O DEPUTADO CASTELO BRANCO LUTA DE FORMA INCANSÁVEL A FAVOR DA CAUSA PCD


Sílvio César, Salete Francisca e Alexandre Zeittlin, unidos por uma causa nobre


Por Walter  Brito * Jornalista                   

Sensível com as reivindicações do povo paulista e paulistano, o Deputado Castello Branco (PSL-SP) é um trabalhador incansável nas  suas obrigações como parlamentar na defesa das causas do povo,  inclusive, como um lutador empenhado e inconteste pela causa PCD, que é uma causa nobre e inquestionável. PCD é a sigla que expressa pessoas com deficiências. Diversos são os tipos de deficiências: visual, auditiva, física, intelectual e também deficiências múltiplas. Esta caracteriza o conjunto de duas ou mais deficiências associadas, de ordem física, sensorial, mental, emocional ou de comportamento social. 

O cientista britânico Stephen Hawking disse do alto de sua sabedoria: "Não seja deficiente em seu espírito, como você o é fisicamente". A luta dos PCDs do Estado de São Paulo é gloriosa e articulada com o pensamento do ilustre homem de Oxônia, no Reino Unido

Antes, porém, de adentrar o assunto em pauta, eu gostaria de relembrar uma frase de um PCD, que foi um dos cientistas mais influentes da história humana, o físico Stephen Hawking. Ele se referiu à deficiência da seguinte forma: "Meu conselho para outras pessoas com deficiência física seria se concentrar em coisas que sua deficiência não evita que você possa fazer, e não se arrependa das coisas nas quais (a deficiência) interfere. Não seja deficiente em seu espírito, como você é fisicamente". 

É  com a grandeza do pequeno notável inglês, nascido na Oxônia, Reino Unido, que ajudou a mudar o planeta Terra para melhor, que passamos a falar sobre um suposto  erro crasso do governador de São Paulo João Doria (PSDB-SP). Doria é acusado por PCDs de São Paulo - de prejudicar 250 mil pessoas com deficiência. Para alguns, uma covardia, para outros, um ato eleitoreiro no afã de ser presidente da República em 2022. 

O deputado Castello Branco é autor do PL 71/2021 e acredita que, ao lado de seus pares na maior Assembleia Legislativa do Brasil, ajudará de forma efetiva a causa PCD

O caso é o seguinte. O Projeto de Lei 71/2021, de autoria do Deputado Castello Branco (PSL -SP),  propõe alterar  a Lei 17.293 de 16 de outubro de 2020, revogando os incisos l e ll do artigo 21, que estabelece novos critérios para a isenção do IPVA de veículos da propriedade de pessoas com deficiência. O parlamentar do PSL recebeu em seu gabinete os seguintes líderes  PCDs que questionam de forma veemente a lei sancionada pelo governador João Doria, aprovada por 48 parlamentares atrelados ao Palácio dos Bandeirantes. Os PCDs recebidos pelo parlamentar do PSL foram:  Sílvio César Rodrigues Araújo, Alexandre Luiz Araújo Zeitlin e Salete Francisca dos Reis. Entrevistado pela reportagem, o senhor  Sílvio, que é empresário na área alimentícia na cidade de São Paulo, tem 44 anos, casado e pai de três filhos menores e um dos coordenadores do grupo, disse o seguinte: "Reunimos nove casos  reais de pessoas prejudicadas e trouxemos para mostrar ao  Deputado Castello Branco que é o nosso protetor nesta empreitada justa.  Trata-se de pessoas que usam seus automóveis muitas vezes para se deslocarem rumo ao hospital, farmácia, para comprar seus medicamentos, irem ao laboratório fazer exames, se deslocarem para uma clínica de fisioterapia e para certas emergências.  Muitas outras, para irem ao trabalho ou fazerem seus cursos em colégio ou faculdade.  Depois da lei eleitoreira do presidenciável João Doria, os quase 250 mil PCDs vão ter que pagar impostos de IPVA, muitas vezes sem poder. Vão tirar dinheiro de onde não têm para pagar um imposto  do qual eram isentos por lei. Por isso criamos um grupo na internet e fizemos um grande evento com muita repercussão no dia 16 de janeiro de 2021, pois queremos a revogação do ato do governador. A mobilização com milhares de pessoas começou na Praça Charles Muller no Pacaembu e terminou na Ponte Estaiada com um grande buzinaço, quando a TV Globo fez uma matéria ao vivo. E mais, somente a Paraíba e São Paulo, entre os 27 estados brasileiros, fizeram mudanças no IPVA para deficientes, o que é um crime" , arrematou Sílvio. Já Salete Francisca argumentou: "O governador Doria está prejudicando quem mais precisa, pois tirou o bilhete único das pessoas com 60 anos. Os PCDs têm gastos enormes com medicamentos, fisioterapia, educação, entre muitas outras. Usamos os nossos automóveis para locomoção em direção aos referidos lugares. Agora o governador, do alto de sua autoridade equivocada, diz que somos fraude. Que ele faça auditoria e quem não for PCD e for de fato identificado como fraude, que seja retirado o benefício daquele cidadão ou cidadã, mas que não prejudique sem critérios a 250 mil pessoas. Estamos dispostos a fazer todos os exames novamente. Agradeço o empenho do Deputado Castello Branco que vai nos ajudar a reverter a maldade que o senhor Doria fez conosco", argumentou Salete. Falamos também com o Alexandre, que é deficiente desde infante, e disse que ele e o seu tio foram tremendamente prejudicados com a Lei Doria contra os deficientes: "Eu tenho um gasto enorme com medicamentos, sou isento por lei, inclusive estava entre os 20% que não tinham perdido a isenção, mas eu já soube que em 2022 vou ter que pagar o IPVA. Agora somente vai ter direito quem tiver deficiências graves e severas, os demais não terão direito. E mais, o Doria, com sua vontade de ser presidente, passa por cima de tudo e disse que somos defeituosos, o que é uma visão preconceituosa do governador que quer ser presidente a qualquer custo", disse Alexandre.            

Como se vê, os PCDs estão dispostos a levar o caso às últimas consequências, inclusive por meio de uma campanha intensa nas redes sociais.  250 mil pessoas prejudicadas podem mostrar ao Brasil os supostos  equívocos do senhor  governador João Doria, apontados pelos líderes entrevistados nesta reportagem. 

Os PCDs da Manchester paulista, Sorocaba, quarta cidade mais populosa do interior paulista, estiveram no gabinete do Deputado Castello Branco, quando foram recebidos  pelo chefe de gabinete, o Coronel Dotto, na presença deste repórter


Outro grupo PCD da cidade de Sorocaba-SP, se uniu aos entrevistados desta matéria e percorreram gabinete por gabinete da Assembleia com o objetivo de impedir que o governador continue a cobrar o IPVA de pessoas isentas. 

Esperamos que antes de sair do governo de São Paulo para sua campanha rumo ao Palácio do Planalto, que ele oriente sua  bancada na Alesp a revogar  os incisos que supostamente  prejudicaram 250 mil paulistas e paulistanos. Lembrando que o Brasil tem 45 milhões de pessoas que têm algum tipo de deficiência.   Certamente sua maioria não tem doença no seu espírito, tal qual alertou o grande cientista britânico Stephhen Hawking. Essas pessoas, que representam quase 25% da população brasileira, obviamente vão votar em um governante que luta por seus objetivos. Para quem almeja ser presidente do Brasil em 2022, certamente o governador João Doria do PSDB precisa agir rápido e ajudar os PCDs do Estado de São Paulo prejudicados por essa lei e até criar  outros benefícios, pois sua imagem está sendo arranhada pelos coestaduanos e conterrâneos prejudicados!

Postar um comentário

0 Comentários