Médica dermatologista dá dicas de como cuidar da pele seca nessa época do ano

 

Clima seco aumenta a incidência de dermatites

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, as doenças de pele representam cerca de 20% das consultas em Pediatria e as dermatites são as mais frequentes.

O problema geralmente se agrava nessa época de maior seca em muitas partes do Brasil, com taxas de umidade muito baixas, já que a tendência é que a pele fique mais ressecada.

A dermatologista Renata Figueira, gaúcha que atualmente reside em Brasília, destaca que quando se trata de cuidados com a pele não basta apenas a ingestão de líquidos.

É preciso fazer uso de loções, cremes e sabonetes com maior poder hidratante, além de evitar uso de sabões, buchas e banhos muito longos.

Mas, como escolher um bom hidratante? É necessário investir em um produto caro? "Há hidratantes para cada tipo e necessidade de pele, assim como para todos os bolsos", salienta a especialista.

Renata ressalta que não é preciso gastar muito dinheiro e dá algumas dicas. "Opções boas, seguras e acessíveis são a vaselina, ou cremes com lanolina, óleo de semente de uva, óleo de amêndoas ou mesmo óleo de coco, que podem ser usados para hidratar várias áreas do corpo", explica a dermatologista.

A profissional ainda menciona que caso a pele esteja muito ressecada e não seja possível investir em sabonete hidratante ou óleo de banho, uma opção é usar sabonete neutro, utilizando apenas nas axilas, áreas íntimas, mãos e pés.

"Para áreas mais ressecadas, como calcanhares, cotovelos e joelhos, uma opção é cremes contendo ureia, por exemplo. Mas, caso o paciente possua alguma dermatite ou lesões com coceira no corpo ou rosto, pode ser necessário uma consulta e prescrição especializada de um médico dermatologista", aponta Renata.

Dos diversos tipos de inflamações cutâneas, estas são as mais frequentes na infância e que tendem a surgir ou retornar com o calor, suor e baixa umidade do ar:

Dermatite atópica: é uma das mais frequentes e caracteriza-se pela presença de lesões avermelhadas que coçam bastante. As principais regiões afetadas são a face, o couro cabeludo, e as dobras de joelhos e cotovelos.

Dermatite seborreica: aparece principalmente em bebês que estão na fase de amamentação e caracteriza-se pela presença de uma crosta amarelada no couro cabeludo. Porém, é muito frequente também em adultos, homens principalmente, mas também em mulheres, em áreas sobre e entre as sobrancelhas, áreas próximas ao nariz, nas orelhas e também em áreas pilosas, como couro cabeludo e barba.

Miliária ou brotoeja: típica dos bebês, caracteriza-se pela presença de pequenos caroços avermelhados nas regiões de dobras e das fraldas, assim como áreas cobertas devido ao calor e suor.

"É importante ficar atento e procurar um Dermatologista tão logo os sintomas apareçam", conclui Renata Figueira.

Sobre a profissional

Renata Borges Fortes da Costa Figueira é formada pela Universidade Federal de Santa Maria, Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD, Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD.
Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD.
Titular da Sociedade Brasileira de Hansenologia – SBH.

Postar um comentário

0 Comentários