a RE/MAX Rio de Janeiro – Zona Norte, regional da maior franquia imobiliária do mundo. Hoje, aos 45 anos, casada com o também empreendedor Dyogo Vieira, com a mesma idade, com quem tem três filhos, uma cachorrinha, trabalha e divide sonhos, Glauce Santos foi incentivada a entrar no mundo do empreendedorismo desde criança. "Eu comecei a empreender motivada pelo meu pai, que me orientou a ser uma mulher independente. Eu sempre entendi que esse seria o caminho para minha vida. Fui representante comercial, abri uma empresa de comércio de produtos para condomínios, e depois me lancei no mercado de imóveis, com uma pequena imobiliária na Zona Norte do Rio de Janeiro", conta a empresária.


Glauce Santos destaca que o caminho do empreendedorismo não é fácil e para a mulher os desafios são ainda maiores. "Historicamente, enfrentamos mais obstáculos pela cultura machista de nossa sociedade. Temos uma jornada mais dura, pois precisamos conciliar a casa e os filhos com o trabalho o que reduz a nossa jornada a frente de nossos negócios. Isso acaba demandando um esforço ainda maior, revela a empresária, que enfrentou desafios para conquistar o seu espaço, como poucos recursos financeiros, falta de parceria no mercado e uma estratégia empresarial bem definida.


Atualmente responsável pela gestão da RE/MAX Rio de Janeiro – Zona Norte, Glauce Santos percebeu por acaso a oportunidade de empreender em parceria com a maior franquia imobiliária do mundo. "Como a maioria das empreendedoras que conheço, o que me motivou a empreender, além do apoio irrestrito do meu pai na minha mocidade, foram os meus filhos. E exatamente por conta deles que conheci de perto a RE/MAX. Em 2018, minha imobiliária estava prosperando, mas o negócio ainda dependia totalmente de mim. Meu filho mais velho queria estudar em Portugal. Aterrissei em terras lusitanas para conhecer o local onde ele estudaria e aproveitei um Café Imobiliário que foi na RE/MAX. Me apaixonei", relata a mulher que está à frente da regional há três anos e que tem em seu guarda-chuva oito franquias, mas deve chegar a 15 até o final deste ano.


A partir do primeiro contato com a RE/MAX em Portugal, Glauce Santos pesquisou muito, avaliou todas as possibilidades e decidiu transformar o seu negócio.  "Naquela altura da minha vida, eu tinha um negócio próspero, mas que dependia totalmente de mim. Não era um empreendimento escalável e eu era apenas mais uma imobiliária de bairro. Com a RE/MAX, transformei minha imobiliária numa empresa imobiliária, com processos bem definidos e uma estratégia alinhada. Hoje ela anda sozinha e fatura muito bem", comemora a empresária, que conquistou a 9ª posição de sua regional no ranking de faturamento nacional da RE/MAX Brasil no acumulado de 2020 entre outras 460 unidades da rede.


Para se ter uma ideia dos resultados da maior franquia imobiliária do mundo no país, em um ano atípico, com pandemia e várias restrições de circulação de pessoas, a RE/MAX Brasil movimentou cerca de R$ 3,6 bi em negociações imobiliárias. "É uma surpresa positiva e uma esperança, pois continuamos trabalhando muito e temos orgulho de contribuir para estes números nacionais incríveis. O crescimento foi refletivo no mercado em geral, pois da 50ª posição no ranking das maiores franquias brasileiras, da Associação Brasileira de Franchising (ABF), a RE/MAX avançou para o 35º lugar, sendo a única do segmento imobiliário no ranking, mostrando que o mercado de imóveis ainda tem muito espaço para empreender", diz a empresária.  


Sobre a RE/MAX

Com 48 anos de atuação, a RE/MAX é uma franquia americana que ganhou notoriedade mundial e se tornou referência em negócios imobiliários em todo o planeta. Eleita pela Forbes como uma das melhores empresas para as mulheres trabalharem, a marca, que chegou ao Brasil em 2009, já alcançou 124 países e é presente em todos os continentes, com mais de 137 mil corretores em mais de 8.600 unidades franqueadas. A Zona Norte do Rio de Janeiro passou a ter uma regional em 2018, que, só naquela região, conta com oito franquias.


O direcionamento da RE/MAX está presente no lema: "todos ganham", uma máxima que tem permitido a sua liderança, conquista e reconhecimento do mercado. Com esse conceito, a RE/MAX revolucionou o mercado imobiliário. Este sistema permite recrutar e reter os melhores profissionais do mercado, ter equipes motivadas e produtivas, diminuir a rotatividade dos corretores e prestar o melhor serviço aos clientes.


Mais informações: https://remaxriodejaneironorte.com/ 

 

Artigo por Conceiyção Montserrat - CEO da Conceiyção Montserrat   Gestão e negócios

Imagine-se na seguinte situação:

Em meados dos anos 90, você tomou a decisão de empreender e abrir seu próprio negócio. Pensou, repensou e decidiu que sua empresa ou negócio teriam um nome. Contrariando as estatísticas, você deu duro, batalhou, investiu tempo e valores financeiros e intelectuais em sua empresa e ela prospera até hoje. Se tornou uma empresa conhecida em sua região de atendimento e seus clientes realizam o conhecido e importante “boca a boca”, além dos seus investimentos em marketing e processos de consolidação. Um “belo dia” você acorda e descobre por meio de uma notificação que alguém fez um requerimento e deu entrada em um registro de marca que conflita com o nome e atendimento de sua empresa!

Buscando entender os fatos, se depara com a triste realidade de que sua marca não foi registrada por você ou que não é exclusivamente sua. Percebe que, todo seu trabalho nos últimos 30 anos corre o risco de ir por “água abaixo”, simplesmente por não ter registrado e garantido a propriedade da marca e corre o risco de ter que deixar de utilizar o nome já consolidado por você que dedicou quase uma vida por isso!

Fatos como este que citei, são muito mais comuns que pensamos! Temos por hábito em nosso país, trabalhar anos em uma marca ou desenvolvendo um produto/tecnologia sem ao menos nos preocuparmos com as questões de segurança de propriedade deste trabalho.

Registrar uma marca ou uma patente não é apenas realizar um processo custoso e burocrático, é uma certeza de que está trabalhando para algo que será apenas seu e que não existirão riscos futuros de alguém que não trabalhou por isso, se apropriar dos seus esforços e propriedade intelectual.

Creio que este mal hábito tenha sido herdado da triste estatística de que 80% das microempresas recém-abertas, fechem em menos de 1 ano , segundo dados do IBGE e, desta forma, a grande maioria dos microempreendedores não se preocupa em registrar a marca até que ela se consolide.

Raciocínio este completamente errôneo, uma vez que o risco de “nascerem cópias suas” é equivalente ao sucesso do seu negócio e cada degrau que você sobe, maiores serão as chances de “alguém” copiá-lo.

São simples passos que podem ser seguidos e que te trarão tranquilidade para trabalhar focado apenas no crescimento de sua empresa sem que ninguém lhe traga problemas com nomes similares ou conflitantes com a sua área de atendimento.

O órgão atualmente responsável por estes registros no Brasil é o INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial - https://www.gov.br/inpi/pt-br).

No site, são disponibilizadas diversas opções de consultas sem necessidade de cadastro, mas recomendamos que, antes de registrar sua marca, consulte um profissional para orientar sobre suas necessidades, verificando se há necessidade que o registro seja feito no âmbito nacional e internacional, por exemplo. Consultorias empresariais e de negócios também estão atentas a esta questão.

A conquista do registro de sua marca será o primeiro passo para seu sucesso a longo prazo e saiba que nenhum tempo ou recurso é perdido desde que seja investido em seu patrimônio.

*Conceiyção Montserrat - Atenta as transformações do mercado brasileiro, Conceiyção Montserrat reuniu ao longo da sua carreira em mais de 25 anos (atuando no mercado nacional e internacional à frente de gestão e fomentação de negócios), grandes experiências, pois teve a oportunidade de desenvolver trabalhos nas áreas de gestão de projetos, comunicação, criação e design gráfico, produção audiovisual, marcas e patentes, eventos corporativos, acompanhando as questões jurídicas e gerenciamento de crise nos projetos, vivenciando a oportunidade de trabalhar com profissionais altamente capacitados e atuando junto a empresas com parceiros de larga experiência nas áreas de assessoria de imprensa, planejamento estratégico e conteúdos educacionais . A executiva é CEO da Conceiyção Montserrat Gestão e Negócios.

Melhores

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.