Método explica como o emocional influencia nas doenças crônicas

“Sempre atrás de uma emoção há um órgão a ser tratado e as nossas emoções são o começo de tudo”, é o que explicou a fisioterapeuta, terapeuta integrativa e especialista em Medicina Germânica Ana Beatriz Peixoto no seu evento online. Desse modo, a especialista afirma que o caminho para o tratamento deve seguir pela trilha do autoconhecimento, de forma a deixar de olhar para os sintomas, mas sim começar a olhar para a causa, para o início de tudo, que são as emoções.

As nossas emoções são o reflexo do nosso inconsciente, e é por ele que a resposta para diversas doenças inexplicadas aparecem. A parte consciente do nosso cérebro comanda nosso corpo por apenas 5% do tempo e todo o resto é guiado pela parte inconsciente. Por isso, quando pensamos nas emoções, relacionamos o  formato do nosso corpo com as nossas doenças. 

Para ajudar a compreender as emoções por trás das doenças, Peixoto desenvolveu um método conhecido como “3E: Encontrar, Entender e Expressar”. Nesse método, é possível entender a emoção por trás da dor, o porquê da sua manifestação e como ela se expressa no seu corpo. Assim, você consegue olhar para a causa inicial do problema e, desse modo, começar o tratamento correto. “Passamos a vida inteira ouvindo que para resolver as nossas doenças temos que tomar remédios e outras drogas. Porém, eles atuam somente nos sintomas. É difícil encontrar um remédio que atue na parte inicial”, explica a fisioterapeuta. 

No seu evento, com o objetivo de conseguir ajudar e auxiliar cada vez mais pessoas no verdadeiro tratamento de suas doenças, foram abordadas algumas doenças como Alzheimer, artrite, ansiedade, AVC, depressão, efeito sanfona e outras.

Ana Peixoto

Fisioterapeuta

Terapeuta especialista em medicina germânica

Idealizadora das técnicas de Reprogramação Bio-muscular e Anatomia Emocional

@anapeixoto.oficial

https://anapeixoto.com.br/


Metodologia foi utilizada no Vapt Vupt, por meio do Portal Expresso, e se tornou referência compartilhada, nesta sexta (27/8), na 8ª Reunião Nacional do Grupo de Transformação Digital (GTD.GOV). O Governo de Goiás reduziu em até 58,5% o custo médio ponderado dos serviços oferecidos


Para a Sead, é necessário inserir a transformação digital dos serviços públicos em uma pauta estratégica e prioritária na gestão administrativa estadual (Foto: divulgação)

A atuação da Sead foi destaque em painel do Grupo de Transformação Digital (GTD) do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), realizado via Zoom e transmitido pelo YouTube na manhã desta sexta-feira (27/8). Na ocasião, a pasta foi representada pela superintendente da Central de Transformação da Gestão Pública, Vânia Bareicha, que falou sobre a metodologia de precificação dos serviços prestados pelo programa Vapt Vupt em Goiás.

Por meio da união entre Expresso e Vapt Vupt, o Governo de Goiás conseguiu reduzir em até 58,5% o custo médio ponderado dos serviços oferecidos. A metodologia tem sido compartilhada com outros Estados, em reuniões e encontros promovidos a partir do GTD do Consad. Vânia Bareicha destacou o trabalho desenvolvido pela Assessoria da Subsecretaria de Gestão Pública da Sead, capitaneada por João Quirino, e ressaltou a necessidade de inserir a transformação digital dos serviços públicos em uma pauta estratégica e prioritária em nossos contextos.

Ela afirmou que o desafio da transformação digital é gigantesco. "Sabemos da dificuldade de se compilar dados e criar estratégias para obter o retorno dessas ações. Mas é uma transformação a partir da qual todos ganham: ganha o governo, com um atendimento mais eficiente, ganham os cidadãos incluídos digitalmente e ganham também aqueles que não estão incluídos, com filas menores para resolver suas questões, por exemplo", explicou.

O evento fez parte do segundo dia de programação da 8ª Reunião Nacional do GTD.GOV. O grupo compartilha boas práticas nas gestões estaduais de todo o país, em busca de aprimorar em âmbito nacional a redução de custos e aplicação de novas tecnologias nas Secretarias da Administração. Segundo Bareicha, as discussões do painel específico mediado pela Sead visam municiar as equipes que atuam na área nos diferentes Estados e no Distrito Federal com informações a respeito de métodos que comprovam a vantagem de se investir na transformação digital.

 



                                                                                        Mehmet Turgut Kirkgoz


Cinco perguntas sobre amamentação e câncer de mama

 

Especialista responde principais dúvidas sobre o aleitamento materno e o câncer de mama

 

Amamentar protege a mãe contra o câncer de mama, de acordo com o INCA. Além dos inúmeros benefícios para o bebê, o aleitamento materno promove um maior cuidado para as mães. Quando a mãe é acometida pela doença, na maioria das situações, é possível manter o aleitamento materno. Somente em alguns casos haverá necessidade da suspensão, como quando a mãe está em quimioterapia ou radioterapia, a depender da medicação utilizada.

Mesmo com os benefícios da amamentação, as mães ainda podem ser acometidas pelo câncer mamário. Por isso, é preciso lembrar que “o cuidado e a prevenção ao câncer de mama devem ser feitos o ano todo”, aponta o cirurgião e mastologista da Maternidade Brasília Alexandre Bravin. O médico ainda abordou cinco pontos sobre a amamentação e o câncer de mama. Confira:

1. Amamentar ajuda a combater o câncer de mama? Se sim, por quê?

Sim, porque entende-se que, no processo de amamentação, há uma renovação e maturação celular. Estudos mostram que há uma estimativa de proteção em aproximadamente 4% a cada ano que a mulher amamenta.

2. Quem está em tratamento para o câncer de mama pode amamentar?

Sim. Mas, depende da etapa do tratamento: se for cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico, pode haver alguma restrição. Há algumas medicações de quimioterapia e radioterapia que podem ser passadas através do leite e assim é recomendada a suspensão temporária.

3. Quem já teve o câncer de mama pode amamentar?

Habitualmente pode. Mas, depende da cirurgia que foi feita. Se foi realizada uma cirurgia conservadora e não houver comprometimento dos canais do leite, é possível amamentar.

Se a mama houver sido retirada, não tem como realizar o aleitamento.

4. Existe algum sintoma diferente do câncer de mama na mulher que amamenta?

Normalmente, não. O câncer de mama se apresenta sob forma de caroço, quando está palpável. No período da amamentação pode haver alguma dificuldade de identificar o nódulo devido ao aumento e inchaço da mama. Isso porque a mama vai se transformando, fica mais túrgida, maior e cheia de leite. Mas, a mulher consegue perceber por meio do auto-exame se houver caroço. De uma forma ou de outra, é possível fazer diagnósticos por meio de exames de imagem.

5. Existe algum risco para o bebê (tanto no sentido de a mãe estar fazendo quimioterapia quanto da própria doença)?

Depende da medicação da quimioterapia. Existe uma contraindicação por questão de passar essa medicação via leite para o bebê. De todo modo, tem que ser analisado caso a caso.

Solar das Laranjeiras é primeiro empreendimento da Yticon na cidade de Maringá
Créditos: R.R. Rufino/ Divulgação


Parceria entre construtoras e poder público de Maringá possibilita desenvolvimento econômico da região e melhoria urbanística das ZEIS

Instrumento utilizado desde a década de 1980 pelas principais cidades do país, a demarcação das chamadas Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), sobretudo pelos planos diretores e leis de uso e ocupação dos solos municipais, se transformou nos últimos anos. Após a inclusão no Estatuto das Cidades, que regulamenta “política urbana” em todo território nacional desde 2001, as ZEIS se voltaram ainda mais para a implantação de programas e projetos habitacionais. Foi assim que, de forma inovadora, o município de Maringá (PR) estabeleceu, em 2018, novos critérios para que empresas privadas pudessem aproveitar o “solo criado” e investir em empreendimentos verticais com boa localização, de interesse social, estimulando a atividade econômica, promovendo a inclusão social e ocupando os “vazios urbanos”, que em nada colaboram para o desenvolvimento da cidade.

Dessa forma, a construtora Yticon, do Grupo A.Yoshii, foi pioneira nessa parceria com a prefeitura, na qual os empreendedores são convidados a colaborar para a resolução de um problema que até então era apenas do município. “O projeto já tem dado resultados e novos empreendimentos serão anunciados. As empresas devem, como contrapartida, atender a uma parcela da população que, sem essa política, jamais poderiam adquirir uma moradia em área consolidada, munida de todos os serviços que a cidade proporciona”, explica Estevão Paschoalin Palmieri, secretário de Planejamento e Urbanismo de Maringá. As áreas em questão já possuem infraestrutura como escolas, creches e transporte coletivo.

A vantagem para os donos dos terrenos e empreendedores é a liberação da construção de um número maior de pavimentos, com a garantia de que parte dos imóveis seja prioritária para famílias de baixa renda. O projeto está em fase de consolidação como política pública, de modo que sua continuidade seja garantida. Por isso, está sendo incluída como item na revisão do plano diretor do município. O primeiro empreendimento da Yticon na cidade, e pioneiro nessa parceria público-privada, foi o Solar das Laranjeiras, lançado em janeiro deste ano, com 320 unidades. Antes disso, porém, durante 45 dias, foi realizada venda exclusiva aos clientes cadastrados no programa de habitação da prefeitura, que irão financiar o imóvel por meio do programa federal Casa Verde e Amarela.

O empreendimento será construído no bairro Jardim Tropical, região de excelente localização, próxima ao Hospital Universitário e da Avenida Mandacarú. Com duas opções de plantas, cada unidade contará com dois dormitórios, com 45 m² de área privativa e 78 m² de área total. Os valores começaram a partir de R$ 128 mil em 2020. As obras já iniciaram e a previsão é que gerem cerca de mil empregos diretos ao longo dos próximos dois anos. No final do mês de agosto, a construtora Yticon anunciará mais um empreendimento na cidade nesse modelo inédito, com mais 320 unidades. 

Pioneirismo

Diferentemente de outras cidades do país, em que o próprio poder público estabelece as ZEIS, a Prefeitura de Maringá convocou - por meio de chamamento público -, proprietários de terrenos particulares para transformação dos lotes. Segundo Bruno Catarino, gerente de unidade da Yticon, a parceria com a prefeitura possibilitou o ingresso no mercado maringaense com uma nova filial, um desejo antigo da construtora. “Um ponto importante dessa colaboração com a prefeitura é a permissão da verticalização ou de um zoneamento mais adensado em áreas residenciais e nos vazios urbanos, que sem a ZEIS não poderiam existir. Não teríamos um adensamento maior em determinadas áreas sem essa parceria com o poder público”, pontua.

Catarino ainda explica que a atuação com o município é constituída de algumas contrapartidas pela construtora que, dessa forma, obteve autorização para verticalizar em áreas onde a população deseja morar e que, conforme o zoneamento, só poderiam ser construídas casas ou sobrados. “Dentre essas contrapartidas estão as questões ambientais, de infraestrutura (como rua, esgoto, água pluvial e de energia) e a contrapartida habitacional, em que a Yticon tem o dever de construir casas ao estilo das companhias de habitação (Cohab) e doar à prefeitura para que o programa do município repasse às famílias de baixíssima renda”, pontua o gerente, acrescentando que mesmo sendo recente esse trabalho, é grande a receptividade dos moradores do entorno, que comemoram a chegada dos empreendimentos da Yticon na região, sobretudo por trazer mais segurança, desenvolvimento e valorização da área por causa da melhoria urbanística.

 

Sobre a Yticon Construção e Incorporação

A Yticon é uma construtora e incorporadora que atua há mais de dez anos nas cidades de Londrina, Maringá e Cambé, no Paraná, e Presidente Prudente, em São Paulo. A empresa do Grupo A.Yoshii desenvolve empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização, especialmente para quem quer conquistar o primeiro imóvel. A Yticon já construiu mais de 5 mil unidades, todas entregues rigorosamente no prazo, somando mais de 500 mil m² de área construída. Mais informações: www.yticon.com.br.

Sobre o Grupo A.Yoshii

Fundado há mais de 55 anos, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de m² do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná; e pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural. Além disso, atua em Obras Corporativas, atendendo grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br.


 



Economia de tempo e de custos estão entre as principais vantagens do uso de serviços de assinatura eletrônica




A continuidade do trabalho remoto ou, ao menos, a retomada por meio de um sistema híbrido será a realidade de muitas empresas a partir de agora e no pós-pandemia. Pesquisa realizada pela KPMG revela que 33,8% das companhias planejam voltar ao modelo presencial apenas em 2022, enquanto 87,3% das corporações pretendem manter o modelo híbrido. Diante dessa nova realidade, o uso de soluções digitais que facilitem os processos documentais a distância torna-se ainda mais essencial. Entre elas está o serviço de assinatura eletrônica.

Mas, afinal, de que modo um processo tão simples como assinar documentos pode impactar a rotina do trabalho remoto? Segundo Eduardo Jordão, senior channel manager da Adobe Document Cloud no Brasil, os fluxos documentais em papel geram custos invisíveis e levam muito mais tempo para serem concluídos na comparação com o digital, além de estarem sujeitos a mais riscos de danos e perdas.

As vantagens da utilização de serviços de assinatura eletrônica não se restringem a esses pontos. Por isso, o executivo detalha abaixo outros cinco benefícios:

Segurança digital: a solução de gestão do fluxo de assinatura eletrônica permite o controle e o arquivamento de documentos sensíveis, como contratos e processos judiciais, de forma 100% digital, eliminando os riscos de perdas, danos e alterações em arquivos relevantes. "No Adobe Sign, por exemplo, quando um fluxo de assinatura é finalizado, o arquivo final é entregue protegido, o que impossibilita a alteração do documento durante e depois do fluxo de assinaturas", explica Jordão;

Redução de custos invisíveis: é um dos benefícios de que poucas empresas se dão conta. O fluxo de documentos físicos gera despesas invisíveis, uma vez que o manuseio, o envio, o arquivamento e a replicação de dados em CRM geram gastos em processos que podem ser automatizados. A pesquisa "Total Economic Impact", conduzida pela Forrester Consulting a pedido da Adobe, aponta que há uma economia de 6 dólares por transação — ou 600.000 dólares por ano no terceiro ano de implementação da ferramenta;

Economia de tempo: o mesmo estudo da Forrester mostra que o serviço de assinatura eletrônica gera uma redução de 96% no tempo do ciclo do documento: de uma média de sete dias para somente 2 horas, já que não é necessário o envio do documento por portadores ou correios; 

Produtividade para a equipe: Jordão ressalta que a transformação digital efetiva está também na digitalização dos processos documentais porque aumenta a produtividade do funcionário, auxiliando na qualidade de tempo e na gestão do trabalho. Outra pesquisa da Forrester Consulting com líderes empresariais de diversos segmentos, a "Digital Document Processes in 2020: A Spotlight On E-Signatures", menciona que 66% dos colaboradores de empresas desejam alternativas digitais para o trabalho diário;

Facilidade para clientes e parceiros: instituições sem processos digitais têm dez vezes mais chances de perder os clientes, segundo dados do mesmo estudo da Forrester. "Oferecer facilidades aos parceiros e à clientela deixou de ser um diferencial e se tornou uma necessidade básica para o sucesso de qualquer negócio. Uma simples assinatura de contrato de forma digital reduz o processo burocrático e custos até para o cliente", conclui Jordão.

Sobre o Adobe Sign
O Adobe Sign, uma solução da Adobe Document Cloud, é um serviço de assinatura eletrônica baseado em nuvem que permite substituir processos de papel impresso e assinatura manual por fluxos de trabalho inteiramente automatizados de assinatura eletrônica. Com eles, é possível enviar, assinar, rastrear e gerenciar os processos de assinatura usando um navegador da Web ou um dispositivo móvel. Para mais informações acesse: https://www.adobe.com/br/sign.html



Na região que abriga 40 mil moradores, Caiado anuncia Escola Padrão Século XXI e entrega Chromebooks a estudantes. Prédio da nova unidade, foi cedido pela Prefeitura de Goiânia, passou por reforma e vai atender 596 estudantes. O Estado investe quase R$ 330 mil na requalificação do espaço. Alunos da 3ª série do Ensino Médio recebem computadores


O governador Ronaldo Caiado, ao lado da primeira-dama Gracinha Caiado, inaugura o primeiro colégio público estadual no Jardim do Cerrado, em Goiânia, e anuncia construção de Escola Padrão Século XXI: "Vocês querem oportunidade e terão em nosso governo. Apoio, dignidade e condições de serem vencedores, de subirem no pódio da educação e da profissionalização" Foto: Wesley Costa

O governador Ronaldo Caiado inaugurou, nesta segunda-feira (30/08), o Colégio Estadual Jardim do Cerrado, em Goiânia, em solenidade ao lado da presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado.

A escola é a primeira do Estado no bairro da região Oeste da Capital. A localidade abriga 40 mil moradores. Na oportunidade, foram entregues Chromebooks aos alunos da terceira série do ensino médio. Ele também anunciou a implantação de uma escola Padrão Século XXI na localidade.

O governador destacou que a região que abriga mais de 40 mil moradores foi "completamente esquecida" por gestões anteriores, que não edificaram uma escola sequer no local, ao mesmo tempo em que cresceram os índices de violência. "Garantimos segurança. Temos a melhor polícia do Brasil. Construímos nossa escola em tempo recorde, em apenas dois meses", citou.

A unidade de ensino atenderá 596 estudantes, que estão matriculados nas turmas de 6º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio. O prédio foi disponibilizado à Secretaria de Estado da Educação, por meio de uma cessão de uso, pela Prefeitura de Goiânia. "Vocês querem oportunidade e terão em nosso governo. Apoio, dignidade e condições de serem vencedores, de subirem no pódio da educação e da profissionalização", afirmou o governador.

"Quero vocês como vencedores na vida. É assim que se transforma o Estado e dá dignidade à população", reiterou Caiado ao conversar com alunos. Na sequência, ao anunciar a implantação de uma Escola Padrão Século XXI na região, o governador informou que a nova unidade terá capacidade para atender mais 2 mil estudantes. "Em outubro, a Fátima [Gavioli] vai apresentar o projeto para nós começarmos a construção da unidade. Esse é o nosso compromisso, trabalhar o dia todo para transformar Goiás", enfatizou.

Com investimentos de quase R$ 330 mil do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE Goiás), a requalificação do edifício foi realizada em tempo recorde, apenas dois meses. Desde o início da gestão, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), já recuperou 1.049 escolas.

Além de promover a melhoria da educação na região, a primeira-dama Gracinha Caiado, informou que a OVG e o GPS levarão programas sociais e benefícios aos moradores da região. "A gente sabe que o Jardim do Cerrado merece muito mais. Temos o projeto Goiás Social, que já está organizado, para chegar às famílias do bairro, trazendo capacitação e renda para quem quer trabalhar", garantiu.

Gracinha também aproveitou para reforçar o compromisso Governo Estadual com a Educação. "A luta de todos os dias do governador é para que nossos jovens e crianças se preocupem apenas em estudar, porque essa é a única obrigação que nossos pequenos devem ter", acrescentou.

Ao representar o prefeito Rogério Cruz, o secretário municipal de Educação, Wellington de Bessa, destacou que a inauguração do colégio só foi possível graças à parceria entre o governo estadual e a prefeitura. "Essa unidade traz dignidade aos estudantes do Jardim do Cerrado. Hoje temos um ciclo completo no bairro, com Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei), Educação Infantil, Ensino Fundamental e, agora, Ensino Médio, graças a essa parceria junto ao Estado de Goiás", pontuou. "Governador hoje traz oportunidade de mudar a vida de vocês. É um bilhete premiado para cada um fazer o próprio destino", ratificou.

Secretária de Educação de Goiás, Fátima Gavioli reconheceu o empenho dos servidores estaduais para a efetivação da escola. "Obrigada, professores, por aceitarem o desafio de fazer desta uma das melhores escolas em aprendizagem do Estado de Goiás. Confio e acredito no trabalho de vocês porque vi quão dispostos vocês estão para fazer a diferença aqui, desde a montagem da escola até agora, para entrar em sala de aula".

À comunidade, a secretária reforçou que o bairro não deixará de ser uma prioridade para o Estado. "O Jardim Cerrado não está e não será esquecido neste governo. Queremos levar educação de qualidade a todas as crianças", ressaltou.

Para iniciar o funcionamento, todo o prédio foi reformado. As obras tiveram início no último dia 28 de junho. Na requalificação, o Estado, por meio do PDDE Goiás, fez o investimento total de R$ 329.008,93. Além da escola nova, os alunos do último ano do Ensino Médio, que estudam no Colégio Estadual Jardim do Cerrado, também receberam 25 Chromebooks que vão auxiliar o aprendizado. Ao todo, o Governo de Goiás investiu R$ 144 milhões na aquisição de 60 mil computadores, que estão sendo distribuídos a todos os estudantes da 3ª série do Ensino Médio.

"Todo esse padrão é um diferencial para vocês estudarem", salientou o governador. Já nas palavras da coordenadora regional de Educação (CRE) de Goiânia, Enicléia Cristiana Morais, "isso é um sonho que virou realidade". "E só foi possível no governo de Caiado, que tem investido muito na Educação", afirmou a coordenadora.

Com a reforma, o colégio passa a contar com nova central de gás e combate a incêndio. A verba também foi usada para a melhoria do telhado, reparos na cozinha, colocação de forro de PVC, requalificação das salas de aula, dos sanitários regulares e para pessoas com deficiência, além de pintura geral e revisão na parte elétrica.

Depoimentos
A nova unidade já traz grandes expectativas para a comunidade. João Augusto, de 16 anos, é estudante do 9º ano e um dos novos alunos da escola. "Eu estudava em Trindade. Com este colégio no bairro, vai facilitar muito a minha vida, porque antes eu pegava dois ônibus e agora não vou precisar andar de ônibus mais", contou.

Também aluno do Colégio Estadual, Richard Aires, de 15 anos, comentou que o bairro não é um lugar para ser esquecido. "Daqui podem sair muitos médicos, muita gente importante. É uma grande oportunidade e a gente só tem a agradecer porque o conhecimento não tem preço", declarou.

Emocionado, Márcio Veloso, pai de aluno, chamou a inauguração de "uma das maiores conquistas" que o bairro já teve. "A palavra de Ronaldo Caiado não volta atrás. É o único governador que olhou para nossa gente e pisou no Jardim do Cerrado", pontuou.

Programa Direto na Escola
O PDDE – GO consiste na destinação de recursos do tesouro estadual para todas as Coordenações Regionais de Educação (CREs), com o objetivo de ampliar unidades escolares, adequar salas modulares e reformar CREs.

A definição dos serviços a serem realizados atendeu a critérios estruturais, com o objetivo de tornar o ambiente escolar mais seguro, bonito e confortável, com espaços ideais para o estímulo ao ensino-aprendizagem.

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi criado para servir como proteção para os trabalhadores em casos de dispensa sem justa causa ou outras situações emergenciais tais como moléstia grave do trabalhador ou de seus dependentes, calamidades, acidentes, entre outros pontos, no qual os valores acumulados podem ser utilizados pelos titulares. Mas, como funciona? 

Todo trabalhador vinculado à CLT tem direito a um repasse de 8% ao mês feito pelo empregador para uma conta específica na Caixa Econômica Federal e, sobre estes valores incide a correção de 3% ao ano, acrescida da TR (Taxa Referencial), que é uma taxa de juros fixada pelo Banco Central, mas que, nos últimos tempos, tem ficado bem abaixo da inflação.

É hora de ficar atento! 

Pois bem, a revisão dos valores depositados na conta vinculada do FGTS é a possibilidade de recomposição dos saldos das contas com a troca do índice de correção monetária para o período entre 1999 e os dias atuais. Isso acontece porque o modelo atual que vincula à TR não acompanhou a inflação no período, gerando perda de patrimônio para os trabalhadores.

A partir dessa percepção, existe uma ação que tramita no Supremo Tribunal Federal que discute se o trabalhador que teve carteira assinada no período de 1999 a 2013, têm direito a tal correção com base não mais na TR (índice declarado inconstitucional noutras ações), mas levando em conta o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que é considerado o índice oficial para corrigir a inflação e, caso a decisão seja favorável, deve atingir um público estimado em 50 milhões de trabalhadores e provocar um impacto de aproximadamente 250 bilhões aos cofres públicos.

No período de 1999 a 2013, verificou-se que a TR (Taxa Referencial) aplicada para a correção do FGTS ficou bem abaixo da inflação, acarretando enormes perdas, pois em determinados meses a taxa de correção chegou a zero tendo, inclusive, perda dos valores nominais depositados.

Com isso, tem direito a solicitar a revisão os trabalhadores celetistas urbanos, rurais e temporários que tiveram depósito no período de 1999 a 2013, estando ou não aposentados e, inclusive, independente de terem efetuado o saque dos valores junto à Caixa.

Importante ressaltar que mesmo quem já sacou o dinheiro das contas pode solicitar a revisão, que será retroativa para os períodos de saldo entre 1999 até o saque. Nestes casos, inclusive, a expectativa é de que a justiça determine o pagamento dos valores diretamente na conta corrente do trabalhador e não na conta vinculada ao FGTS, uma vez que o saldo original já foi sacado.

Quanto ao ajuizamento, quem tiver valores a solicitar de até 60 salários mínimos poderá ajuizar a ação nos Juizados Especiais Federais (JEF), procedimento que pode ser feito online e sem a necessidade de um advogado, por outro lado, se os valores forem superiores a esse quantum, deverá constituir advogado e a ação irá tramitar perante uma das Varas Federais.

Atenção! 

O extrato analítico do FGTS é documento primordial para a comprovação do fato constitutivo do direito pleiteado e é fornecido pela própria Caixa Econômica Federal (presencial ou pela Internet). É importante também apresentar planilha com o comparativo das correções comprovando, dessa forma, as perdas ao longo do período.

Outro ponto a se observar é que existe a possibilidade de o STF modular os efeitos da decisão, ou seja, limitar o alcance da decisão, portanto, é aconselhável o ajuizamento da ação para ter preservado o direito de revisão, caso haja decisão favorável.

Por: Marcos Aurélio, advogado especialista em direito do trabalho da Estácio Brasília


 

Corretor de imóveis mais criativo do Brasil

Criatividade em publicidade imobiliária

Entrevista #4   Entrevistador: Marcelo Sicoli (corretor de imóveis em Brasília).

Entrevistado : Samuel Gonçalves (corretor de imóveis em Brasília).

Tiktok: @samuelcorretor Instagram:  @samuelsgc  Facebook:  /samuelsgc.sgc

PARA SAIR DO ALUGUEL CHAME O SAMUEL!! SITE: http://www.samuelimobiliaria.com.br/

 

Siga o Marcelo Sicoli nas mídias sociais:

#Youtube/Marcelosicoli     #instagram/marcelosicoli  #Tiktok.com/marcelosicolibsb 

# facebook.com/msicoli  #linkedin : “Marcelo sicoli” #Twitter.com/msicoli

#Enterbrazil.com

 

Tags: credito, creditoimobiliario,creditoimoveis, correspondente,correspondentebancario,financiamento,financiamentoimobiliario, casapropria,compradecasa,compradacasapropria, corretordeimoveis, Mercadoimobiliário, imoveis, imovel, corretordeimoveis, consultoria imobiliária, venda de imóveis, imobiliária, apartamento, casa, flat, quitinete, fazenda, chácara,  condomínio, administração de condomínio, sindico, sindicoprofissional, gestor predial, facilities, arquitetura, engenharia, designdeinteriores,arquiteto, engenheiro, CRECI, Sindimoveis,

 

A tecnologia a favor da qualidade e da gestão das obras inclui a utilização de drones para o monitoramento das edificações
Créditos: Envato Imagens

Dados da CBIC apontam alta de 46,1% na venda de apartamentos novos em 2021. Tecnologia passa a ser ainda mais importante nesse cenário

A busca por espaço e estrutura que permitam morar ou trabalhar com conforto indica boas perspectivas para o mercado imobiliário no pós-pandemia. Segundo dados divulgados no final de agosto pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o Brasil registrou aumento de 46,1% no número de apartamentos novos vendidos no primeiro semestre de 2021, em relação ao mesmo período do ano passado. Os maiores índices de crescimento foram registrados nas regiões Nordeste e Sudeste, com 60,9% e 49,2% respectivamente - melhor resultado desde 2017.

Com a alta demanda e a queda no número de unidades disponíveis em estoque, a tecnologia tem sido a principal aliada das construtoras para acelerar processos e reduzir as perdas e o impacto no meio ambiente. Nos últimos anos, as empresas do setor vêm lançando mão de novas soluções para otimizar a execução das obras e melhorar a qualidade das edificações, priorizando também os prazos de entrega.

Ao mesmo tempo em que o atual momento estimula a mudança para residências  espaçosas, que ofereçam funcionalidade para home office e coworking, conforto nas áreas de convivência para permitir a interação de familiares e amigos, as construtoras se adaptam à nova realidade do mercado. “Também temos notado esse aumento de demanda - tanto do residencial, quanto de obras corporativas. Com prazos cada vez mais apertados, o tempo é um item 'de luxo' nos projetos e há uma grande pressão por cumprir as metas”, afirma a gestora de Assistência Técnica do Grupo A.Yoshii, Daniele Lifonsina Cintra Sagrado.

Reconhecida por cumprir rigorosamente os prazos de entrega desde que começou as atividades, há 56 anos, a construtora vem utilizando sistemas inteligentes e modernos que auxiliam e agilizam as etapas de construção. De acordo com Daniele, além dos modulares, usados em larga escala, a tecnologia de ponta veio para facilitar a execução da obra. “A construção civil brasileira sempre foi uma área muito 'artesanal', pois depende diretamente da qualificação da mão de obra”, observa. “Mas, nos últimos anos, temos utilizado a tecnologia a nosso favor, utilizando cada vez mais ferramentas inovadoras”, completa.

O que é o “BIM” na construção civil?

Entre os recursos aplicados às obras residenciais e corporativas da construtora, a gestora destaca a Modelagem da Informação da Construção (BIM, na sigla em inglês). Em linhas gerais, essa metodologia permite criar soluções digitais, manejando coordenadamente toda a informação de um projeto. “A evolução dos projetos em BIM proporciona maior domínio sobre as atividades que serão executadas em uma obra”, explica. “Podemos prever as possíveis interferências e os impactos no canteiro e antecipar soluções na realização da obra”, completa Daniele.

Também no desenvolvimento de produtos e materiais, a construção civil demonstra evolução. “Demos passos largos em relação a isso, com construções monolíticas em parede de concreto e a utilização de peças pré-moldadas, entre outros recursos”, destaca.

Softwares e drones

A tecnologia a favor da qualidade e da gestão das obras inclui ainda a utilização de drones para o monitoramento das edificações. “O uso de tablets em campo também representa um avanço”, avalia Daniele. “Graças ao equipamento, a liderança consegue checar projetos para sanar dúvidas e problemas técnicos em tempo real e acessar softwares para checagem de serviços e materiais, e controle das atividades desenvolvidas na obra.”

Para a gestora, a tecnologia e os materiais agregados à construção não apenas aumentam a produtividade durante a obra, como também são fundamentais para garantir a qualidade do produto final.

 

Sobre a A.Yoshii

Desde 1965, a A.Yoshii atua na construção e incorporação de imóveis residenciais e comerciais de alto padrão. Localizados nos bairros nobres de Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas, os empreendimentos se tornaram cartões postais dessas cidades. Com pontualidade na entrega e excelente padrão de acabamento, a construtora executa suas obras com excelência e inovação, priorizando as demandas do mercado, os anseios dos compradores, a segurança do trabalhador e a conservação ambiental. Mais informações: www.ayoshii.com.br

Sobre o Grupo A.Yoshii

Fundado há mais de 55 anos, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de m² do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná; e pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e democratização cultural. Além disso, atua em Obras Corporativas, atendendo grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br 

   Grupos folclóricos mostram, por meio da dança, suas tradições em apresentações virtuais

                                                                                  Créditos: divulgação

O tradicional Festival Folclórico de Etnias do Paraná foi adiado novamente devido às orientações de isolamento social. Organizadas pela Associação Inter-Étnica do Paraná, as apresentações presenciais que reuniam os grupos folclóricos do estado devem ficar para 2022. Neste ano, o evento será mais uma vez on-line, com o tema “O que nos une?”, para contar a história de cada um dos grupos que cultivam há anos as tradições por meio de sua dança.

Os vídeos, produzidos pelos próprios integrantes, trazem as histórias dos antepassados, dos primeiros imigrantes que se estabeleceram no Paraná às tradições de cada etnia preservadas até os dias de hoje. “Além de divulgar diversas culturas, nós queremos mostrar que o folclore não é apenas a dança, mas também as amizades que levamos para o resto de nossas vidas”, comenta o presidente da Associação, Rogério Flores. 

São 16 grupos folclóricos que, por meio da dança, mostram um pouco mais da sua história. Entre eles, o Grupo Folclórico Holandês de Castrolanda. “A trajetória de 68 anos do grupo, desde 1953, será representada com fotos, entrevistas e danças. Além disso, teremos a participação especial do Boerenkoor (coral dos fazendeiros) e também do Grupo Folclórico Infantil da Escola Evangélica da Comunidade de Castrolanda”, conta a coordenadora do grupo e integrante da Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH), Margje Rabbers.

As apresentações estão sendo veiculadas no canal do YouTube da Associação e seguem até dia 30 de agosto. O Grupo Folclórico Holandês de Castrolanda irá apresentar sua trajetória no dia 27 de agosto, sexta-feira, às 21 horas. 

SERVIÇO

O que nos une?

Data: 16 a 30 de agosto de 2021

Horário: 21h

Mais informações: 

Instagram: https://www.instagram.com/aintepar/ 

Youtube: https://www.youtube.com/c/AINTEPAR/featured 

Sobre a ACBH

A Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH) é uma organização formada por holandeses e descendentes de holandeses no Brasil, oriundos de diversas colônias. Visa preservar o patrimônio histórico artístico e cultural holandês e brasileiro para a posteridade. Também quer incentivar, desenvolver e divulgar as várias formas de expressão cultural. Mais informações: https://www.acbh.com.br


Com muito amor pela música instrumental, as duas musicistas, Maria Bragança e Maria Teresa Madeira, acabam de presentear os fãs com a reedição do CD "Duas Marias", obra lançada originalmente em 2015. O trabalho, que tem o patrocínio da CEMIG, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e que mescla o erudito e o popular, é lançado com a disponibilização de concertos on-line no YouTube: https://www.youtube.com/MariaBragancaOficial

Mas vale lembrar que antes de todo esse sucesso musical e dos concertos on-line, as artistas que já se conheciam, mas ainda não tinham um trabalho juntas, tiveram um grande reencontro das Duas Marias, Maria Bragança e Maria Teresa Madeira, em 2005, com o concerto na Sala São Paulo, a convite da Filarmônica Brasileira. Desde então, não se perderam de vista, com encontros musicais além de gravações no terceiro álbum da saxofonista Maria Braganca, intitulado Trova Brasileira (2055), nas faixas Odeon, do Ernesto Nazareth e Rosa de Pixinguinha.

O CD Duas Marias foi lançado no Festival VAC - Verão Arte Contemporânea. O trabalho foi indicado na pré-final do prêmio Grammy 2016. Em 2020, ganharam o prêmio de melhores instrumentistas da Radio Inconfidência, de Belo Horizonte, e reeditaram o mesmo álbum com o patrocínio da CEMIG, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

A saxofonista Maria Bragança destaca que o seu trabalho em parceria com Maria Teresa Madeira cria pontes entre a linguagem do erudito e do popular. "Interpretamos composições de músicos conhecidos como Radamés Gnattali, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Darius Milhaud e Astor Piazzolla e claro, nossas criações próprias. Mas tem também composições da grande compositora brasileira Chiquinha Gonzaga, como, também, da pianista Eliane Elias que é uma grande artista da música", diz.

Já a pianista Maria Teresa Madeira ressalta como foi o processo de escolha do repertório para o CD Duas Marias. "O disco foi o resultado de um trabalho que a gente já vinha fazendo em concertos e apresentações. É um CD muito eclético musicalmente, que conta com composições minhas e da Maria Bragança. Este trabalho nos trouxe muita alegria e um retorno muito bom do público", explica.

Participações

A reedição de Duas Marias conta com as participações dos percussionistas Marco Lobo e João Bani, além, do baixista Dudu Lima e do contrabaixista Omar Cavalheiro. O trabalho  promove ainda o encontro de Maria Bragança com a percussionista Débora Costa e a baixista Verônica Zanella, que são duas instrumentistas da nova geração da cena musical de Belo Horizonte. "Queremos que, através do nosso trabalho, mais mulheres se sintam motivadas a divulgarem os seus trabalhos. Fato ainda desconhecido pela maioria é que a mulher influenciou a evolução da música no mundo. Afinal, esse espaço foi ocupado por homens, por uma condição social que restringiu, ao longo dos tempos, o papel da mulher apenas como intérprete ou cantora. O reconhecimento da importância do papel da mulher na música é de grande relevância, pois colabora para que esse antigo estereótipo seja superado. No século XVII, em Paris, Elizabeth-Claude Jacquet de la Guerre, tida como a nova descoberta do século, foi a primeira compositora reconhecida pela Academia Royale de Paris. E agora, com a trajetória que Maria Teresa e eu trilhamos, podemos abrir caminhos e criar oportunidades para novas profissionais da música", conta a saxofonista.

 

Clóvis Salgado de Gontijo escreveu um texto sobre o CD Duas Marias. Confira na íntegra:

Duas Marias...

A unidade do dois

É sempre um desafio descrever experiências que se constroem fora do registro das palavras.

Portanto, é preciso ter cautela para dizer algo sobre a música e, mais ainda, sobre a música puramente instrumental.

Cautela para não orientar o ouvinte a um único "sentido" de escuta, para não sugerir referências e imagens que, além de fantasiosas, também poderiam restringir a expressividade múltipla própria a uma composição.

Diante de tais riscos, o que poderia ser dito sobre o CD de música instrumental Duas Marias?

Mais que sobre o teor expressivo das peças que o compõem, cujos títulos já estimulam vagas e abertas sugestões,conviria tecer algumas considerações sobre as particularidades deste duo.

No trabalho da saxofonista Maria Bragança e da pianista Maria Teresa Madeira, encontram-se indissociados os exercícios da interpretação e da recriação. A fim de interpretar grande parte do repertório selecionado, ambas o repensam e o reconfiguram, muitas vezes de maneira conjunta. Até mesmo peças por elas mesmas compostas adquirem neste CD nova roupagem. É o que ocorre em Barro Oco, de autoria da saxofonista, cujo barroquismo é reforçado pelo interessante contraponto bachiano que se ouve no piano nesta versão. A releitura também se nota no célebre Odeon, de Ernesto Nazareth, cujas hierarquias são subvertidas quando Bragança coloca em primeiro plano a linha ascendente do baixo. E, além destes momentos, o processo de recriação e co-criação se revela especialmente nas introduções e conclusões de algumas peças. Madeira inverte a forma do mesmo Odeon, abrindo-o, em atmosfera nostálgica, pela parte B e, no desfecho de Rosa, de Pixinguinha, realiza inesperado encadeamento harmônico, que faz desabrochar do sax arrojada despedida melódica.

O talento para a composição e o arranjo é comum a estas duas intérpretes, que, como o repertório deste CD, se movem na interseção entre o erudito e o popular. Quebrando limitados preconceitos, elas nos mostram quão fecundo é este território de encontro musical: a formação erudita proporciona domínio técnico, precisão e variedade nas articulações e sonoridades utilizadas, enquanto o contato com o popular garante fluidez e espontaneidade nas execuções. Ao ouvir o duo, é fácil confirmar preciosa observação transmitida por Berenice Menegale.

Segundo a pianista mineira, uma peça bem executada é aquela que parece ter sido improvisada. E não é isto o que sempre fazem as duas Marias, mesmo nas obras não adaptadas, como a Valsa triste, de Radamés Gnattali?

Talvez o elemento popular implique, de fato, uma extrema familiaridade com o fazer musical, qualidade que não deveria ser perdida de vista por nenhum músico. Ambas as instrumentistas nos ensinam que é possível mantê-la, sem perder o refinamento jamais... Refinamento da autêntica música de câmera, que transcende as separações entre os gêneros,e já se anuncia desde a primeira faixa do CD. Na Valsa da dor, de Villa Lobos, encontram-se sintetizadas as principais características do duo: a capacidade de "falar" e "responder", de igual para igual, na alternância de quem sempre sabe ouvir a outra voz. Assim se cria a misteriosa unidade musical, que, em vez de apagar, ressalta e  potencializa suas partes constitutivas, neste caso, a musicalidade singular de cada uma das Marias.

Clovis Salgado Gontijo

 

Sobre Maria Bragança

Mineira de Itabira, bacharel em saxofone com título de Mestre em Música pela Robert Schumann Musik Hochschule Dusseldorf -Alemanha. Teve a oportunidade de estudar com Ivan Roth, cursos com Arno Bomkamp e David Liebmann.

Maria Bragança já protagonizou uma série de concertos internacionais, ao lado do pianista Roberto Szidon, Michael Collins. Tocou ao lado dos grandes músicos do jazz como:  :contrabaixista Eberhard Weber, o percussionista Mustapha Tettey Addy, Naná Vasconcelos além de parcerias com o percussionista Djalma Corrêa e o guitarrista Toninho Horta. Atualmente é professora de musica da Fundação Artistica Belo Horizonte, realiza projetos sociais através da musica, Desde o lançamento de seu segundo CD Barro -Oco (trilha sonora do filme o poeta de sete faces )  filme sobre o poeta Carlos D. de Andrade no mercado brasileiro, a saxofonista Maria Bragança vem conquistando, no Brasil e na Europa um público seduzido pelas suas interpretações e composições.

 

Sobre Maria Teresa Madeira

Maria Teresa Madeira Estudou piano na Universidade Federal do Rio de Janeiro e fez o mestrado na Universidade de Iowa. É Doutora em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, onde é professora adjunta concursada desde 2009. Como solista e camerista apresenta-se com frequência no Brasil e no exterior, também ministrando masterclasses e workshops em países como E.U.A., França, Alemanha, Finlândia, Espanha, Argentina e Colombia. Em 1999 participou da serie televisiva que homenageou Chiquinha Gonzaga. Nesta ocasião gravou 3 cds dedicados a esta compositora. Com mais de 30 cds gravados, recebeu em 2016 o Prêmio da Música Brasileira e o Prêmio Bravo de Cultura com a Obra Integral de Ernesto Nazareth por Maria Teresa Madeira" (uma caixa com 12 cds totalizando 216 músicas) como melhor CD de música erudita.

 

Maria Bragança e Maria Teresa Madeira lançam reedição  do CD "Duas Marias" e disponbilizam concertos online no YouTube

Assista pelo: https://www.youtube.com/user/MariaBragancaOficial

A iniciativa conta com o patrocínio da CEMIG, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura

O CD físico está disponível para venda em www.mariateresamadeira.com.br, na distribuidora Sonhos e Sons, livrarias e lojas de CDs em Belo Horizonte.  As músicas também podem ser ouvidas por meio das plataformas digitais.

Duas Marias no Instagram: https://www.instagram.com/duasmariasinstrumental/

YouTube Maria Bragança: https://www.youtube.com/MariaBragancaOficial

Site Maria Bragança: www.mariabraganca.com

Yotube Maria Teresa Madeira: https://youtube.com/user/pianomadeira   

Site Maria Teresa Madeira: www.mariateresamadeira.com.br

 


Livre de vírus. www.avast.com.

Dispositivo liberador de progesterona da Bimeda amplia a concentração do hormônio em vacas, indica estudo

A reprodução bovina é um processo que requer atenção e que pode ser otimizado com estratégias direcionadas a fim de que o bem-estar animal seja preservado ao mesmo tempo em que se melhora o desempenho reprodutivo. Para ajudar nesse processo, a Bimeda, empresa com vasta experiência na fabricação, distribuição e comercialização de produtos farmacêuticos veterinários e produtos para saúde animal, desenvolveu uma solução adequada para aprimorar a reprodução bovina nas fazendas.

“O Biprogest, dispositivo intravaginal em forma de T destinado a bovinos, tem a função de regular o ciclo estral em bovinos, auxiliando na aplicação de programas de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), programas de superovulação de doadoras em tempo fixo (TETF) e sincronização de receptoras”, , afirma Rodrigo Da Cruz Costa Santos, gerente de produto da Bimeda.

Um estudo sobre o Biprogest, organizado pela Biotran com a finalidade de determinar a quantidade residual da progesterona nos animais, contou com 18 fêmeas bovinas mestiças, sendo nove novilhas (322 a 375kg) e nove vacas (388 a 512kg). Nelas, foi analisada a curva de liberação de progesterona de um dispositivo intravaginal (DIV) contendo 1,25g de princípio ativo em três utilizações consecutivas em fêmeas sem progesterona endógena. 

Nos três usos de Biprogest, houve aumento nas concentrações de progesterona endógena nas fêmeas, visto que, em todos os casos, as concentrações, 12 horas após a inserção, foram superiores às observadas imediatamente antes da inserção.

De forma semelhante, a queda nas concentrações após a remoção do Biprogest também foi rápida. “Nos diferentes usos, a concentração de progesterona, 12 horas após a remoção, foi inferior àquelas observadas imediatamente antes da remoção do dispositivo, efeito que é esperado e desejado para que a fêmea possa ovular devido à baixa concentração de progesterona endógena”, explica o gerente.

Influência da massa corporal da fêmea 

No estudo da Biotran, foi constatado, também, que a massa corporal dos animais interfere na concentração de progesterona circulante proporcionada pelo dispositivo. Em fêmeas de maior massa, a progesterona dilui mais, proporcionando menores concentrações. Consequentemente, o desempenho reprodutivo também é influenciado pela massa da fêmea.

O perfil de liberação é semelhante em animais de diferentes massas corporais. Porém, existe efeito desta condição nas concentrações de progesterona. “Identificamos no estudo que, em animais de menor massa corporal (novilhas), as concentrações são numericamente superiores em todos os dias de colheita, de 12 a 192 horas”, pontua Santos. 

Após cada uso, os dispositivos foram identificados, lavados com água, secos na sombra e armazenados em sacos plásticos até a análise da quantidade restante de progesterona no produto. O teor absoluto de progesterona remanescente em relação à quantidade original (1,25g) foi de 0,78g após o primeiro uso, 0,52g após a segunda utilização e 0,26g ao final do terceiro uso.

“Os resultados mostram que, quanto maior a concentração inicial, maior a perda absoluta e percentual de progesterona no dispositivo Biprogest”, finaliza o gerente de produto da Bimeda.

 



Projeto Nossa Horta tem como intuito incentivar a responsabilidade social e sustentabilidade, além de promover o consumo orgânico

 

Sustentabilidade, alimentação e solidariedade. O projeto Nossa Horta, do JK Shopping, proporciona aos seus clientes, funcionários, comunidade, iniciativa social e, também, para os alunos da Escola Classe 42, de forma gratuita, o consumo de alimentos orgânicos para um estilo de vida mais saudável



A iniciativa está com uma programação bem especial, todas as terças-feiras o cultivo que é feito na lateral do estacionamento do centro comercial, vai colaborar com a merenda dos alunos da escola classe 42. Enquanto na próxima quinta-feira (26), em uma ação solidária, a colheita será, exclusivamente, destinada para o Instituto Proeza, localizado no Recanto das Emas, que tem como foco ações de geração de renda, apoio psicológico e emocional a mulheres em situação vulnerável.

A produção tradicionalmente colhida e distribuída quinzenalmente, às quintas-feiras, a partir das 15h também realiza distribuição entre o público em geral, clientes, lojistas e colaboradores. A plantação é 100% orgânica e o adubo vem do processo de compostagem dos resíduos orgânicos recolhidos da praça de alimentação do shopping.

Os interessados na próxima colheita, que será feita no dia 9 de setembro, terão a oportunidade de levar para casa, com toda segurança, os produtos fresquinhos da horta comunitária. Tudo o que for colhido, mediante disponibilidade, será higienizado antes da entrega. Ao todo, serão ofertados cerca de 20 espécies variadas como hortelã, boldo, erva cidreira, melissa, mastruz, citronela, capim santo, carqueja, cavalinha, entre outros.

A retirada é realizada no balcão de informações que fica no piso L1. Os funcionários do shopping, responsáveis pela entrega, estarão vestidos com aventais, além de utilizarem máscaras e luvas.

Sobre o Nossa Horta

A iniciativa foi inaugurada em setembro de 2018 e promove o plantio de hortaliças e a educação alimentar saudável, além de cultivar laços de solidariedade entre a comunidade local. Localizada na lateral da entrada do estacionamento, a horta é composta por hortaliças e ervas medicinais e ocupa uma extensão de aproximadamente 200m².

Premiado nacionalmente em 2019, no mais importante prêmio da indústria de shoppings centers do Brasil: o prêmio Abrasce, o JK Shopping foi agraciado na categoria Newton Rique de Sustentabilidade com o projeto Nossa Horta, que inspira as pessoas a plantarem hortas em casa. A iniciativa propaga a sustentabilidade e incentiva o consumo e cultivo de produtos naturais em zonas urbanas.



Detran-DF utiliza nova metodologia para dar celeridade à análise de processos de suspensão e cassação de CNH



De janeiro a julho deste ano, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) aplicou a penalidade de suspensão do direito de dirigir a 2.876 condutores infratores. Destes, 97,5% foram penalizados devido à direção sob influência de álcool ou outra substância entorpecente, ou por recusar-se a realizar o teste do etilômetro, conforme previsto nos artigos 165 e 165-A, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Segundo a Gerência de Registro e Controle de Penalidade do Detran-DF (Gerpen), em todo o ano passado, o Detran-DF suspendeu 2.107 motoristas. Em virtude da pandemia da Covid-19, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou a Resolução nº 782, que interrompeu os prazos de defesa e de recurso dos processos de aplicação de penalidades. Já em 2019, foram suspensos 4.949 infratores.

Aumento da análise de processos
Ao todo, nestes primeiros sete meses do ano foram analisados 24.112 processos de recursos diversos. Anteriormente, o recorde em análise de processos havia sido em 2011, quando foram apreciados 6.843 pedidos de recursos. Em 2020, foram avaliadas 2.322 e, em 2019, 5.738 solicitações.

De acordo com a Gerpen, a atual gestão fortaleceu o setor e reforçou o número de servidores, a definição de novos parâmetros tem contribuído para a ampliação da análise de processos de suspensão do direito de dirigir e de cassação de CNH. A nova metodologia e a padronização de procedimentos foram implantadas tanto no Núcleo de Análise de Recurso de Penalidade (Nuare) quanto no Núcleo de Análise de Defesa Prévia (Nudep) e consiste na triagem e classificação por assunto.

Com a nova metodologia, houve um aumento médio de oito vezes na quantidade de análises de processos de suspensão do direito de dirigir e cassação da CNH por colaborador, no Nuare, e seis vezes na quantidade de análises de processos de defesa prévia por colaborador, no Nudep.

Suspensão
A suspensão do direito de dirigir é efetivada após o fim do processo administrativo, no qual é garantido ao infrator a ampla defesa e o contraditório. Concluído o processo, o motorista é notificado e após 60 dias, inicia-se o cumprimento da penalidade mediante o bloqueio do registro da habilitação no sistema. Terminado o período de suspensão e após realizar o curso e o exame de reciclagem, o condutor terá o registro liberado.


Caminhamos para o último trimestre do ano. 2021 sem dúvida foi um ano de desafios não apenas para as empresas, indústrias e comércio em geral, como também para a população. A pandemia trouxe incertezas e um novo olhar para a vida, para os setores e para o mercado em geral



Com a reabertura e a expectativa de um retorno à normalidade, as empresas passam a pensar novamente em um planejamento estratégico para os próximos anos. Segundo o consultor e sócio fundador da Partner Consulting Rui Rocha, a falta de perspectivas em relação ao que aconteceria em 2020 e 2021 fez com que as empresas se mobilizassem para a sobrevivência dos negócios, deixando o planejamento estratégico a longo prazo para depois. "Hoje já estamos tendo demandas e procura de diversos setores para projetos a longo prazo", ressalta.

Rui Rocha salienta que muitas estratégias adotadas para 2020 já estão obsoletas devido ao novo formato de negócios que se desenhou com a crise sanitária. "As empresas costumavam estabelecer uma meta de participação do e-commerce no faturamento total entre 5% e 10% e com a pandemia, a realidade foi outra, investimentos foram realizados e a participação do e-commerce acabou alcançando a casa de 60%", exemplifica. "Como também tivemos setores que foram diretamente afetados com os decretos e precisaram se manter ativos com reservas. Outros, precisaram mudar a forma de desenvolver o negócio", relembra.

Hoje o consultor avalia que muitos serviços considerados essenciais até o início de 2020 vão, com o tempo, deixar de existir ou reformular totalmente. "A tecnologia nos mostrou nesse período sua importância. E quando falo em tecnologia, não me refiro à infraestrutura tecnológica, mas sim sobre os negócios gerados com investimentos tecnológicos. A empresa que não se atentar a esse detalhe no futuro e não se modernizar, estará fora do combate", alerta.

O foco hoje num planejamento estratégico, segundo Rui Rocha, é vislumbrar a inovação disruptiva. "Vamos precisar olhar o futuro do serviço da empresa, visando impulsionar seus negócios, criando um novo mercado, e buscando atender um público que antes não era o foco da empresa", explica. "A partir de agora, o que era moderno hoje, amanhã passa a ser obsoleto com os avanços tecnológicos constantes. E ao realizar o planejamento estratégico é necessário focar esses objetivos", pontua Rui Rocha.

Dentro da Partner Consulting, existem exemplos de planejamentos estratégicos de sucesso, de vários segmentos, dentre eles o realizado em parceria com o Sistema Ocepar – o Plano Cooperativo 100 (PRC100), voltado às cooperativas paranaenses com o intuito de dobrar o faturamento e apresentar um crescimento sustentado durante os últimos 5 anos. "Trabalhamos com todas as cooperativas associadas do Sistema Ocepar, e em 2020 finalizamos o PRC100, atingindo um aumento de 32% do faturamento em relação a 2019, fechando o ciclo de planejamento com R$ 115,7 bilhões, 15,7% acima da meta definida em 2015 que era de atingir 100 bilhões até 2020", comemora Rui Rocha. Para os próximos cinco anos o Sistema Ocepar já está traçando o PRC 200, que tem como meta 200 bilhões na movimentação econômica até 2025, R$ 5 bilhões de investimentos e R$10 bilhões de resultados anuais.

Finalizando, Rui Rocha enfatiza que é de extrema importância que as organizações repensem e revisem os planejamentos estratégicos realizados e insiram na nova realidade a governança coorporativa. "Percebemos nesses últimos dois anos que todos somos substituíveis e que não somos eternos. Precisamos pensar nos líderes de amanhã e precisamos ter um tempo para nós", enfatiza. Já em relação aos planos estratégicos eles precisam sempre ser revisados, e não apenas em momentos de crises. "A revisão do planejamento é fundamental para assegurar que ele esteja de acordo com o cenário atual, vislumbrando mudanças futuras. Assim, alinhados com os colaboradores, gestores e direção, todos caminharão numa mesma direção".



A prática de exercícios físicos por idosos mantém a independência em tarefas do cotidiano e ainda garantem a manutenção das forças musculares


 

Se você tem mais de 65 anos e deseja se manter ativo com qualidade de vida, precisa conhecer o programa Idade Ativa da Acuas Ftiness. A atividade física proporciona benefícios importantes para a terceira idade, como: a prevenção e a redução de problemas cardiovasculares e pulmonares, ajuda no controle do diabetes, da artrite, no fortalecimento muscular, na manutenção da densidade óssea, saúde física e mental, melhora significativamente o equilíbrio e a velocidade de caminhada.

A prática de exercícios físicos por idosos mantém a independência em tarefas do cotidiano e ainda garantem a manutenção das forças musculares. A relação entre atividade física, qualidade de vida e envelhecimento vem sendo discutida e analisada cada vez mais, e os profissionais de saúde chegaram a um consenso de que um estilo de vida ativo é o determinante do envelhecimento com qualidade.

Treinar em família é uma excelente estratégia para manter a rotina de exercícios e otimizar os resultados.

Não faltam motivos para adotar essa prática, por isso listamos 5 razões para você deixar o treino solitário de lado e levar toda a família para se exercitar com você. Confira abaixo:
  1. Treino em família é sinônimo de sinergia
  2. Todos entram na linha no quesito alimentação
  3. Treinar em família é uma questão de exemplo
  4. Os treinos em família são mais estimulantes
  5. Tempo de qualidade juntos
Você já passou pela experiência de treinar em família? Você gostou? Compartilhe conosco a sua experiência e não perca mais tempo, faça uma aula gratuita. Para mais informações:

Águas Claras: (61) 98625-8496

Sudoeste: (61) 99529-3117

Asa Sul: (61) 98611-7155

Asa Norte: (61) 3963-3853

Lago Sul: (61) 98611-7155

412/413 Sul: (61) 98611-7155



O Boletim Agro em Dados de agosto também indica ganho de produtividade e área plantada na cultura que é protagonista na mesa do brasileiro.  A produção do grão deve atingir 353,9 mil toneladas, com área plantada de 144,5 mil hectares e produtividade média de 2,4 toneladas por hectare. Soja, carne bovina e frangos também apresentaram altas importantes



Para a oleaginosa, na temporada 2020/21, a estimativa é de crescimento de 4,3% na produção, chegando a 13,7 milhões de toneladas (Foto: divulgação)

 O feijão é o destaque da nova edição do boletim Agro em Dados. A publicação traz estimativa de crescimento da cultura em relação à safra anterior e projeta ganho de posição para Goiás no ranking de maiores produtores, assumindo a quarta colocação entre os Estados e o Distrito Federal. A produção do grão deve atingir 353,9 mil toneladas (+6,3%), com área plantada de 144,5 mil hectares (+4,1%) e produtividade média de 2,4 toneladas por hectare (+2,1%). O boletim completo está disponível em PDF no site da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa): www.agricultura.go.gov.br.

Soja, carne bovina e frangos também apresentaram altas importantes. No caso da oleaginosa, na temporada 2020/21, a estimativa é de crescimento de 4,3% na produção, chegando a 13,7 milhões de toneladas. Houve expansão de 4,2% da área plantada, alcançando 3,7 milhões de hectares, e a produtividade média atingiu 3,7 toneladas por hectare. Impulsionado por bons preços e resultados nas lavouras, o valor bruto da produção (VBP) de soja deve subir 25% em 2021, totalizando R$ 35,1 bilhões.

A estimativa para o VBP da carne bovina é de expansão de 13%, o que corresponde a R$ 15,4 bilhões. Na terceira posição entre os maiores exportadores de carne bovina do país, Goiás somou US$ 564,7 milhões em vendas externas no primeiro semestre deste ano – crescimento de 8,6% em comparação com o mesmo período de 2020. O prognóstico para o VBP da carne de frango é de incremento de 11% em 2021, chegando a R$ 6,8 bilhões. As vendas externas da proteína fecharam com aumento de 12,8% no acumulado do ano (janeiro a junho), somando US$ 192,3 milhões. O volume total exportado foi de 106,7 mil toneladas (+3,3%).

Alta produtividade
"Apesar das perdas provocadas pelos desafios climáticos, Goiás mantém um desempenho forte no setor do agronegócio, com alta nos principais produtos da pauta exportadora e excelentes notícias em culturas que são protagonistas na mesa do brasileiro, como o feijão", exalta o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça. Ele destaca o alto nível de produtividade na produção irrigada, que entrou em fase de colheita da terceira safra.

"O VBP total de Goiás deve superar R$ 92 bilhões em 2021, uma alta de 10,7% que mantém o setor numa rota de crescimento acelerado", comenta o superintendente de Produção Rural Sustentável da Seapa, Donalvam Maia. De acordo com o gestor, os VBPs da agricultura e da pecuária no Estado devem ser de R$ 62,4 bilhões e R$ 29,9 bilhões – ampliação de 11,8% e 8,4%, respectivamente, na comparação com o ano passado.

Crédito facilitado
O boletim de agosto também traz um balanço das atividades relacionadas a crédito assistido desenvolvidas pela Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). A jurisdicionada da Seapa é um dos principais facilitadores de acesso a financiamentos para agricultores familiares no Estado. Apenas no primeiro semestre de 2021, os servidores da Agência ajudaram na elaboração de 746 projetos, que resultaram na contratação de R$ 60,3 milhões em financiamentos. Os recursos são direcionados a empreendimentos localizados em 70 municípios de todas as regiões no Estado.

A publicação
O Agro em Dados é produzido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). O levantamento e a edição das informações estão sob a responsabilidade da Gerência de Inteligência de Mercado da Superintendência de Produção Rural Sustentável. As fontes são: Emater, Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Conab, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Ministério da Economia. A periodicidade é mensal. Acesse a edição de agosto: https://www.agricultura.go.gov.br/files/AgroemDados21/AGOSTO-AGROEMDADOS.pdf.



Nesta quarta-feira, 25 de agosto, a Câmara de Valparaíso de Goiás recebeu a visita do Deputado Federal Rubens Otoni. Durante sua passagem pelo Poder Legislativo Municipal, Otoni reforçou seu compromisso com a comunidade de Valparaíso de Goiás



"Nós nos esforçamos muito para estar sempre presente, para saber das necessidades e anseios e, a maneira mais eficiente de saber o que o município necessita é interagir com a Câmara Municipal, porque os vereadores estão mais próximos da realidade da população", explicou.

O presidente da Casa de Leis, Placido Cunha, aproveitou o ensejo para evidenciar a trajetória política de Rubens Otoni e seu compromisso com a cidade. Os demais vereadores também aproveitaram o momento para agradecer a visita e o trabalho político e social.
 
Projetos de Lei
PL Cláudia Aguiar – Institui o Programa Municipal a Mulher na Política dispondo sobre medidas de incentivo da participação da mulher nas atividades políticas.

PL Cláudia Aguiar – Institui a transmissão ao vivo de licitações promovidos pela Prefeitura de Valparaíso de Goiás e Câmara de Valparaíso de Goiás pelo site, redes sociais e demais canais oficiais de comunicação, abrangendo todas as fases da licitação consideradas públicas.

PL Placido Cunha – Proíbe a fixação de cartazes, de quaisquer natureza, em postes de iluminação, árvores, paradas de ônibus e viadutos.
  
Indicações
– Escala de horário do uso do campo de futebol sintético;

– Linha de telefone e internet para marcação de horário para utilização do campo sintético

– Colocação de quebra-molas em ruas do bairro Ipiranga

– Serviço de limpeza e manutenção do cimento que está sendo despejado próximo à empresa Ciplan;

– Solicitação de Estudos Técnicos para implementação de semáforo próximo à rotatória do bairro Valparaizo II;

– Reparos de pavimentação asfáltica em ruas do Setor de Chácaras Anhanguera C;

– Tapa-buraco em rua do bairro Céu Azul;

– Troca de lâmpadas convencionais para de LED em ruas do bairro Santa Rita e Parque Marajó.

– Construção de Creche no bairro Ipiranga A;

– Pintura de faixas de pedestre no bairro Ipiranga A;

Ordem do Dia

Segunda discussão e votação do Projeto de Lei que autoriza a abertura de créditos suplementares na lei orçamentária exercício 2021.

Autoria Poder Executivo

Terceira discussão e votação do Projeto de Lei que dispõe sobre a coleta de Entulhos volumosos e lixo proveniente de limpeza de Jardim.

Autoria vereador Maria do Monte

Terceira discussão e votação do Projeto de Lei que autoriza o poder executivo a criar Patrulhas Maria da Penha na guarda Municipal.

Autoria vereadora professora Elenir

Terceira discussão e votação do Projeto de Lei que autoriza o poder executivo A contratação temporária de educador físico comunitário para partes e peças no programa sedentarismo não me dá outras providências Antônio.

Autoria vereador Placido Cunha

Terceira discussão e votação do Projeto de Lei que dispõe sobre a reestruturação da Corporação da guarda mirim no município de Valparaíso de Goiás.

Autoria vereadora Maria do Monte

Segunda discussão e votação do Projeto de Lei que institui define diretrizes para política pública menstruação sem tabú de conscientização sobre a menstruação EA universalização do acesso absorvente higiênico em Valparaíso de Goiás. Autoria vereadora Cláudia Aguiar

Segunda discussão e votação do Projeto de Lei que fica autorizado o Poder Executivo a instituir o auxílio Municipal emergencial para as pessoas em situação de vulnerabilidade Social agravada pela pandemia da doença infecciosa viral respiratória covid-19.

Autoria a vereadora Cláudia Aguiar

Segunda discussão e votação do projeto de lei que autoriza o poder executivo a instituir no município de Valparaíso de Goiás a semana Municipal de conscientização do descarte responsável do lixo e do dia do reciclador.

Autoria vereadora professora Elenir

Segunda discussão e votação do Projeto de Lei que dispõe sobre a obrigatoriedade ao serviço de transporte coletivo urbano de divulgação de informação sobre itinerários e horários das linhas de ônibus no município de Valparaíso de Goiás.

Autoria da vereadora Cláudia Aguiar

Projetos de resolução

Primeira discussão e votação do Projeto de Resolução que altera dispositivos da resolução nº 51 de 20 de setembro de 2002.

Autoria vereador Placido Cunha

Primeira discussão e votação do Projeto de Resolução que institui o banco de ideias legislativas no âmbito do município de Valparaíso de Goiás.

Aautoria vereadora Professora Elenir

Projeto de Decreto Legislativo

Primeira discussão e votação do Projeto de Decreto Legislativo que aprova balanço geral referente às contas de governo da Prefeitura Municipal de Valparaíso de Goiás, relativas ao exercício de 2015.

Autoria: Comissão de Finanças, Orçamento e Economia

Assessoria de Comunicação da Câmara de Valparaíso de Goiás

Texto: Juliana Gentila

Fotos: Cleben Lopes

Melhores

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.