Mais um crime originado nas redes sociais ganhou atenção da mídia neste fim de semana. No último sábado (27), um homem foi vítima de um sequestro e roubo ao cair em um golpe de aplicativo de relacionamento. Os criminosos forjaram o perfil de uma mulher e marcaram um encontro com a vítima, que seguiu até o local onde foi abordado pela quadrilha. O caso reacendende o alerta para os perigos embutidos nos aplicativos de relacionamento.

 

O especialista em cibersegurança da Cipher, empresa de Segurança da Informação do grupo Prosegur, Fernando Amatte, alerta que esse tipo de golpe é proveniente de um trabalho de Engenharia Social, onde criminosos virtuais analisam o comportamento das vítimas e utilizam recursos de tecnologia e psicologia para praticar crimes. Ele recomenda aos usuários dicas para utilizarem as redes sociais e apps com cautela e segurança:

1-      Não tenha pressa: consiga o máximo de informações possível do “match” – e cheque se são verdadeiras - antes de passar do chat para o telefone ou whatsapp;

2-      Não entregue dados pessoais como endereço ou local de trabalho antes de ter certeza de que está falando com uma pessoa que de fato “existe”;

3-      Ao marcar encontros, prefira ir a ambientes públicos e com circulação de pessoas, não abra sua casa ou outro local privado a estranhos;

4-      Evite a integração de aplicativos de relacionamento com redes sociais, onde um cibercriminoso pode conhecer mais informações a seu respeito, facilitando a criação de golpes

5-      Cuidado com mensagens que contenham links, que podem abrir portas de invasão no seu celular, expondo os dados nele contidos.

Sobre Fernando Amatte:

O profissional tem mais de 20 anos de experiência na área de segurança da informação. Ele atualmente é Cyber Intelligence & RedTeam Director da CIPHER. Possui experiência em provedores de acesso de grande porte, multinacionais de telecomunicação e setor financeiro além das mais respeitadas certificações do mercado da segurança. Já atuou como consultor de segurança da informação, perito de informática para o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15 região e professor nos cursos de Pós-Graduação de instituições na região de Campinas. Pesquisador nas áreas de Crime Cibernético, Análise de Malwares e Análise forense.