A empresa também entrega ainda neste ano a construção de aproximadamente 23 quilômetros de rede de média tensão para levar energia da subestação à população. No total, companhia está investindo cerca de R$ 2,8 milhões na unidade, que vai beneficiar mais de 7 mil clientes


A Enel Distribuição Goiás finalizou a ampliação da Subestação São João d´Aliança, medida que vai melhorar a qualidade do serviço para os clientes da região, reforçando o compromisso da companhia em transformar a realidade do fornecimento de energia em todo o Estado. 

Foi construído um novo vão para linha de distribuição, onde até o fim do ano serão conectados cerca de 23 quilômetros de redes de distribuição, que levam a energia da subestação para os consumidores. No total, a empresa está investindo em torno de R$ 2,8 milhões na obra, que vai beneficiar mais de 7 mil clientes. 

O diretor-presidente da Enel Distribuição Goiás, José Luis Salas, explica que a unidade foi modernizada e agora conta com aparelhos telecomandados, que permitem ser acionados pelo Centro de Operação, em Goiânia, trazendo mais agilidade ao serviço. “Além desta subestação, outras 86 foram ampliadas e/ou modernizadas somente neste ano, aumentando a qualidade e a confiabilidade do fornecimento de energia elétrica em todo o Estado”, afirma. 

Desde que assumiu a distribuição de energia em Goiás, a Enel inaugurou seis novas subestações e, até o fim deste ano, vai inaugurar outras seis: Ipê, em Rio Verde; Niquelândia; Paranaiguara; Santo Antônio do Descoberto; Estrela D’Alva, em Cidade Ocidental; e Santa Genoveva, em Goiânia. 

Sobre a Enel Distribuição Goiás 
A Enel Distribuição Goiás, subsidiária da multinacional italiana Enel, atende 237 municípios do Estado de Goiás, abrangendo 98,7% do território estadual, com cobertura de uma área de 336.871 km². A Região Metropolitana de Goiânia representa a maior concentração do total de 3 milhões de clientes atendidos pela companhia.


A Shopping House é referência em venda e manutenção de purificadores de água e filtros centrais no Distrito Federal

Foto: Lorena Alves.

Além de possuir tradição e qualidade reconhecida em serviços de higienização de caixas d’água em condomínios residenciais e comerciais, a empresa está presente também, no dia a dia e na memória dos brasilienses que atestam a qualidade dos serviços prestados de qualidade e reconhecimento do mercado candango. 

O empreendimento faz parte do ramo varejista e de prestação de serviços e está localizado no coração do Plano Piloto, na W3 Norte Qd 704 - Bloco E - Loja 21 - Asa Norte - Brasília/DF. 

Hoje, a shopping house presta serviços de: Higienização e limpeza de caixa e reservatório de água de prédio residencial e comercial; Venda e manutenção em filtro central, filtro de piscina, filtro e bebedouros de água; Confecção e instalação de tampas para caixa e reservatórios de água e alçapão. 

Há 22 anos no mercado, ser destaque neste ramo é fruto de um trabalho muito virtuoso e de qualidade. Hoje, ter água de qualidade é fundamental para a vida e, o maior compromisso é oferecer serviços e produtos que cuidem da saúde do brasiliense. 

Beber água de qualidade transforma vidas e para isso, o objetivo da empresa é se empenhar todos os dias para oferecer o melhor serviço. 

O diretor da Shopping House, Adalton Rodrigues, comenta sobre a satisfação de trabalhar nesta grande empresa. “Tenho uma satisfação enorme, além de gerar renda para o DF e o Brasil, geramos empregos diretos e indiretos. É uma grande satisfação cuidar da saúde da água dos moradores de Brasília”, disse. 

Respeitando toda a documentação exigida pelos órgãos de controle, a empresa possui diversos diferenciais, como: Seguro de responsabilidade civil; Seguro de vida; Registro na ANVISA - Nº SIS0019-02; Registro Conselho Federal de Química XII Nº 002494; Responsável técnico profissional com registro no CRQ; Certificado para inspeção sanitária; Norma de Regulamentação 33 – Segurança e saúde nos trabalhos em espaços confinados e Norma de Regulamentação 35 – Trabalho em altura. 

A Lei distrital Nº 3.978, de 29 de março de 2007, que regulamenta o serviço de limpeza de caixas d’água em todo o território do Distrito Federal, é totalmente respeitada pela Shopping House. 

O horário de funcionamento da empresa é das 8h às 18h, de segunda a sexta, e de 8h às 12h, aos sábados. O telefone para contato é o 61 9 9333-7804 (Whatts App) e o 61 4042-1320 (Fixo) e o e-mail: contato@shoppinghousedf.com.br

Foto: Lorena Alves.

Foto: Lorena Alves.


Redução foi verificada no 1º semestre de 2020, em relação a mesmo período do ano passado. Especialista explica e dá orientações Gambiarras elétricas causam acidentes, muitas vezes fatais Um levantamento da Associação Brasileira de Conscientização para Perigos da Eletricidade (Abracopel) mostra que o país registrou nos primeiros seis meses de 2020 uma redução no número de mortes por choques, descargas ou incêndios elétricos. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a queda foi de praticamente 8% Também diminuiu o número de total de ocorrências (incluindo as não fatais). De acordo com a entidade, no total de 741 ocorrências com eletricidade registradas no Brasil entre janeiro e junho deste ano, houve 398 mortes. No primeiro semestre de 2019, foram mais ocorrências (826) e um número maior de vítimas que não resistiram: 434. As ocorrências incluem choques elétricos, incêndios por sobrecarga e descargas elétricas. O levantamento abrange as ocorrências nas redes aéreas e nas moradias. Em uma e outra, no primeiro semestre de 2020 houve redução em relação ao mesmo período de 2020 - tanto no total de ocorrências, como no número de vítimas que vieram a morrer (ver tabela ao final do texto). RANKING DOS ESTADOS X CHOQUES ELÉTRICOS Os choques elétricos por região continuam mantendo uma tendência, sendo a Região Nordeste, novamente, a que apresenta os maiores números. A Bahia continua se destacando negativamente no ranking de mortes por choque elétrico por estado brasileiro. Em 2019, a Bahia foi campeã, com São Paulo aparecendo na vice-liderança, porém nos 6 primeiros meses de 2020, o estado de São Paulo caiu para 4º lugar e o Rio Grande do Sul subiu para a vice-liderança. EXPLICAÇÃO Uma primeira análise poderia indicar uma contradição: se o primeiro semestre de 2020 foi marcado pelo isolamento social, em decorrência da pandemia de covid-19, as pessoas não estariam mais expostas aos riscos em casa e, assim, a tendência seria de aumento dos casos? Para o engenheiro eletricista Fábio Amaral, sócio-diretor da Engerey – empresa de Curitiba especializada no fornecimento de painéis elétricos para a indústria – a lógica é justamente inversa. Com mais tempo em casa, explica Fábio Amaral, as pessoas estão mais atentas a eventuais falhas e defeitos, e se deparam com esses problemas antes que se tornem algo mais grave. “As pessoas estão sim usando mais produtos que exigem energia elétrica, como eletroeletrônicos, eletrodomésticos, ou carregando celulares. Porém, se algo acontece, as pessoas percebem imediatamente e podem corrigir antes que a falha se torne foco de sobretensão”, explica ele. ORIENTAÇÕES A correção dos problemas, no entanto, não deve ser feita de forma improvisada, ou por alguém que não tenha conhecimento sobre eletricidade. Mesmo estando em casa, identificando um problema, a recomendação é sempre recorrer a um profissional, sublinha Fábio Amaral. “Também não se deve buscar a solução na internet. Problema de eletricidade deve ser resolvido por alguém preparado nessa área”. O engenheiro eletricista reitera orientações fundamentais para se evitar acidente. Por exemplo, manter o uso de aparelhos elétricos longe de áreas úmidas. “O contato da eletricidade com a água é sempre muito perigoso”, ressalta. Vale ainda, acrescenta, advertir sobre o carregamento de celulares. Fábio Amaral lembra que o uso de celular enquanto está carregando é arriscado. “Pode haver superaquecimento da bateria e explosão, como aliás, não raro, vemos sendo noticiado pela imprensa”. A utilização do dispositivo Diferencial Residual (DR) nos quadros elétricos também é indicada pelo especialista, pois protege contra choques elétricos. Contudo, apesar de ser de uso obrigatório desde 1997 (NBR 5410), sua exigência não é seguida na maioria das residências. Engenheiro Eletricista Fábio Amaral mostra DR em quadro elétrico "Com o DR os acidentes com eletricidade são evitáveis. O dispositivo reconhece que por determinada fiação está vazando um percentual de corrente elétrica diferente do habitual, como no caso de uma criança colocando uma chave na tomada. Assim, o DR desarma os circuitos que estão ligados a ele interrompendo o choque elétrico”, explica Amaral. OS DADOS ACIDENTES ELÉTRICOS NO BRASIL Comparativo 1º semestre de 2019 x 1º semestre de 2020 TIPO DE OCORRÊNCIA | EM 2019 | 2020 Choque elétrico - total | 484 | 434 Choque elétrico - fatal | 374 | 355 Incêndio por sobrecarga - total | 287 | 260 Incêndio por sobrecarga - fatal | 28 | 09 Descargas atmosféricas - total | 55 | 46 Descargas atmosféricas - fatal | 32 | 34 Total de ocorrências | 826 | 741 Total de mortes | 434 | 398 ---- COMPARATIVO REDE AÉREA x CASA ORIGEM DA OCORRÊNCIA | 2019 | 2020 Rede aérea - total | 165 | 145 Rede aérea - fatal | 122 | 111 Moradia - total | 138 | 127 Moradia - fatal | 126 | 112

9/28/2020 10:25:00 PM

  

A Saúde tem tido uma atenção especial do Governo do Distrito Federal juntamente com a Administração do Guará. Em entrevista coletiva concedida na última terça (25), foi anunciado que a base do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) será reformada e ampliada.

O investimento será de 80 mil e a previsão é que as obras comecem ainda esse ano. Seguindo exigências, a Base do Samu passará por reforma para se qualificar dentro do padrão exigido.

A administradora do Guará Luciane Quintana comentou sobre a aproximação da base com a população. “A transferência da base de atendimento emergencial do Samu vai beneficiar a comunidade próxima das QE's 38, 42,44,46 com a ocupação do salão comunitário da QE 42. A presença do poder público mais perto dos moradores trará mais segurança e participação da população, lembrou Luciane.

O deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos), comentou essa nova fase para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência da cidade. “Essa obra vai significar melhores condições de trabalho para nossos heróis, que socorrem tantas pessoas todos os dias. Pensamos neles e na comunidade também, porque o Guará precisa muito”, disse o parlamentar.

A auxiliar administrativa Carla Freitas (37) afirma que essa demanda já era muito antiga dos moradores da cidade. “Todo investimento em saúde é importante, pois é o serviço mais solicitado por nós moradores, juntamente com a educação. Certamente esta base trará avanços relevantes aos serviços do Samu. Estamos felizes com essa reforma, obrigado ao poder público que nos ajudou e atendeu”, comenta Freitas.

O designer Luis Fernando Gomes (25) disse que a nova base do SAMU vai ser muito importante para os moradores do Guará. “Agradeço o deputado Delmasso por esse investimento na saúde pública. Essa base vai ser essencial para melhorar o atendimento aqui no Guará e os serviços dos profissionais do SAMU, que terão melhores condições de trabalho.”

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192 é o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências, criada em 2003, que tem como finalidade proteger a vida das pessoas e garantir a qualidade no atendimento no SUS. O serviço funciona 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde e realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. O socorro é feito depois da ligação para o número 192, que é gratuita.

 O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta segunda-feira (28), o programa Renda Cidadã e discutiu com ministros e líderes do Congresso assuntos importantes da pauta econômica, como a desoneração e a reforma tributária



Foto: Gabriela Antunes.

A deputada Flávia Arruda (PL-DF) participou da reunião como líder do partido e reforçou apoio ao programa, mas defendeu que nenhum recurso da educação deve ser retirado da área.

"Sempre defendi a criação de um programa que acolha as milhares de pessoas em vulnerabilidade, muitos destas estavam na invisibilidade para as políticas públicas. Mas de forma alguma o programa Renda Cidadã deve retirar recurso da educação", destacou Flávia Arruda.

Representatividade

Nas redes sociais a parlamentar ainda ressaltou a importância e desafio da presença feminina na política. Entre os 36 participantes da reunião, com as principais lideranças políticas do país, Flávia Arruda era a única mulher. 

A maior participação da mulher na política é uma das bandeiras da parlamentar que é também presidente do Partido Liberal no DF e integra movimentos como o Vamos Juntas, que incentiva e capacita lideranças femininas.

 

O projeto vai incentivar a cidadania e o protagonismo jovem

Foto: Rogério Lopes.

O vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso (Republicanos) criou o Projeto de Lei 1401/2020 que institui a Política Distrital da Juventude Saudável. A proposta vai tratar sobre direitos dos jovens, princípios e diretrizes das políticas públicas.

O objetivo principal é criar mecanismos de referência em políticas públicas juvenis para serem desenvolvidas pelo Governo do Distrito Federal, em conjunto com as Organizações Juvenis, Instituições Públicas, Sociedade Organizada e família. E eliminar desigualdades históricas, garantindo a igualdade e a equidade de oportunidades e tratamento aos jovens.

Dessa forma, incentivar o exercício da cidadania, a participação e protagonismo juvenil, de modo direto ou indireto, em espaços como o Centro de Juventude, escolas e outros que forem sendo devolvidos ao longo do tempo.

“Nossos jovens são o futuro do nosso país. Precisamos acreditar e investir neles! Esse projeto vai contribuir muito para trazer a juventude do DF para uma posição de oportunidades e crescimento. ” Disse Delmasso.

 


Bom gestor, prefeito tem se destacado na defesa e promoção da saúde dos cidadãos valparaisenses



Fotos: Renan Oliveira.

Maior referência do Entorno do Distrito Federal no enfrentamento a pandemia, o município de Valparaíso de Goiás conta com a administração bem sucedida do prefeito Pábio Mossoró (MDB), um homem trabalhador que carrega credibilidade, coragem e experiência adquirida em sua vida pública.

Com amplo destaque no fortalecimento da saúde, Mossoró implantou três Centros de Atendimento da Covid-19, aderiu ao aplicativo ‘Dados do Bem’ e ampliou a testagem rápida da doença, provando que tem como prioridade o bem-estar das pessoas. 

Atualmente, a cidade é uma das que mais realizam exames para a detecção do novo coronavírus no Estado. Até o momento, quatro edições da Triagem Respiratória foram promovidas e atenderam milhares de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Após garantir 1.077 exames para a detecção do vírus, no último sábado (26), em evento promovido no Centro de Tradições Gaúchas (CTG – bairro Valparaizo I), foi lançada na manhã deste domingo (27), a campanha eleitoral da coligação Valparaíso pra frente, encabeçada pelo candidato a prefeito Pábio e por sua vice Zeli Fritsche (PDT). 

A dupla que deu certo busca a reeleição no pleito de 2020, para confirmar a confiança da população, depois de passar três anos e nove meses reconstruindo uma cidade, com um trabalho feito com total responsabilidade, seriedade e compromisso.

A fortalecida chapa do mdbista confirmada conta com partidos de peso. Fazem parte do fortalecido grupo: Avante, Cidadania, MDB, PDT, PSB, PSC, PV e Podemos. Segundo Pábio, o objetivo principal é continuar as mudanças e transformações que Valparaíso precisa. “Contamos com o apoio de gente do bem, que cidade nos trilhos do desenvolvimento e sem andar pra trás. Já fizemos e faremos muito mais”, reforçou.

Confira os resultados das edições da Triagem Respiratória

Céu Azul – 12/09/2020
Total de notificações: 1.111
Positivos: 392
Negativos: 719

Céu Azul – 05/09/2020
Total de notificações: 592
Positivos: 217
Negativos: 375

Parque Marajó 19/09/2020
Total de notificações: 865
Positivos: 288
Negativos: 577

Valparaizo I 26/09/2020
Total de notificações: 1.077
Positivos: 217
Negativos: 860


Parceria permite consignação em folha dos magistrados e demais servidores do tribunal

Foto: Renato Cesar.

O BRB firmou hoje (24) convênio com o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas-SP) que permite consignação em folha de pagamento de magistrados e demais servidores, ativos e inativos, do tribunal.

O acesso ao crédito será por meio digital e é mais um passo que o Banco dá em direção à ampliação de sua base de clientes e ao planejamento estratégico de expansão. Para realizar as operações, a Financeira BRB, líder em consignado digital do mercado, vai disponibilizar toda a infraestrutura tecnológica para a viabilidade dos negócios.

“O BRB tem trabalhado para ser um Banco moderno, completo, ágil e inovador. E tem atuado em conjunto ao judiciário e associações para buscar compreender as verdadeiras necessidades dos servidores da Justiça. Nosso objetivo central é ampliar e diversificar nossa base de clientes, oferecendo acesso ao crédito e aos serviços bancários mais baratos do mercado”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Ele esteve em Campinas, na tarde de hoje, para a assinatura do convênio na sede do TRT da 15ª Região. O documento também foi assinado pela desembargadora Gisela Rodrigues Magalhães de Araújo e Moraes e pelo diretor da Financeira BRB, Carlos Vieira.

Desde o fim do ano passado, o BRB tem firmado uma série de parcerias e convênios com entidades representativas do judiciário e oferecendo condições especais à categoria.

Assim, firmou convênio com a OAB nacional e DF e dois acordos de cooperação para construir benefícios exclusivos direcionados aos perfis dos associados à Anserjufe (Associação Nacional dos Servidores do Judiciário Federal e Estadual do Ministério Público da União e dos Estados) e à Anajustra (Associação Nacional dos Servidores da Justiça do Trabalho). Juntas, as duas entidades representam um universo de quase 50 mil associados.

O crédito consignado digital do BRB tem sido contratado em diferentes estados do País, com destaque para o Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul. “O BRB está expandindo sua marca. E, com o trabalho dos correspondentes digitais, e por meio da Financeira BRB, tem potencializado essa meta, ao levar produtos serviços para novas localidades estratégicas”, afirma o presidente.

A linha de crédito consignado digital estará disponível para os servidores que já são clientes do BRB e para os que queiram se tornar. Os interessados podem procurar os correspondentes digitais da Financeira BRB, os canais digitais do BRB – Mobile ou Internet Banking – ou ainda obter informações por meio da central 08000613030 (São Paulo e demais cidades do Estado).


 Doações foram feitas a 146 famílias de crianças e adolescentes atendidos no Golfinho, um projeto social da Companhia





Fotos: Divulgação/Caesb.

A solidariedade de moradores do Distrito Federal continua ajudando crianças e adolescentes atendidos pelo Golfinho, um projeto social da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb). Nesta última semana, famílias do Itapoã e de Ceilândia receberam 170 cestas básicas e 510 sabonetes para ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus.

As cestas foram doadas pelas brasilienses Camila Utsch e Catharina Sacerdote, que fizeram uma campanha de arrecadação nas redes sociais. Elas conseguiram os alimentos e decidiram doar aos alunos do Projeto Golfinho. No Itapoã, 97 famílias foram beneficiadas, já em Ceilândia foram 49 famílias. Na ocasião, também foram distribuídos os sabonetes que têm sido arrecadados e doados pela Caesb desde maio.

Essa é a terceira vez que Camila participa de ações solidárias da Caesb. “Conheci o Projeto Golfinho em 2019 e sei da seriedade do trabalho social desenvolvido pela Empresa. Participei em duas ações no ano passado - na Páscoa e no Dia das Crianças - e convidei a Catharina para nos unirmos e contribuirmos neste ano. Realizo trabalho voluntário há alguns anos e sei da importância dessas ações para as famílias vulneráveis. O nosso objetivo é sempre incentivar para que mais pessoas contribuam”, destacou.

A voluntária e também doadora das cestas Catharina Sacerdote participou das entregas e conheceu as famílias atendidas no projeto social da Caesb. “Fazer doações é uma oportunidade de transformar vidas. Trabalho com finanças pessoais e sei o peso da aquisição de produtos alimentícios no orçamento de uma família. Toda ajuda é um pouco do nosso amor. O trabalho voluntário contribui no fortalecimento do coletivo”, ressaltou Catharina.

Mãe de 10 filhos, sendo quatro participantes do projeto Golfinho, Viviane Ferreira recebeu cesta básica e sabonetes. “Estou desempregada e sem condições financeiras de sustentar a minha família. Essas doações vão ajudar muito a alimentar meus filhos, principalmente nesse momento que estamos vivendo, onde o preço do arroz e do óleo estão altíssimos”, comemorou Viviane e completou: “os sabonetes também são ótimos, porque muitas vezes dou banho só com água.”

A gerente de Qualidade de Vida e Responsabilidade Social da Caesb, Nívia Pedrosa de Oliveira, agradeceu todas as contribuições recebidas até hoje. “Nós ficamos extremamente felizes com a doação das cestas básicas para as crianças do Projeto Golfinho. Isso mostra que a campanha solidária da Caesb está atingindo o seu objetivo: promover a solidariedade entre as pessoas. A comunidade está se sentindo motivada a realizar doações, porque percebe a seriedade de todo o processo. Continuaremos sendo essa ponte de solidariedade para as famílias vulneráveis do DF”, garantiu Nívia.

Projeto Golfinho

O Projeto Golfinho é desenvolvido pela Caesb há 18 anos e tem como principal objetivo a construção da cidadania de crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade, tanto financeira quanto emocional, por meio do esporte e de apoio pedagógico para atividades escolares. Os alunos frequentam o projeto duas vezes por semana no turno contrário ao da escola. Neste período, eles têm aula de natação, futebol, participam de jogos lúdicos e recebem apoio pedagógico para atividades escolares, além de aprenderem sobre educação ambiental.

Atualmente, o Projeto atende crianças e adolescentes de 6 a 16 anos nas regiões de Ceilândia, Itapoã e Paranoá. O transporte é fornecido pela Caesb para que os participantes cheguem aos núcleos. Ao completarem 14 anos, os adolescentes são encaminhados para o projeto Empregado Aprendiz e podem trabalhar na Caesb ou em outros órgãos do governo.

Campanha solidária

No dia 5 de maio, a Caesb lançou uma campanha solidária para arrecadar sabonetes e barras de sabão para doar às famílias das crianças e dos adolescentes atendidos no Golfinho. A campanha duraria um mês, mas a Caesb decidiu prorrogar as arrecadações até o fim da pandemia. Já foram doados aproximadamente 10 mil itens de higiene pessoal.

Entre os doadores, desde o início da campanha, estão os próprios empregados e aposentados da Caesb, associados da Caesb Esportiva e Social (Caeso), equipes do Parque Tecnológico de Brasília (Biotic) e da Secretaria de Comunicação do Governo do Distrito Federal (Secom) – que se uniram à campanha e viraram pontos de coleta dos itens –, as empresárias Heloísa Helena e Pollyana Prudente, a Drogaria Brasil, o servidor do TJDFT, Michael Xavier, a Mirante Incorporações – que iniciou a campanha doando 2 mil sabonetes, o Shopping DF Plaza, a Rede D’Or, que doou 3,6 mil sabonetes, psicólogos e neurocientistas da HeartBrain, o Instituto Plástica Oclusal-IPO Palmieri, a ótica Audrey Brants, além de advogados de Brasília e pessoas anônimas da comunidade que estão deixando suas doações nos pontos de coleta.

Para quem ainda deseja participar, os itens de higiene pessoal continuam sendo recebidos nas portarias das unidades Sede e SIA da Caesb, na sede do Biotic e na ótica Audrey Brants, na Asa Sul.

 


Cerca de 200 toneladas de massa asfáltica foram usadas em cinco dias na região. Equipes da Administração também realizaram serviços de limpeza de áreas públicas e recuperação de bocas de lobo e Implantação de meio-fio


O mutirão de melhoria na infraestrutura de Ceilândia realizado entre os dias 21 a 25 de setembro, contemplou ruas e avenidas com diversos serviços como operação Buraco Zero, desobstrução de bocas de lobo, poda de árvores e limpeza de áreas públicas. Mais de 560 buracos foram tapados e cerca de 200 toneladas de massa asfáltica foram usadas durante a ação.

A operação irá continuar nos próximos dias e contemplará outros setores. A iniciativa conta com equipes de trabalho da Administração, da Novacap e do GDF Presente.

O administrador de Ceilândia, Marcelo Piauí, explica que a melhoria da infraestrutura da cidade é contínua e permanente, já que integra o processo de manutenção da região. “ Temos equipes fixas que atuam diariamente na realização de operações em Ceilândia. O mutirão em parceria com a Novacap e o GDF atendeu às demandas antigas da população, além de atuar em regiões críticas e emergências”, ressalta Marcelo Piauí.

A operação tapa-buracos, além de atender ruas e avenidas segue a seguinte ordem: vias principais e secundárias. A operação conta com cinco equipes de trabalhadores, quatro da Administração Regional, uma da Novacap que atuam em diversas frentes na cidade, além de cinco caminhões com capacidade de armazenar, cada um, cerca de 10 toneladas de massa asfáltica, além de máquinas, como rolo compressor.

Confira o que foi realizado entre os dias 21 a 25 de setembro:

Recuperação asfáltica na QNN 23/25, em Ceilândia Norte;

Recuperação asfáltica na QNN 18 e 19, Ceilândia Norte;

Recuperação asfáltica na EQNM 4/6 Ceilândia Norte;

Recuperação asfáltica na QNP 18, P Sul;

Recuperação asfáltica na QNM 17, em Ceilândia Sul;

Recuperação asfáltica na QNM 19, Ceilândia Sul;

Recuperação asfáltica na QNM 02, Ceilândia Norte 

Recuperação asfáltica QNM 4, Ceilândia Norte;

Recuperação asfáltica na EQNM 4/6, Ceilândia Norte;

Recuperação asfáltica na via N 03 Norte;

Remoção de entulho na EQNP 14/18 Setor P Sul – total 11 toneladas;

Remoção de entulho na (EQNP 30/34), (EQNP 22/26), (EQNP 08/12 Dirob) – total 15 toneladas;

Remoção de entulho da QNM 27 Área especial;

Implantação de meio-fio na QNM 3, Ceilândia Sul;

Implantação de meio-fio na QNM 31 Área Especial;

Instalação de placa (Proibido jogar lixo) – QNP 21 P Sul;

Poda de árvore na Avenida Elmo Serejo na altura da QNP 18 Setor, P Sul;

Regularização de estacionamento na Feira dos Goianos na SDMC Quadra 9 às margens da BR 070;

Poda de árvore no canteiro central na Avenida Elmo Serejo na altura da QNN 26;



A unidade do Sesc de Ceilândia recebeu, nesta sexta-feira (25), a visita de deputados federais e senadores, da bancada brasiliense no Congresso. O encontro foi conduzido pelo presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, pelo diretor Regional do Sesc-DF, Marco Tulio Chaparro, e pelo diretor regional do Senac-DF, Antonio Tadeu Peron

Foto: Daniel Alcantara.

Na oportunidade, os parlamentares conheceram um pouco mais da estrutura e das ações do Sesc e do Senac no DF e em todo Brasil, em áreas como: saúde, educação, cultura e qualificação profissional. Ao final da conversa foi oferecido um almoço aos parlamentares. Estiveram presentes no encontro, os senadores: Izalci Lucas e Leila Barros; os deputados federais Luís Miranda; Tadeu Filippelli; Erika Kokay; Julio Cesar; Professor Israel; e Paula Belmonte.

O presidente do Sistema Fecomércio-DF, Francisco Maia, agradeceu a presença dos parlamentares e falou um pouco da importância das ações do sistema S do comércio da capital do País. “Geralmente, as pessoas têm um desconhecimento do Sistema S. Muita gente não sabe as ações que estão sendo realizadas. Hoje, mesmo com uma batalha árdua com a eminência de um corte das verbas do sistema pelo governo Federal, o Sesc, o Senac e a Fecomércio estão realizando diversos projetos para ajudar a população em um momento de crise; entre eles: entrega de máscaras, oferta de cursos e consultorias gratuitas, programa de arrecadação de alimentos e muito mais”, disse Francisco Maia. “Em Brasília, o Sesc é referência na área esportiva e cultural, o Senac, na capacitação profissional. Estamos sempre trabalhando para oferecer o melhor para a população”, concluiu o presidente do Sistema Fecomércio-DF.

O diretor do Sesc-DF, Marco Tulio Chaparro, falou dos números da entidade em 2019, mostrando a abrangência na capital do País. “É importante mostrar o que o Sesc fez e vem fazendo para a população nos últimos anos. Foram apresentados os números de 2019, principalmente no que tange às atividades fins do Sesc e um breve resumo das nossas ações na Pandemia”, disse. “Estamos presentes na área de saúde, alimentação e odontologia, além de contarmos com clínicas médicas, educação, trabalhos manuais, atividades esportivas diversas, turismo e muito mais. Somos considerados uma das grandes escolas de Brasília, com mais de 3 mil alunos e educação bilíngue”, ressaltou. Outros dados do Sesc em 2019: 17 mil acessos mensais a unidades; 8 milhões de atendimento por ano; 1,6 mil colaboradores e capacidade para atendimento de 27 mil pessoas na área de esporte. São 11 unidades físicas e 9 móveis; 6 teatros; 8 academias e 17 piscinas.



O diretor do Senac, Antonio Tadeu Peron, mostrou que a instituição trabalha na área que o Brasil mais precisa: qualificação e formação profissional. “O Senac é muito regulamentado e transparente. Hoje, atingimos 13 Regiões Administrativas, com 719 colaboradores. Das nossas atividades temos uma editora, com prêmios Jabuti, mais de 295 cursos em diversas áreas e não existe uma atividade do comércio, turismo e serviços que não seja alcançada pelos cursos do Senac. Temos também a nossa faculdade e um programa de cursos gratuitos”, informou Peron. Outros dados do Senac destacados pelo diretor aos parlamentares: 7 unidades físicas, 4 móveis, mais de 11 mil alunos que foram atendidos pelo Programa do Senac de Gratuidade (PSG), somente em 2019.

O Senador Izalci Lucas classificou as ações do Sistema S como muito importantes para o Brasil. “Eu sempre fui um defensor do Sistema S, conheço muito o trabalho e o admiro. Essas entidades oferecem a melhor formação profissional do País. Não podemos trabalhar no sentido de inviabilizá-las. Se alguma coisa funciona na capacitação profissional no Brasil, ela está no Sistema S, com toda a certeza”, avaliou o parlamentar. Sobre possíveis cortes nos repasses para essas instituições, que têm sido anunciados pelo governo, ele ressaltou a necessidade de defender o sistema. “Acredito que é necessário expandir, ao invés de cortar. A gente não pode limitar o que funciona. O Brasil tem essa mania de acabar com aquilo que dá certo não só no DF mas no País todo”, concluiu o parlamentar.

A deputada Paula Belmonte também esteve presente e elogiou as ações do sistema. “Eu vejo que toda vez que falamos do Sistema S a gente está falando de eficiência. Traz jovens e crianças para se atualizarem, estudar e adentrar no mundo dos esportes. Já ouvi histórias de usuários de uma bolsa gratuita do Senac que abriram negócios e já estão fazendo outro curso. Esse é um círculo virtuoso muito positivo para a população e para a economia do País”, informou Paula Belmonte.

 

A nova sede do Centro Interescolar de Línguas do Guará (CILG), é uma das 11 obras previstas na lista de ações divulgada pelo Governo do Distrito Federal nessa última terça-feira (22)


Foto: Marconi Oliveira.

Segundo o Deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos), a entrega da nova sede deve ser entregue no segundo semestre de 2021 e ainda destaca a importância do aprendizado da língua estrangeira no mundo globalizado que vivemos para a população mais carente.

O trabalho em conjunto com o Deputado, as secretarias Educação, de Juventude e de Obras e Infraestrutura tem como objetivo dobrar o número de alunos o ano que vem. Hoje o Centro atende 3600 alunos e com as novas salas, auditório, vários outros espaços para os servidores, professores e alunos o CILG vai atender 7200 alunos do Guará, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Estrutural e Riacho Fundo I. Essa é uma novidade não só boa para os alunos, mas também para os profissionais do local.


Com o novo número de alunos a diretora do CILG Taiana Santana disse que já estão buscando novos professores para completar a equipe. “Hoje nós temos professores na casa que já estão fazendo banca/prova de aptidão para ensinar no CILG. Com essa amplitude de vagas poderemos atender professores que há muito tempo pleiteia uma vaga no CILG e não consegue”, comentou.

Salão de Múltiplas Funções do Guará - Foto: Renato Bernardes.

A doação da nova sede (do Salão de Múltiplas Funções do Guará), pela Administração Regional do Guará, para a Secretaria de Estado de Educação para que seja reformado e instalado no local a nova sede do CILG, o orçamento para as adaptações na obra ficou em R$200,000 mil reais. O novo CILG ficará próximo à estação do metrô, facilitando muito a vida dos estudantes da comunidade do Guará e das regiões ao redor. Com a nova sede do CILG os moradores além de ter a oportunidade de estudar uma nova língua, terá a acessibilidade de ser perto do metrô. 

A moradora do Guará Lorena Figueiredo 33 anos , contou a sua empolgação para a nova etapa do CILG “agora com a ampliação vai sobrar muitas vagas para a comunidade ,tenho certeza que vou ser uma das agraciadas de estudar inglês na minha cidade”.

Atualmente o CILG atende alunos a partir dos 6 anos de idade em adiante. As inscrições para estudar uma nova língua no centro é feita pelo site da secretaria de educação e depois é sorteada vaga. Um sorteio com mais de 600 vagas está previsto para a próxima terça-feira dia 29, para alunos da rede pública que fizeram a inscrição. As vagas remanescentes serão disponibilizadas para a comunidade, que terá a inscrição aberta noda dias 15/10 a 18/10.

O grupo, criado oficialmente em 24 de março, reúne-se semanalmente para articular ações sistêmicas e prioritárias

Foto: Renato Antunes.

Criada poucos dias após a confirmação do primeiro caso da Covid-19 no Distrito Federal, a força-tarefa do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) assumiu, há seis meses, a missão de coordenar ações em defesa dos direitos da sociedade e para o controle de políticas públicas relacionadas ao novo coronavírus. Nesse período, já foram aproximadamente 250 iniciativa, entre medidas de fiscalização, recomendações, termos de ajustamento de conduta (TAC) e ações judiciais.

O grupo reúne promotores e procuradores de Justiça em áreas que se mostram fundamentais, como saúde, patrimônio público, consumidor, idoso, infância e juventude, acompanhamento do sistema prisional e controle externo da atividade policial, entre outras. “Sempre tivemos clara a missão do Ministério Público de preservar vidas e garantir os direitos da população. Temos acompanhado de perto a estrutura dos hospitais, as políticas de assistência social para o auxílio e a proteção dos mais vulneráveis e a observância aos critérios legais para a garantia de transparência dos gastos públicos”, esclarece a procuradora-geral de Justiça, Fabiana Costa.

O coordenador da força-tarefa, procurador de Justiça Eduardo Sabo, relata como a crise tem exigido do Ministério Público uma atuação rigorosa e incansável no sentido de conscientizar, sensibilizar e orientar a população e os gestores públicos sobre as responsabilidades no enfrentamento à Covid-19. “Desde o início dos trabalhos, tivemos a preocupação em cobrar do governo local medidas de transparência em relação às ações de prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Em grande medida, muito do que a sociedade sabe hoje sobre o assunto é fruto de iniciativas impulsionadas pelo trabalho do Ministério Público”.

Foi a partir de uma ação civil pública do MPDFT que a Justiça determinou ao GDF a divulgação mais precisa sobre a disponibilidade e a estruturação dos leitos de UTI, a partir dos dados da Central de Regulação de leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Acompanhamento feito por promotores revelou grande discrepância entre os números publicados na Sala de Situação e aqueles registrados pelo complexo regulador da Secretaria de Saúde, além da inclusão de leitos bloqueados, no cálculo da taxa de ocupação, como se estivessem aptos para receber pacientes.

Diversos aspectos têm sido acompanhados, desde a real disponibilidade de leitos de UTI e respiradores até a existência efetiva de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais de saúde. Os dados recebidos e coletados pela força-tarefa são fundamentais para traçar as estratégias de atuação. “Mas não são só números que nos interessam. Para nós, é importante conhecer exatamente como está o funcionamento dos hospitais, das Unidades Básicas de Saúde. Por isso, realizamos semanalmente vistorias aos hospitais. Promotores de Justiça e médicos do MPDFT estão lá presentes e acompanham de perto o serviço prestado”, explica o promotor de Justiça secretário-executivo da força-tarefa, Bernardo Matos.

Desde o início da pandemia já foram vistoriados os Hospitais Regionais da Asa Norte (HRAN), de Santa Maria (HRSM), de Taguatinga (HRT), de Ceilândia (HRC), de Samambaia (HSam), além do Hospital de Base. Também já foram inspecionadas as UPAs do Núcleo Bandeirante, do Recanto das Emas e de Ceilândia, além de diversas unidades básicas de saúde (UBS). Houve também vistorias voltadas para os aspectos patrimoniais dos contratos nos hospitais de campanha do Mané Garrincha e do Centro Médico da Polícia Militar.

Nos locais, todos os ambientes são visitados e equipamentos e leitos, checados. Além da avaliação da estrutura física e de recursos humanos, o Ministério Público tem questionado o fluxo de atendimento aos pacientes com sintomas respiratórios, sem sintomas e já diagnosticados com Covid-19. Os relatórios das inspeções têm sido divulgados no site do MPDFT e remetidos à SES e ao Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF) para a adoção das melhorias necessárias. Com base no trabalho, o MPDFT produziu vídeo sobre o fluxo de atendimento médico para orientar a população.

As promotorias de Justiça de Defesa da Saúde também acompanham as contratações na área, especialmente aquelas com valores mais altos, para que os recursos públicos sejam efetivamente destinados para o tratamento da população e para que não haja descontinuidade no atendimento. “Espera-se que, com a redução dos casos da doença, as unidades de terapia intensiva permaneçam disponíveis e equipadas para os usuários do SUS após a pandemia”, afirma o promotor de Justiça Clayton Germano.

Ações também se destinaram a amparar os familiares das vítimas do SARS-CoV-2. Nesse sentido, foram duas recomendações: a primeira para evitar a divulgação pelos hospitais dos nomes das pessoas que vieram a óbito. A outra foi expedida para garantir a prestação constante de informações médicas aos familiares dos pacientes em tratamento para a Covid-19, internados ou em leito de observação por mais de 24h.

Transporte público

Outro grande desafio nessa pandemia é evitar o contágio no transporte público. Ainda em março foi expedida a primeira recomendação à Secretaria de Mobilidade para que a frota não fosse reduzida e para higienização de todos os veículos antes de cada viagem. “Porém, foi observado que a limpeza não estava sendo adequada e o MPDFT conseguiu liminar na Justiça para o cumprimento sistemático das normas sanitárias de higienização dos veículos de transporte coletivo pelas concessionárias que operam o Serviço de Transporte Público Coletivo (STPC)”, explica a promotora de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social Lenna Daher. Essas foram algumas das iniciativas na temática, que incluiu também a parceria com o Ministério Público de Goiás para fortalecer ações nos coletivos da região do entorno do DF. “Continuaremos com esforços para que o serviço melhore como um todo, mas, neste momento, focamos especialmente nas ações relacionadas ao enfrentamento da pandemia”, conclui.

A Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão (PDDC) e a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social (Prodep) obtiveram liminar em ação civil pública ajuizada contra as concessionárias que operam o Serviço de Transporte Público Coletivo (STPC) do Distrito Federal. O motivo é o descumprimento sistemático dos protocolos sanitários para o enfrentamento da Covid-19, de acordo com a Lei Distrital nº 6.577/2020. A 10ª Vara Cível de Brasília determinou que as empresas façam a higienização no interior dos veículos todas as vezes que os ônibus chegarem ao terminal.

A população percebe os resultados desse trabalho. Para a empregada doméstica Jusilene Mendes, que usa o transporte público diariamente, a vistoria nos veículos é fundamental. “Eu acho importante a fiscalização para garantir a limpeza e a quantidade de ônibus”, diz.

Sistema prisional

No acompanhamento do sistema prisional, integrantes do Núcleo de Controle e Fiscalização do Sistema Prisional (Nupri/MPDFT) atuam conjuntamente com a Vara de Execuções Penais (VEP) e outras instituições para a adoção de medidas desde o início da crise sanitária. Inicialmente, foi necessário suspender alguns benefícios dos apenados como as visitas presenciais e o trabalho externo, mas foram definidas estratégias para fortalecer o contato virtual com familiares.

O grupo de trabalho inspecionou todas as unidades do sistema e também compareceu às alas separadas para os presos contaminados e ouviu seus relatos. Alguns momentos exigiram atuações mais radicais para conter o avanço da Covid-19 nos presídios. O atendimento à saúde dos internos foi fortalecido e com o tempo as medidas tiveram resultado positivo com a queda do número de infectados. Após seis meses, foi autorizada pela Justiça a retomada progressiva das visitas e do trabalho externo, com uma série de regras para evitar uma nova onda de disseminação do coronavírus nos presídios. Para informar familiares dos internos sobre como será o processo gradual de retomada das visitas presenciais e das saídas temporárias no Sistema Penitenciário de Brasília, o Nupri publicou vídeo que abordou, de forma clara e didática, as novas diretrizes e os cuidados necessários durante os encontros.

Consumidor

A instituição também tem atuado para resguardar os direitos dos consumidores. O MPDFT foi signatário de termos de ajustamento de conduta (TAC) para estabelecer regras de remarcação, cancelamento e reembolso de passagens e também para remarcação de eventos modificados em razão das medidas de isolamento. A Promotoria de Defesa do Consumidor também fiscalizou estabelecimentos comerciais contra o aumento abusivo dos preços de insumos de higiene e proteção, como álcool em gel, máscaras e luvas.

Outra frente de atuação foi o acompanhamento da prestação de serviços educacionais, com recomendação às escolas particulares para a negociação de contratos. “As relações de consumo foram muito impactadas com a pandemia. Faz-se necessário atuar em várias frentes, inclusive com os planos de saúde, hospitais particulares e farmácias para garantir atendimento aos pacientes com Covid-19”, esclarece o promotor de Justiça Paulo Binicheski.

Proteção ao idoso, à mulher e à criança

Atenção especial é dedicada aos idosos, um dos grupos mais vulneráveis à infecção. Desde março a força-tarefa trabalha para garantir o fornecimento de testes para detectar a infecção por coronavírus nos residentes e funcionários das instituições de longa permanência. Segundo a promotora de Justiça de Defesa do Idoso, Maércia de Mello, "com a confirmação de casos de Covid-19 entre idosos institucionalizados, concentramos nossos esforços para assegurar que essa população seja protegida da forma mais adequada possível", afirmou.

As promotoras de Justiça Mariana Távora e Mariana Nunes, do Núcleo de Direitos Humanos, alertam que as medidas de isolamento para contenção do novo coronavírus aumentaram a permanência de mulheres e meninas no espaço doméstico e a consequente tensão das relações ali estabelecidas. Diante dessa realidade, foram necessárias medidas para fortalecer a rede de proteção, apesar de muitos atendimentos terem se tornado virtuais.

O Núcleo ajuizou ação civil pública contra o Governo do Distrito Federal para garantir estruturação da Secretaria de Estado da Mulher. Na ação, o MPDFT cobrou a publicação do regimento interno da pasta e a apresentação de planejamento de ações que indiquem os programas, projetos e serviços previstos para execução em 2020, com a respectiva inclusão na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), a fim de garantir dotação orçamentária para a Secretaria. Além de medidas judiciais e extrajudiciais, foi desenvolvida campanha que mostra como fazer o boletim de ocorrência eletrônico virtual e presencial, como pedir medidas protetivas de urgência, quem procurar caso seja mal atendida na delegacia e quem acionar caso não consiga atendimento na delegacia.

Crianças e adolescentes que vivem em abrigos também contam com a atuação do MPDFT. Desde o início da pandemia, diversas instituições têm passado por desafios e incertezas. A Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e Juventude tem atuado pela melhoria da qualidade de vida do público infantojuvenil atendido por essas organizações. O sistema socioeducativo do Distrito Federal também foi impactado e integrantes da força-tarefa também se fazem atentos à nova realidade das unidades de internação. “Visitas foram temporariamente suspensas para proteger da contaminação. A falta de contato tem sido superada com visitas virtuais, nas quais os jovens têm a oportunidade de conversar com familiares por meio de videochamadas”, explica o promotor de Justiça Márcio Costa de Almeida.

Assistência social

O MPDFT também têm fiscalizado a política de assistência social e identificou diversas deficiências. Em março, o MPDFT solicitou a manutenção do atendimento nos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps).

Desde o início da pandemia, o MPDFT cobrou da Secretaria de Desenvolvimento Social, a SEDES, a implementação de um plano de contingência para a área, que tem sido acompanhado de perto para evitar que as camadas mais vulneráveis da sociedade fiquem sem a oferta de serviços, de benefícios socioassistenciais e de acolhimento institucional. Também tem sido constante a interlocução com a pasta para a busca por soluções céleres para a sociedade.

O Núcleo de Direitos Humanos (NDH) também manifestou preocupação com a população de rua, considerada muito vulnerável neste momento. “A questão é complexa e vai além de mera definição de um espaço para alocação desse segmento social”, destacou a promotora de Justiça Mariana Nunes. O núcleo expediu recomendação com orientações ao governo local e acompanha a ação judicial proposta pela Defensoria Pública para a criação de abrigo para cerca de 3 mil pessoas em situação de vulnerabilidade. O sepultamento social também foi tema de reuniões, ofícios e recomendação do MPDFT.

Fiscalização e orientação de medidas de proteção

Assim que comércio e parques reabriram, o MPDFT realizou uma série de inspeções para verificar a adesão às medidas de proteção contra o novo coronavírus. Foram observadas as estruturas de uso comum e o comportamento dos frequentadores de parques, shoppings e centros comerciais, como os parques Olhos d’Água (Asa Norte), Ezechias Heringer (Guará), Sarah Kubitschek (Asa Sul), além dos shoppings JK e ParkShopping e do centro comercial Taguacenter. Na ocasião, a força-tarefa pediu que o DF Legal realizasse a autuação dos estabelecimentos comerciais que não seguissem as determinações impostas pelo Decreto 40.817, que definiu as regras sanitárias para a liberação do funcionamento. O servidor público Raphael Corrêa destaca a importância da ação. “Eu me sinto mais seguro sabendo que o MPDFT e outros órgãos fazem a vistoria frequente dos parques”, conclui.

Mesmo com quadro que indica a redução no número de casos e de mortes, o trabalho da força-tarefa continua. “Não podemos nos esquecer que ainda estamos em meio à pandemia. O MPDFT seguirá vigilante, cumprindo seu papel. Continuamos, por meio da Força-Tarefa e dos integrantes do MPDFT, com a promoção de medidas para garantir a proteção dos direitos da população do DF”, conclui Eduardo Sabo.

Em seis meses de trabalho, a força-tarefa já adotou diversas providências em diferentes frentes de atuação:
- Realizou vistorias semanais UBS e Hospitais. Produção de vídeo sobre o fluxo de atendimento para orientar a população.

- Realizou inspeções nos terminais rodoviários para verificar cumprimento das medidas de higienização dos coletivos.

- Recomendou à SES e rigoroso acompanhamento e fiscalização do contrato para a instalação e funcionamento de 80 leitos de UTI Adulto COVID-19 no Hospital de Campanha da Polícia Militar:

- Inspecionou o Estádio Nacional e o Bezerrão na retomada das atividades esportivas no Distrito Federal para verificar os protocolos de segurança sanitária nas partidas da final do campeonato brasiliense. Ministério Público também esteve reunido com a secretaria de Esporte e Lazer para discutir as ações da pasta na prevenção à Covid-19.

- Ajuizou ação civil pública e obteve decisão favorável da Justiça para o cumprimento sistemático das normas sanitárias de higienização dos veículos de transporte coletivo pelas concessionárias que operam o Serviço de Transporte Público Coletivo (STPC).

- Produziu vídeo com informações e esclarecimentos aos familiares dos internos sobre como será o processo de retomada das visitas presenciais e das saídas temporárias no Sistema Penitenciário de Brasília.

- Requisitou ao governo local os estudos técnico-científicos que fundamentaram a decisão de reabrir atividades como salões de beleza, academias e restaurantes, além das projeções de demanda por serviços de saúde a partir da reabertura, tanto públicos quanto privados.

- Obteve liminar na Justiça que determinou ao Distrito Federal e ao Iges-DF a atualização do número de óbitos e leitos disponíveis reservados para Covid-19 até o fim da pandemia.

- Expediu recomendação com os Ministérios Públicos do Trabalho (MPT), de Contas (MPC-DF) e a Defensora Pública do DF para a preservação do trabalho, saúde e segurança dos catadores de materiais recicláveis que atuam no Distrito Federal.

- Promoveu reuniões com instituições de longa permanência para idosos (ILPIs) e requisitou plano de contingência para mitigar a transmissão nesses locais.

- Emitiu nota técnica com sugestões ao governo local para garantir acesso aos projetos e ações criados para reduzir os efeitos da pandemia no DF aos imigrantes e refugiados.

- Lançou campanha com canais de denúncia para casos de violência doméstica contra a mulher, com o apoio da Polícia Civil do DF.

- Montou grupo de trabalho com o MP de Goiás para o acompanhamento da saúde e da mobilidade urbana nas cidades do entorno e que impactam o DF. Os MPs expediram recomendação às empresas de transporte para garantir a manutenção adequada do serviço e a proteção à saúde de passageiros e funcionários das linhas do entorno.

- Elaborou nota técnica sobre a atuação de membros para realização de audiências por videoconferência em contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher.

- Recomendou à Secretaria de Esportes e à de Ordem Urbanística a fiscalização rigorosa do retorno das atividades esportivas pelos clubes de futebol do DF. Fiscalização do MPDFT apontou atividades irregulares de times durante a suspensão governamental de autorização para treinos.

- Obteve decisão favorável em ação civil pública ajuizada para a estruturação da Secretaria da Mulher (SMDF) com a apresentação de um plano de ações para este ano levando em conta que a situação de isolamento tende a agravar o quadro de violência doméstica contra mulheres e meninas.

- Recomendou à Secretaria de Saúde a elaboração de protocolo para prestação constante de informações médicas aos familiares dos pacientes com suspeita ou diagnóstico positivo para Covid-19, internados ou em leito de observação por mais de 24h.

- Recomendou à Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) que limite a ocupação dos veículos do transporte coletivo a até 50% da lotação máxima, bem como que seja feita a higienização dos coletivos. Também elaborou documento sobre a importância da testagem dos profissionais, motoristas e cobradores.

- Recomendou à Secretaria de Saúde a fiscalização de contrato firmado com a empresa Hospital Domiciliar do Brasil para a gestão de leitos hospitalares no hospital montado no Estádio Nacional.

- Ajuizou ação civil pública e obteve decisão favorável da Justiça para a suspensão de licitação que resultaria em gasto ilegal de mais de R$ 63 milhões do fundo de contingência em serviços de publicidade não relacionados à pandemia de Covid-19.

- Realizou vistorias nos shoppings JK, Parkshopping e Taguacenter, além dos parques Olhos d’Água (Asa Norte), Ezechias Heringer (Guará) e Sarah Kubitschek (Asa Sul).

- Expediu ofícios às Secretarias de Proteção da Ordem Urbanística e de Esporte e Lazer do DF, ao Ibram, às administrações regionais de Taguatinga e do Guará e às empresas que gerenciam os shoppings para prestarem informações sobre medidas adotadas atenção às normas de distanciamento social e de utilização de máscaras de proteção nos parques e comércios vistoriados.

- Implementou nova página da força-tarefa para a consolidação e disponibilização de dados oficiais do governo que são de interesse público como: leitos, boletins epidemiológicos, contratações, testes em massa e os painéis com os números de infectados no DF.

- Requisitou à Secretaria de Saúde informações sobre as medidas tomadas para prevenir a contaminação pela Covid-19 da população de rua e expediu recomendação indicando medidas para a proteção dessa população.

- Assinatura de termo de ajustamento de conduta (TAC) para regulamentar remarcação de eventos modificados em razão das medidas de isolamento.


- Requisitou à Secretaria de Desenvolvimento Social para que, ainda que em regime de plantão, mantenha o funcionamento dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), tendo em vista a vulnerabilidade do público atendido;


- Expediu com o Procon-DF nota técnica conjunta sobre o aumento abusivo de preços devido à pandemia de Covid-19. Inspeções foram realizadas para combater práticas ilegais.

- Criou rotina de acompanhamento das contratações direta, por dispensa de licitação, do Distrito Federal, em razão da crise.

- Expediu recomendação acerca do funcionamento regular do Sistema de Transporte Público no Distrito Federal (STPC).

- Pediu providências para garantir que a população em situação de rua tenha acesso às ações de prevenção, contenção e tratamento de saúde adequado no que se refere à epidemia da Covid-19 e realizou vistorias e recomendou melhorias nas estruturas da unidades de acolhimento instalados no Recando das Emas e no autódromo.

- Assinatura de termo de ajustamento de conduta (TAC) com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) com a definição de regras para remarcação, cancelamento e reembolso de passagens em razão da pandemia de Covid-19.


Clique aqui para saber mais sobre a atuação força-tarefa do MPDFT. Na página, estão relacionadas todas as matérias publicadas sobre as ações do grupo, as recomendações e notas técnicas expedidas.

Também é possível acessar dados obtidos do GDF referentes a números de contágios e óbitos, leitos de UTI, EPIs, contratações, entre outros. Trata-se de uma iniciativa que visa contribuir para a transparência ativa e para o acesso à informação.


Se tem algo que os noticiários têm evidenciado constantemente nos últimos quatro meses são números. E acompanhado deles expressões como “achatamento da curva de contaminação”, “incidência da taxa de contágio” e a “proporção de pacientes recuperados” se popularizaram em meio à pandemia do coronavírus (Covid-19). Conceitos e modelos matemáticos fizeram a ciência ganhar mais espaço na imprensa e na vida das pessoas. Gráficos e projeções passaram a estar presentes no dia a dia frequentemente. Mas será que todo mundo sabe interpretá-los?

Para o matemático e engenheiro civil, Bartolomeu de Gusmão Júnior, a dificuldade das pessoas em entender e aplicar esses conceitos é mais uma evidência de que a forma como aprendem matemática na escola está muito longe de prepará-las para usar a disciplina na vida real. “A matemática é uma disciplina viva, em constante desenvolvimento. Mas o currículo escolar e as práticas de ensino não acompanham essas mudanças. Os alunos precisam ser ensinados a raciocinar além dos exercícios e das avaliações. Eles precisam sair da escola todos os dias com maior independência intelectual do que quando chegou”, aponta o professor com experiência de 20 anos em salas de aula.

A disciplina, segundo ele, está sendo ensinada nas escolas nos moldes do século 19. E pode ser por isso que as pessoas torcem o nariz para a matemática, por considerarem algo difícil e, assim, não se interessando pelo assunto. Entender o quanto a ciência é relevante para a sociedade pode mostrar outro lado dos números. A matemática deve ser ensinada como uma ferramenta necessária para o futuro, com a sua devida importância para a economia dos países e consequente compreensão da complexidade do mundo atual.

Para o professor, este pode ser um momento de ressaltar a importância da matemática e da estatística para a simulação de um mundo melhor. “O ensino de estatísticas, probabilidade, análise combinatória, raciocínio lógico relacionado a temas do cotidiano do século 21 é um caminho crucial para que os jovens entendam o mundo e, por isso, deveriam ser mais aprofundados”, afirma Bartolomeu.

Quem domina bem estes conceitos, segundo ele, tem mais chances em carreiras que estão em alta como analista de dados, estatístico, desenvolvedor de sistemas, analista financeiro e cientista de dados. As pessoas precisam ser capazes de entender números, gráficos, probabilidades ou questões lógicas, por exemplo, e conseguir usar esses dados para entender padrões ou mesmo tomar decisões. “Para além da pandemia, professores devem pensar formas de abordar temas urgentes que não costumam estar presentes nas aulas de matemática, como mudanças climáticas, sustentabilidade ou participação eleitoral da população. Caso contrário, as pessoas vão se ver diante de números, gráficos e tendências sem entender sua própria capacidade de influenciar o comportamento destes dados”, assegura.

Embora haja a percepção de que a pandemia vai mudar a dinâmica das escolas e o ensino da matemática, a forma como isso vai acontecer ainda é uma interrogação. No entanto, Bartolomeu destaca que é preciso criar um novo normal, em vez de voltar para o normal de antes, que não estava funcionando.

Melhores

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.